Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Quarta-feira 29 de junho: Atualizações constantes

Segundo dia de greve geral em todo o país

APELO URGENTE DE DOCUMENTOS (FOTOS / VIDEOS) dos confrontos, a fim de provar a inocência dos manifestantes presos e para expor a brutalidade da repressão do Estado.
Qualquer informação relativa deve ser enviada para Atenas IMC: imc-athens-editorial@lists.indymedia.org

Grupo de Assistência Jurídica da Praça Syntagma : 0030 6932 582973, 0030 6938 907267

23.00 – 24.00 [GMT+2]: Updates da província
Tessalônica: Uma manifestação de mais ou menos 6000 pessoas marchou pelas ruas da cidade em direção à prefeitura para ocupá-la. No momento as pessoas estão reunidas em frente à prefeitura enquanto esquadrões de polícia estão em linha nas ruas paralelas acima da prefeitura.
Kozani, norte da Grécia: A ocupação do centro de trabalho da cidade continua.
Patra: Assembléia popular em andamento.
Ilha Chios: A prefeitura está ocupada por manifestantes.
Ilha de Lesvos, Mytilini: Um chamado para um mikrofoniki (protesto com uso de microfone aberto e PA’s)e encontro na praça Sapfous foi feito mais cedo

23.30 [GMT+2]: A polícia anti-distúrbio teve todo seu efetivo re-convocado para os próximos dias e foi ordenada a manter-se em estado de alerta máximo.

22.30 [GMT+2]: Apesar do profundo nivel de violência estatal em Atenas hoje, milhares ainda permanecem nas ruas e na praça Syntagma, resistindo. Uma assembléia está em andamento na praça Monastiraki enquanto uma barricada está sendo erguida em Filellinon. Muitos bloqueios policiais em vários pontos da cidade. Desde hoje cedo tem havido uma guerra química contra o povo. Policiais de motocicleta das forças DIAS e DELTA atacaram e espancaram centenas de manifestantes na rua Ermou, invadiram locais da universidade e até restaurantes, espancando manifestantes e turistas. Pela primeira vez na história, o luxuoso Hotel King George na praça Syntagma foi evacuado.

21.30 [GMT+2]: A estação de polícia de Exarcheia e dois jeeps na rua Tositsa no bairro foram atacados em retaliação a onde de violência estatal de hoje.

21.00 [GMT+2]: No momento tem pessoas reunindo-se na praça Monastiraki, respondendo ao chamado de reunir-se, que foi anunciado mais cedo com a intenção de coordenar as ações auto-organizadas. Os últimos relatos sugerem uma assembléia de aproximadamente 600-700 pessoas!

Quase ao mesmo tempo 50 motociclistas das forças DELTA e DIAS rodearam a estação de metrô de Akropolis e perseguiram as pessoas, inclusive aquelas dentro das lojas e cafés da área. Depois passaram pela rua de pedestres Aeropagitou sem hesitar em jogar químicos – ainda montados em suas motos – nas pessoas que passavam.

20.30 [GMT+2]: Grande quantidade de frentes de luta ao redor da cidade; há barricadas em frente ao hotel Rei Jorge e na maioria das ruas ao redor da praça Syntagma. Xs cidadãxs respondem aos reiterados pedidos de ajuda, tem começado a se unir ao povo nas ruas; ao mesmo tempo, a polícia bloquou inclusive uma ambulância que estava ajudando a manifestantes feridxs. A brutalidade policial não tem diminuído. Ha pouco, na parte inferior da praça, xs porcxs de uniforme detiveram jovens e xs golpearam com violência. Logo após isso, tiveram a audácia de fazer sinais de V em frente a manifestantes  que trataram de impedir as detenções.

20.15 [GMT+2]: Antidisturbios MAT atacam o perímetro da praça.

19.55 [GMT+2]: dois pedidos urgentes de ajuda médica e os médicos presentes em Syntagma. Há necessidade de máscaras, medicamentos antiácidos, cobertores e oxigénio.

19.45 [GMT+2]: Cerca de 1.000 pessoas estão reunidas novamente na Kolonaki, depois de terem sido expulsas das ruas centrais.

19.40 [GMT+2]: Syntagma: Polícias estão a jogar mais uma vez pedras contra as cabeças dos manifestantes.

19.35 [GMT+2]: Rua Akadimias, na zona da Faculdade de Direito: Uma equipa DELTA( polícia motorizada) cercou um grupo de manifestantes. As pessoas conseguiram escapar para as instalações da universidade.

19.20 [GMT+2]: Polícias nas escadas da parte superior na Syntagma invadem a praça com fúria assassina, jogando granadas de efeito moral e pedras contra os manifestantes; lotes de gases lacrimogéneos agora. Pelo menos duas pessoas gravemente feridas foram apoiadas por médicos. As pessoas respondem com arremesso de pedras. Entretanto, não há manifestantes na Propylaea (para onde havia uma apelo anterior para um encontro à noite); apenas quatro esquadrões de polícia estão alinhados lá. A polícia bloqueou a zona mais vasta da Syntagma, alguns lutadores permanecem na praça. A maioria das pessoas  dispersaram para as ruas circundantes e zona limítrofe..

18.50 [GMT+2]: polícias usam gás lacrimogéneo e invadem o prédio da universidade, do Departamento de Media e Comunicações (na Rua Kalamiotou , Largo Kapnikareas), donde muitos manifestantes fugiram. Os polícias foram repelidos.

17.20 [GMT+2]: Batalhas de rua agora nos atalhos, neste momento em Filellinon. Relatórios contínuos de manifestantes gravemente feridos. Um apoio municipal foi queimado. Toda a gente exige a retirada da polícia; grande cansaço e raiva das pessoas. Para além da guerra química impiedosa, os polícias estão atirando pedras contra os manifestantes , recuando vários agora.

17.10 [GMT+2]: Polícias aparecem para abrir uma passagem na Amalias, para que os deputados possam fugir do parlamento. Confronto emotivo de pessoas que se reagruparam em Propylaea (Panepistimio, a paragem de metro está aberta). HÁ UMA CHAMADA  PARA DESCANSO, uma noite, na AT Propylaea, 18.00.

17.00 [GMT+2]: Ataque coordenado tremendo da polícia  a partir da Rua Amalias bem em frente do parlamento;aparente operação policial  para a evacuação da Syntagma. Inúmeras bombas de gás lacrimogéneo e granadas de efeito moral. Os policiais permitiram como única saída a Rua Ermou. A estação de metro da Syntagma  está operacional mas os seus espaços estão superlotadas. As pessoas lutam para trás com aperto sem precedentes. Cerca de 500 manifestantes feridos. Voluntários do Centro Médico da Praça Syntagma estão fazendo esforços louváveis para ajudar manifestantes feridos. Há também uma unidade de enfermagem perto da  Megaron (Megaro Moussikis paragem de metro).

16.47 [GMT+2]: Depois de um cessar fogo de meia hora, depois de numerosas detenções em várias partes do centro da cidade, um ataque da polícia foi lançado simultaneamente nos quatro cantos da Syntagma. Os policiais invadem a praça lançando produtos químicos. Uma parada na praça, entre muitas outras detenções; confrontos na praça.

16.42 [GMT+2]: Fácil acesso à Syntagma através das estações de metro(abertas) Syntagma Panepistimio.

16.24 [GMT+2]: Acaba de ser confirmado que os políciass também usaram balas de borracha contra manifestantes na Syntagma. Além disso, o uso de um novo tipo de granadas por policias motociclistas tem sido relatado.

16.10 [GMT+2]: O acordo (intercalar, memorando) foi votado no parlamento por um total de 155 deputados. Em curso batalhas de rua em rua e no Stadiou.  Propylaea. Há pouco, motociclistas policiais DELTA e DIAS invadiram a zona.. Há uma forma de as pessoas alcançarem Syntagma-Panepistimio e a  estações de metro Syntagma está operativa.

15.55 [GMT+2]: Agressão violenta de um detido no cruzamento da Rua Ermou. Contínuos ataques de polícias contra médicos e enfermeiros. Confrontos muito duros, inacreditáveis lançamento cerrado de pedras. Guerra química.

15.30 [GMT+2]: Operação policial em larga escala. Bombardeamento com gás  lacrimogéneo contra os manifestantes na praça. Pessoas em pânico e em risco de serem espezinhadas. O bloco de grevistas dividido em três partes, para as ruas Mitropoleos, Filellinon e  Stadiou. A situação é perigosa na Rua Filellinon

15.07 [GMT+2]: Operação policial em larga escala na frente do Hotel Grande Bretagne, o mármore do hotel foi quebrado para uso. Pessoas permanecem persistentemente na Praça Syntagma.

14.30 [GMT+2]: Na Rua Filellinon existem blocos de ML-‘K’KE, EEK (muito grande), Juventude de Synaspismos, Cooperativa de Avicultores do Épiro, Associação de Técnicos de Rádio, assembleia popular de Egaleo (grande).

14.16 [GMT+2]: Polícia está a atacar os manifestantes com quantidade sem precedentes de gás lacrimogéneo. Toda a gente está a recusar-se a deixar a praça. Slogan principal é “Pão, Educação e Liberdade, a Ditatura não terminou em 1973”.

14.11 [GMT+2]: Polícias erguem as grades em frente ao parlamento, enquanto esquadrões da polícia atacam pessoas na praça com uma quantidade sem precedentes de gás lacrimogéneo. Manifestantes resistem e não abandonam o local.

14.00 [GMT+2]: Chania, Ilha de Creta: Ocupação da Câmara Municipal, após uma reunião no final da manhã em solidariedade com os estudantes e professores que são perseguidos por causa de seu envolvimento num protesto contra nacionalistas no desfile do ano passado (28 de outubro). No caminho para a prefeitura os manifestantes fizeram uma visita às instalações (sede) do partido PASOK no poder e atacaram-nas. Uma assembleia foi realizada no edifício tendo sido decidido continuarem a ocupação até às oito horas.

13.55 [GMT+2]: Neste momento, confrontos na Praça Syntagma, em frente ao parlamento.

13.38 [GMT+2]: As barreiras, em frente ao parlamento, já não existem! As pessoas deitaram-nas abaixo. Confrontos incríveis. Esquadrões da polícia estão desprotegidos.

13.36 [GMT+2]: Polícias desafiam com gás lacrimogéneo  a multidão. Os manifestantes estão bem organizados e decididos a lutar. Com as mãos pegam nas bombas de gás lacrimogéneo e jogam-nas de volta para a polícia. Ninguém sai do lugar.

13.30 [GMT+2]:  Um bloco de cerca de 500 manifestantes que estavam reunidos na Kallimarmaro decidiu mudar-se para Syntagma. Ao mesmo tempo, milhares de pessoas estão já lá (Syntagma), enquanto a polícia começa a atirar bombas de gás lacrimogéneo na Rua Amalias.

13.24 [GMT+2]: Um dos ataques não provocados pela polícia de choque; vídeo do bloqueio Hilton.

13.00 [GMT+2]: Vouli, o canal do Parlamento TV transmite uma (quase) vazia sala do Parlamento.

12.45 [GMT+2]: Dois manifestantes foram detidos em frente ao Ministério das Finanças. O povo conseguiu libertá-los. Os dois manifestantes que foram detidos antes no bloqueio Evangelismos foram liberados também.

12.12 [GMT+2]: Quase 100 manifestantes no beco atrás do Zappeion. Forte presença das forças repressivas, com motociclistas da forças DELTA da polícia.

12.00 [GMT+2]: Polícia conseguiu tomar duas passagens na Zappeion e no Museu da Guerra, por onde os deputados passam a fim de entrar no parlamento. Necessidade de reforços de manifestantes. Ao mesmo tempo, as pessoas na Syntagma parecem um enxame enquanto numerosos blocos (o PAME “comunistas” também) alcançam a zona.

11.59 [GMT+2]: Bloqueio na  Evangelismos está interrompido.. Dois carros Mercedes de MPs passaram na Av. Sofias Vassilissis  para o parlamento.

11.55 [GMT+2]: Manifestantes bloquearam com barricadas o beco atrás da Câmara Zappeion. Há necessidade do seu reforço para impedir a passagem de mais deputados.

11.50 [GMT+2]: Thessaloniki : Há pouco, um grupo de anti-autoritários ocupou o Escritório Central de Finanças da Igreja (EKYO). Penduraram uma bandeira no edifício onde se lê “expropriação social da propriedade da igreja”.

11.40 [GMT+2]: 10000 uma estimativa agora para os manifestantes na Syntagma. Manifestantes chegam de outras cidades gregas (Salónica, Patras, Chalkida, Larissa, Volos, Trikala) e do bloqueio Evangelismos.

11.25 [GMT+2]:  Oito manifestantes feridos foram transferidos para o hospital até agora, vários espancados por policiaa e outros com problemas respiratórios devido ao gás lacrimogéneo.

11.20 [GMT+2]: Chuva de pedras atiradas na Kallimarmaro.

11.15 [GMT+2]: Apenas 10 deputados estão agora dentro do parlamento. Operação policial em curso em grande escala para garantir a entrada dos deputados no parlamento (o início da promulgação do acordo está previsto para as 14:00).

11.07 [GMT+2]: O bloqueio de Kallimarmaro consiste principalmente em assembleias de bairros. Há uma necessidade imediata do seu reforço. Os manifestantes ergueram barricadas com latas de lixo que são acesas. Há pouco tempo, o lançamento de pedras contra a polícia anti-motim começou em Kallimarmaro.

11.06 [GMT+2]: Centro de Atenas: Pelo menos 200 manifestantes passaram pela área da zona rica de Kolonaki cantando o slogan: “Pão, Educação, Liberdade -A Junta não terminou em ’73. ‘

11.05 [GMT+2]: Duas detenções na Evangelismos.  As pessoas foram forçadas a avançar no sentido de Kolonaki.

11.00 [GMT+2]: Thessaloniki: Cerca de 500 trabalhadores de Salónica da União de sindicatos da Companhia de Abastecimento de Água e Esgotos marcham para o porto da cidade.

10.56 [GMT+2]: Há 200 manifestantes no bloqueio Evangelismos. As forças policiais são reforçadas.

10.53 [GMT+2]: Atenas, Kallimarmaro: esquadrões da polícia atacam os manifestantes na rua Eratosthenous e detiveram uma pessoa.

09.00 [GMT+2]: Há poucos minutos atrás, esquadrões da polícia atacaram ferozmente cerca de 500 manifestantes que estavam no bloqueio Evangelismos. As pessoas tentaram usar bombas de fumaça para evitar as unidades das forças policiais DIAS motorizadas para bloquear a estrada; uso extensivo de gás lacrimogéneo; relatórios sobre pelo menos três manifestantes feridos. A estação de metro Evangelismos está fechada. Os grevistas reagruparam-se junto ao hotel Hilton, onde a polícia atacou de novo. Ao mesmo tempo, no bloqueio do Estádio Panathenaic [Kallimarmaro], os manifestantes das assembléias de bairros que haviam bloqueado a Avenida Vassileos Constantinou foram atacados e empurrado para trás por dois esquadrões de polícia sendo o seu bloco dividido. Metade deles está agora (9,30) na interseção das Ruas Eratosthenous e Avenida Vassileos Constantinou; a outra metade está na Rua Ardittou; relatórios sobre pelo menos um manifestante ferido.

01.00 [GMT+2]: A brutalidade policial continua. Os polícias batem furiosamente nas pessoas. Manifestante relatou que uma enfermeira também foi atacada ferozmente e ficou gravemente ferida. O Centro Médico da Praça Syntagma faz apelo por produtos farmacêuticos, médicos voluntários, médicos, enfermeiros. Há uma necessidade urgente da presença de pessoas que possam prestar os primeiros socorros.

00.45 [GMT+2]: Na parte superior da praça os ‘indignados’ gritam contra os esquadrões de polícia. Na Praça, um monte de pessoas estão a dançar. Na parte inferior os confrontos continuam.

00.44 [GMT+2]: O espaço do metro em Atenas “vibra” com os slogans gritados pelas pessoas “A Junta não terminou em 1973”. Funcionários do metro desafiam as ordens da polícia e, em vez de bloquearas  entradas das estações ajudam as pessoas a fugir das forças policiais.

00.40 [GMT+2]: Duas detenções são referidas até agora, gás lacrimogêneo contínuo no lado superior da praça, em frente ao Monumento do Soldado Desconhecido.

00.30 [GMT+2]: Atenas: Polícia motorizada  e esquadrões da polícia lançam uma grande operação na zona do Stadium; detenções e espancamentos selvagens. De acordo com correspondentes, um manifestante sofreu espancamentos com cassetetes e foi chutado pelos polícias durante pelo menos cinco minutos.

00.04 [GMT+2]: Kalamata, Peloponnese: No momento, pelo menos 100 pessoas marcham para o posto de polícia da cidade protestando contra a repressão na Praça Syntagma.

Tradução: Liberdade à Solta e Fogogrego para Contra Info

No comments yet to Quarta-feira 29 de junho: Atualizações constantes

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>