Arquivo de etiquetas: Sirio Manfrini

Bolonha: Cartaz sobre o processo acerca dos acontecimentos da Praça Verdi em 2007

Prefiro a loucura à vossa normalidade

A 15 de Julho de 2014, foi concluída a investigação do processo contra quatro companheiros e uma companheira, relacionado com os fatos ocorridos em 2007, em Bolonha, na Praça Verdi*, e que não chegou ainda ao final do julgamento em primeira instância.

Na ocasião, o acusador do ministério público, Simone Purgato, pediu penas altas, variando de 6 anos e meio a 7 anos e meio de prisão, contra os cinco anos, na altura em que foram detidxs e encarceradxs por obstruir um TSO.

Estes pedidos de penas são, obviamente, uma tentativa de criar um precedente e intimidar xs companheirxs. Da mesma forma, foram inventadas acusações contra elxs numa típica montagem de estado, para os fazer parar e reprimir.

A 17 de Outubro de 2014, às 10h00, haverá outra audiência na qual poderá ser dada a sentença.

Conscientes de que os verdadeiros lunáticos estão cá fora, mantemo-nos firmes, nem um passo atrás!

Máxima solidariedade e complicidade com Madda, Sirio, Fede, Juan e Fako!

Anarquistas

* Nota dxs tradutorxs: A 13 de Outubro de 2007, por volta das 4:00, uma jovem mulher que estava a dormir na Praça Verdi é notada por polícias, que decidem que o comportamento da jovem deve ser “corrigido” por tratamento sanitário obrigatório (TSO). À força, mantêm a jovem sob sua custódia e chamam uma ambulância para a comprometer a ir para um hospital psiquiátrico, contra a sua vontade.  Juan Sorroche Fernandez, Cristian Facchinetti (Fako), Federico Razzoli, Sirio Manfrini e Maddalena Calore, cinco compas do espaço anarquista Fuoriluogo, presenciaram o incidente e tentaram bloquear o pessoal da ambulância, numa tentativa de libertar a jovem mulher. A reação da polícia foi imediata e brutal. Pouco tempo depois, xs anarquistas foram algemadxs, tendo sido largamente espancadxs pelos polícias. As acusações inventadas contra eles são muito pesadas​​, incluíndo acusações de assalto (segundo a acusação, os compas levaram um par de algemas e um walkie-talkie, e tentaram roubar a arma de um dos polícias durante a confusão).