Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Berlim: Atualização pelo Grupo solidário Gürtelstraße 39

Nota dos tradutorxs: Encontra-se em baixo uma atualização (a partir de 27 Agosto de 2014) recuperada de linksunten.indymedia.org. Não podemos compartilhar todos os pontos de vista expressos, mas sentimos que oferece uma boa visão geral da situação. O texto original, em alemão, também foi difundido nas ruas.

Xs refugiadxs ainda se encontram em protesto no telhado do albergue na Gürtelstraße 39, em Friedrichshain, em Berlim. Protestam porque as promessas, que lhes foram feitas em Oranienplatz, na primavera, não foram implementadas. Protestam porque exigem o direito de permanência para todos.

Em Abril deste ano, ocorreram negociações individuais entre um grupo de refugiadxs e o senador Delik Kolat,  em Oranienplatz. O acordo incluía que o grupo removesse as tendas na Oranienplatz. Em troca, deviam obter acomodações assim como os seus pedidos legais, para direito de residência, seriam totalmente analisados. Já nesse momento surgiram conflitos entre aqueles que aceitaram a oferta e os que consideram todo o processo como palavras vazias apenas, e que queriam ficar na Oranienplatz, para lutar pelo direito de ficar e contra a acomodação em campos de migração e residência obrigatória.

No início desta semana cessou o prazo para acomodações nos locais onde os refugiados, que participaram no acordo, têm vivido. A maioria deles foram informados verbalmente disso na segunda, 25 de Agosto.  A partir de terça-feira, a maioria deles foram despejados nas ruas, sem meios. Um casal de refugiadxs  foi para o telhado da sua acomodação, em Gürtelstraße 39, antes de ser expulso, permanecendo lá a protestar.  Exigem falar com o senador Kolat e o direito de permanência por todxs. Dizem que não vão deixar o telhado, enquanto as exigências forem ignorados; que estão preparadxs para saltar, se a polícia quebrar o protesto pela força.

Entretanto, a bófia bloqueou as ruas circundantes desta acomodação. Desde a manhã de terça-feira que se encontram ocupadas pelas forças de repressão não só a Gürtelstraße, mas também a Dossestraße. Os moradores são obrigadxs a mostrar a sua identificação, em ordem a chegar às suas casas, sendo escoltadxs até lá, pela bófia. Tudo isto faz lembrar os bloqueios de algumas semanas atrás, na rua Ohlauer (em Kreuzberg). Ainda não está claro por quanto tempo estão agendadas as zonas de exclusão. Neste momento, a bófia não tomou de assalto o telhado na Gürtelstraße, mas permanecem no interior do alojamento.

Durante toda a terça-feira, advogados, médicos e apoiantes tentaram obter em vão uma permissão para chegar às pessoas no telhado. Mas o director da operação policial não lhes deu permissão. Deste modo, os refugiados encontram-se privados dos seus direitos básicos de assistência jurídica, comida e bebidas. Uma pessoa no telhado tem necessidade urgente de um medicamento vital. Também não é permitida a entrega em mão da medicação para xs refugiadxs. Enquanto isso, a electricidade e a água foram cortadas. O operador do albergue emitiu uma queixa por violação da paz doméstica contra xs refugiadxs. Tanto o Senado como a bófia estão a agir de forma ilícita e com misantropia.

Desde terça-feira que existe uma concentração permanente no cruzamento da Scharnweberstraße com a Gürtelstraße. Das nove da manhã  às dez da noite, há um sistema de som que também é utilizado como  “local de informações”. Alimentos e bebidas regulares são necessários para a concentração. Sucessivamente, as pessoas que foram expulsas das suas acomodações, convergem para o ‘local de informações”, em necessidade urgente de lugar para dormir. Ainda precisamos de pessoas que possam fazer turnos ou que simplesmente possam permanecer lá e apoiar os protestos de forma vocal. Se quiser ajudar, pode vir para o “local de informações”.

Também terça-feira que ocorrem  frequentes hostilidades, feitas por racistas, contra participantes na manifestação e refugiadxs. Nesse próprio dia a coisa foi tão longe que até um hóspede do pub (visitante do bar “Zum Igel”) na Scharnweberstraße,  foi cortar os cabos do sistema de som. Deve ter cuidado quando vier para a concentração.

Cuidemo-nos uns axs outrxs! Seja criativx, planeie algumas ações, apoie os protestos das pessoas no telhado! Qualquer apoio é uma necessidade urgente, também à noite!

Declaração a 27 de Agosto, dxs refugiados no telhado da Gürtelstraße 39:

“Do nosso ponto de vista, os pedidos não foram minuciosamente examinados.

Neste momento exigimos o acesso a alimentos e bebidas, acesso a medicamentos, electricidade e água.

Apelamos aos representantes da Administração Social, aos membros da Comissão para a Integração, à Secção de Imigração e ao senador Kolat para iniciar as negociações. Para isso, precisamos de acesso garantido aos nossos advogados.

Em princípio, exigimos que os pedidos sejam reexaminados. Segundo o acordo, exigimos a transferência de todos os casos dos outros estados da Alemanha Federal para Berlim.

Exigimos assistência básica nos termos da lei, incluindo alojamento e a garantia de cuidados de saúde, que foi completamente negada contrariamente à lei.

Apelamos aos media para não desviar o olhar, antes sim informar sobre a situação.

Estamos desesperadxs e com raiva!!!”

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>