Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Contra Info: Rede tradutora de contra-informação

Contra Info é uma rede internacional de contra-informação e tradução, uma infraestrutura mantida por anarquistas, anti-autoritárixs e libertárixs ativxs em diferentes partes do mundo. Ler mais »

Atenas: Buldozer da empresa eléctrica DEI incendiado em Exarchia

nova-imagemNa madrugada de 2 de Dezembro de 2016, na intersecção das ruas Akadimias e Themistokleous, um buldozer ao serviço da empresa eléctrica DEI não conseguiu aguentar mais e decidiu acabar com a sua rotina automatizada. Antes da imolação a pobre máquina parece que disse:

“Solidariedade com as compas Siao, Hodey e Maya, recentemente detidas na Alemanha por terem defendido o bosque de Hambach!

Força à anarquista Natalia Collado, presa no Chile por ter libertado através do fogo um autocarro da empresa Transantiago!”

em grego | espanhol | inglês

[Politécnica de Atenas, 10 de Dezembro] Discussão com companheirxs de Berlim

plakat10-12Da luta na Rigaer Strasse (Berlim) às mobilizações contra o G20 (Hamburgo)

Este verão, Berlim foi o centro de um confronto entre a polícia e o que resta do que antes era um movimento de okupação. Por trás disto encontra-se a tentativa de despejo das zonas okupadas do projeto habitacional Rigaer94. Rigaer94 está localizado na parte norte de Friedrichshain com uma longa história de luta contra a influência do Estado. As três semanas de cerco ao 94 tornaram-se quase de seguida num ponto de cristalização para um contra-ataque conjunto de anarquistas, culminando numa chamada para um Julho Negro, expressando este as ideias da luta anarquista polimorfa em ação. Fortalecida pela batalha que levou a uma pequena vitória, defendendo com sucesso o Rigaer94 contra a expulsão, a ofensiva continua na próxima mobilização contra a cimeira do G20 em Hamburgo, em Julho de 2017. Já existem chamadas internacionais para ações descentralizadas afim de ser criada uma dinâmica que convide para Hamburgo todos os combatentes rebeldes em condições e dispostos a atacar.

Companheirxs de Berlim irão falar sobre a luta contra a gentrificação em Berlim, o o papel do Rigaer94 e ainda sobre os projectos de anarquistas em ação.

Sábado 10 de Dezembro, às 19:00, edifício Gini
Escola Politécnica de Atenas (entrada da rua Stournari), Exarchia

Companheirxs do Espaço Polimórfico de Ação de Anarquistas Zaimi 11
Okupa Themistokleous 58
& Contra Info rede de contra-informação e tradução

em inglês, italiano

Alemanha: Atualização do caso Aachen- sessão de julgamento de 1/12, anúncio da data do veredicto

duendeHoje, 1/12, foi o último dia de julgamento referente à apresentação das provas a favor ou contra a companheira de Amesterdão acusada pelo ministério público de Aachen de um roubo de banco ocorrido em julho de 2013, na mesma cidade.

Isso significa que na próxima data de julgamento (5/12) tanto a defesa como o ministério público irão argumentar os seus fundamentos, marcando a conclusão deste processo judicial. Hoje, o juiz disse que o veredicto já poderia ser na segunda-feira, 5 de Dezembro, mas também falou na possibilidade dos dois juízes e dos dois jurados terem mais tempo para deliberar e pronunciarem o veredicto na quinta-feira, dia 8. Ambas as datas do tribunal estão agendadas para começar às 9:30, assim, para quem quer estar presente, não se esqueça que as linhas e controles extras podem levar até 45 minutos para serem passadas.(Estar lá o mais tardar às 8:45 !!)

Desde a última actualização deste caso que um outro carrossel de peritos e polícias orgulhosamente cumpriram a sua obediente colaboração a este circo judicial repulsivo.

Na segunda-feira 28, manhã cedo, tivemos o prazer de escutar um polícia de coro, presente sobre este caso desde o início, recolhendo informações da companheira desde a Bulgária, em Julho de 2015 e assistindo à maioria das visitas que aquela teve na prisão. Durante a investigação, este bófia entrevistou os guardas da prisão perguntando se, na verdade, a companheira falava alemão. Aqueles responderam afirmativamente, mas afirmando claramente que havia um sotaque holandês muito distinto e com frequentes erros gramaticais. Tentando passar a imagem de um especialista em linguística, o bófia descaradamente propôs que a nossa companheira estava de fato representando um papel, no qual estava fingindo sempre que não podia falar alemão perfeito. Se a declaração do bófia fosse verdadeira, esta seria compatível com a declaração de um dos dois empregados do banco ao afirmar que a mulher disfarçada falava bem alemão.

Depois disso veio o especialista em DNA, que só poderia afirmar que tem a certeza de que o DNA era da companheira mas que não poderia de forma alguma determinar quando, como ou porque é que este traço apareceu nas pistolas.

Durante a tarde, no mesmo dia, o juiz tomou em consideração e leu em voz alta uma carta que a acusação apresenta como palavras da companheira camarada. Esta carta “Com a meia-noite no coração”, apareceu pela primeira vez na revista Avalanche, correspondência anarquista, em dezembro de 2015. Esta carta foi publicada anonimamente.

O ministério público apresentou um outro documento enviado pelos seus amigos na Catalunha, os Mossos d’Esquadra, em que se fala da sua investigação anti-terrorista contra xs anarquistas de Barcelona ligados ao GAC (gruppos anarchistas coordinados). O ponto principal deste documento foi a insinuação de que os mossos precisavam de encontrar uma maneira de explicar como a sua montagem de organização terrorista se financiara. Uma tentativa ansiosa de construir um motivo, ao qual até mesmo o juiz comentou com “não podemos verificar nada disso”.

Na quinta-feira, dia 1 de Dezembro, o tribunal deu (muito) tempo a um professor de um instituto de medicina forense biológica. Este professor de controle e bizarrice aparece no tribunal cerca de 110 vezes por ano para dar a sua valiosa opinião sobre a probabilidade de uma determinada imagem cctv ser compatível e comparável com as características de um indivíduo suspeito. Este professor de perversão da vida, depois de transformar um corpo humano num algoritmo biométrico, prossegue com ele, através de um cálculo matemático, classificando numa escala de 0 a 4, a probabilidade do jogo. No entanto, neste caso, dada a má qualidade de imagem da cctv e o bom disfarce do cliente de manhã cedo, ele não poderia muito dizer. Assim, depois de examinar as pequenas seções do corpo que eram mais ou menos visíveis através da filmagem, chegou à valiosa conclusão de especialistas de que não há semelhanças distintas entre as imagens da cctv no banco e da companheira.

À tarde, o tribunal passou por cima de algumas transacções bancárias insignificantes que ocorreram durante o Verão de 2013.

Noutro registo foi agradável vermos que o tribunal foi já ocupado com algumas decorações de Natal. Ao longo das últimas semanas, alguns pequenos elfos da noite decoraram, com algumas lindas bombas de tinta verde e vermelha, a fachada do edifício …

Solidariedade e raiva

Espanha: Mês de solidariedade (19 Nov/19 Dez) – 10,100,1000 centros sociais okupados

Mês da solidariedade e luta pela Okupação.

Mês da solidariedade e luta pela Okupação.

A maneira de expressar o apoio depende dos meios e das possibilidades que cada um ou uma, mas sugerimos que se procure estender, enquanto for necessário, as ações de todos os tipos e atividades que ilustrem a nossa posição e determinação de serem feitas durante este mês, não cedendo nem ao Estado nem às suas chantagens.

Com esse fim criamos a web: okupamadrid.espivblogs.net onde iremos recolher e enviar a todos as ações, declarações, apelos.

Entendemos a okupação como uma ferramenta de luta cujo objetivo principal não será a criação de espaços onde se desenrolem atividades lúdico-culturais mas sim uma estratégia de combate na qual a teoria e a prática tomam forma em simultâneo atacando um dos pilares básicos da Democracia capitalista: a propriedade. A sua importância transcende o puramente logístico, facilitando a aproximação entre companheirxs, gerando redes de afinidade, difusão e solidariedade, pontos de encontro onde debater, fazer autocrítica e compartilhar experiências. A okupação não é um fim mas sobretudo um meio que permite que nos organizemos e conspiremos. Uma expressão tangível da ideia de “faz-lo tu mesmx”.

O poder tem-se dedicado a fundo para eliminar a partir da raiz qualquer projeto de auto-gestão pois através deles evidencia-se a capacidade das pessoas para se auto-organizarem à margem do sistema. As estratégias desenvolvidas nesse sentido têm sido muitas. Das formas de repressão mais duras – rusgas, detenções, montagens policiais, etc. até outras mais “simpáticas” baseadas na via da negociação. Apesar das diferenças estéticas, o fim último de todas estas estratégias é sem tirar nem pôr o controlo e a domesticação (DAS NOSSAS IDEIAS E PRÁTICAS) dos movimentos sociais.

Há já algum tempo que a Câmara Municipal de Madrid, uma das auto-denominadas  câmaras “da mudança”, pôs em marcha uma campanha de acosso, intimidação e desgaste contra os centros sociais okupados da cidade. Mascarando as suas intenções reais com uma atitude de diálogo imposta, emprega a chantagem para conseguir a assimilação destes colectivos. O que nos venderam como um exercício de tolerância e entendimento, como um esforço de criação de tecido social não passa de uma intenção de desmobilização e debilitamento de todxs aquelxs que não passam pelo aro. Utilizando mecanismos burocráticos como as revisões do estado dos edifícios ou a necessidade de inspeção das atividades desenvolvidas a câmara oferece duas únicas opções: ou a regularização ou o despejo. Dá-se a possibilidade de continuar com as atividades dos centros sociais sempre e quando passarem a estar supervisionadas pela autoridade competente; ou na localização atual mas constituindo-se em associações legalmente reconhecidas ou então solicitando la cessação de outro espaço público. Como método de pressão recorre-se a sanções administrativas, avaliações, inspeções, identificações assim como visitas reiteradas da polícia municipal. O quadro regulamentar no qual são definidas as diretrizes da atribuição dos espaços públicos para grupos da cidade, aprovado pelo conselho municipal em fevereiro de 2016, estabelece as bases para polarizar o movimento de okupação, mais uma vez, entre projectos legais e ilegais.

Como anarquistas acreditamos que a okupação não é passível de legalização quando precisamente o seu objetivo é transgredir todas as regras que a estrutura política, social e económica nos impôs. Aceitar as suas normas suporia legitimar a sua tutela. Posicionamos-nos frontalmente contra a criação de espaços okupados sob o abrigo de qualquer instituição do Estado e recusamos toda a negociação, pacto ou diálogo que implique renunciar total ou parcialmente às nossas posições de ação e de confronto direto.

Acreditamos no conflito. Acreditamos que quem queira derrotar o Estado não o pode combater a partir de dentro. Por isso mesmo, chamamos à solidariedade com os centros sociais okupados ameaçadops de desalojo em Madrid e, por extensão, com todas as okupações que enfrentam o poder, não cedendo às suas ameaças.

A maneira de expressar o apoio depende dos meios e das possibilidades que cada um/a tenha mas incentivamos a que, durante este mês, e se possível por muito mais tempo enquanto faça falta, se realizem ações de todo o tipo assim como atividades que tornem visível a nossa determinação de não ceder nem ao estado nem às suas chantagens.

Multipliquemos as ideias e práticas anti-autoritárias de solidariedade e luta.

10,100,1000 Centros Sociais Okupados

em inglês italiano alemão

Santiago, Chile: Ação frente à Direção Nacional do Corpo Policial [23/11/2016]

Gendarme cobarde, mataste e torturaste!!!

Gendarme cobarde, mataste e torturaste!!!

2-1

81 pessoas assassinadas pelo estado terrorista no incêndio da prisão de San Migue. Abaixo os muros das prisões!

Javier Pino, preso na na Colina II. TORTURADO pela gendarmeria a 19 de Nov. 2016. O silêncio te faz cúmplice!

Javier Pino, preso na Colina II. TORTURADO pela gendarmeria a 19 de Nov. 2016. O silêncio te faz cúmplice!

4CÁRCERE=TORTURA
As prisões são centros de extermínio de pobres e de quem luta contra este sistema!!!
Gendarme cobarde, mataste e torturaste!!!
Solidariedade con Javier Pino, torturado pela Gendarmeria na Colina II,  19 de Nov. 2016.
A 6 anos do massacre de 81 pessoas na prisão de San Miguel: Nem perdão nem esquecimento, só luta!!!

Espanha: Solidariedade com xs companheirxs que lutam vinda de Palencia

Liberdade- anarquistas presxs

Liberdade- anarquistas presxs

Nahuel - liberdade

Nahuel – liberdade

Liberdade - compas expropriadorxs

Liberdade – compas expropriadorxs

Nesta luta com tantas frentes abertas podemos, unicamente, nos tentar solidarizar com xs compas anarquistas em plena luta, tanto dentro como fora das grades, levando a nossa luta com a máxima coerência possível.

Pintadas e colagem de propaganda em Palencia (Península Ibérica) pelos nossxs compas.

Se acreditamos que pouco funciona pelo menos que funcionemos nós, a norma existe para que se rompa com ela, a lei para a saltar, as grades para as retirar, os muros para os derrubar, as massas para as evitar, a noite para a amar, o fogo para para o libertar e a vida para lutar.

Animamos a todxs para se escrever aos/às compas presxs, para se lhes enviar força e ânimo.

Pela anarquia, pela revolta, instinto, persistência e muita força.

em grego

Ilha de Creta, Grécia: Veículo do corpo diplomático incendiado em Chania

kemadoNa madrugada de 14 de Novembro, na cidade de Chania (Ilha de Creta) incendiámos um Citroen C5, um veículo pertencente ao corpo diplomático. O veículo ficou completamente carbonizado. Enquanto exista Estado e Capital, não vacilaremos em atacar os seus meios e estruturas em qualquer oportunidade que tenhamos. Com esta ação enviamos uma mensagem de solidariedade a todxs xs que resistem e se rebelam em cada canto do planeta.

Liberdade para todxs xs nossxs compas anarquistas que estejam presxs nas masmorras do Estado.

Força aos/às membrxs da Luta Revolucionária, Conspiração de Células de Fogo e ao anarquista-comunista Tasos Theofilou nos seus julgamentos de apelação a ter lugar agora assim como aos/às anarquistas envolvidxs nestes casos.

Solidariedade com xs detidxs nos distúrbios de 15 e 17 de Novembro.

Anarquistas

em espanhol

Prisão de Ferrara, Itália: Carta do companheiro anarquista Alfredo Cospito sobre a operação Scripta Manent

panteraEste texto foi escrito por Alfredo durante a sua recente greve de fome, começada a 3 de Outubro e terminada a 25 de Outubro, altura em que as autoridades da prisão o libertaram do isolamento.

Valentina, Danilo, Anna, Marco, Sandro, Daniele, Nicola – amigos, irmãos, irmãs, companheirxs que foram detidxs e de novo detidxs.

Deveria narrar a mesma velha história sobre outra fabricação. Em vez disso, desejo falar sobre o motivo pelo qual elxs foram detidxs. Os irmãos e irmãs foram presxs porque atacaram, estavam cansadxs de esperar, ignoraram-se as decisões da maioria e tomaram-se medidas.

Permaneço otimista e animado porque a lógica de ‘1 + 1 = 2′ diz-me que xs companheirxs que atacaram ainda estão livres, são capazes até de atacar novamente.

O poder não reprime aleatoriamente. Hoje quer isolar e aniquilar parte do movimento anarquista, que tão “pequeno” quanto possa ser foi capaz de quebrar as correntes que o amarravam à velha “Anarquia social”.

Um anarquismo social que de uma maneira suicida e compulsiva procura “consenso a todo custo”. Diluindo continuamente as suas aspirações.

Esta visão que “nunca vai além’ é muito conveniente para o poder que, pelo contrário, teme aqueles anarquistas que recusam que o ‘consenso’ amarre as suas mãos, porque acreditam que só fora da ação (não feita de teorias abstractas ou buscando – perseguindo ‘pessoas’) pode nascer a estratégia, o caminho a seguir.

Não quero comentar as “acusações” e as chamadas “evidências”. A única coisa que eu diria é que os irmãos e irmãs da FAI-FRI sempre reivindicaram com as cabeças erguidas, na frente dos porcos da toga preta, os seus próprios méritos, suas próprias ações, assumindo plena responsabilidade, cuspindo nas faces dos porcos , como o mantivemos em Génova.

A minha prioridade principal não é sair da prisão a todo custo, mas sair com a cabeça erguida sem ter renegado nada do que eu era e do que sou.

Eu sairei de forma boa ou de forma ruim, tudo dependerá da minha força, das minhas capacidades, da força de meus irmãos e irmãs lá fora, mas certamente  sairei com a cabeça erguida.

A minha cumplicidade ideal vai para os irmãos da “Cooperativa Artigiana Fuoco ed Affini” – FAI; os irmãos e irmãs da FAI-RAT (Rivolta Anonima Tremenda); os irmãos e irmãs da Narodnaja Volja – FAI, quem quer que sejam, onde quer que estejam.

A minha cumplicidade ideal vai para o anarquismo da práxis, o qual em novas formas está ressurgindo em boa parte do mundo, depois de uma longa hibernação.

Avante sem medo.

O futuro é nosso.

Pensamento e dinamite

Alfredo Cospito

em inglês via insurrectionnews

Chile: Comunicado das Células de Propaganda Moica Morada e atualização do “Caso PDI”

1977-544x819Às vezes, observamos como a fadiga, opressão e o desespero começam lentamente a consumir-nos. A ansiedade percorre o nosso corpo, a paranóia cresce, muitxs de nós encontramos-nos com o peito apertado perante o abismo que nos tenta a cair, as emoções voam e sentimentos correm de forma selvagem através dos nossos corpos, é verdade, não somos imunes ao nosso entorno, em especial nas situações extremas e devemos precavermos-nos para que nenhuma gota caia ao longo do caminho.

Escrevemos este parágrafo breve como parte da nossa pequena confissão, há que ser honesto, este caminho é difícil e extenso mas uma coisa que aprendemos é que gostaríamos que cada leitor dos por vezes confusos comunicados, ou um pouco confusos pelo menos, entendesse que não podemos vacilar ou abrandar as nossas posições – parece complexo mas isso vai permitir-nos criar um mundo novo no nosso coração. Por isso mesmo, as nossas chamadas são no sentido da solidariedade para além da afinidade; é chegada a hora de conceber uma grande rede de solidariedade que não seja apenas um grupo fechado numa sala discutindo entre si, mas que cada gesto, cada determinação individual ou em grupo, cada acção insurreicional, cada grito contra a autoridade, cada golpe contra o poder, contribuam para a construção de uma união em acção em cada anarquista, anti-autoritárix e insurretx ou anti-carcerárix, para além do momento do ato em si, sendo isto uma receita inútil se não se quiser espalhar o gesto pelos meios que conhecemos. Mas chega de falar sobre nós; não procuramos aqui posicionar as nossas próprias ideias e é importante não perder nunca de vista esse foco! Então, vamos lá:

Há um mês que se fez uma chamada solidária a qual obteve um eco de alegria por todo o mundo, demonstrando dessa forma que a solidariedade não tem limites nem fronteiras fictícias, determinadas por estas nações – já que por regiões tão longínquas, como por exemplo Grécia ou Espanha, encontrarem eco numa chamada deste tipo é que há que deixar claro que não se pode dar nem um passo atrás nesta guerra. É também nossa opinião que é importante propagar as acções que emanaram de diferentes lugares para que não sejam retidas no silêncio nem sejam afogadas na voragem da urbe.

15 de Out: Grécia: ataque com bombas molotov contra esbirros.

18 de Out: Solidariedade ativa com xs compas do caso PDI a partir do Liceu Manuel Barros Borgoño. Traduzidos em alemão e grego.

19 de Out: Solidariedade ativa com xs compas do caso PDI a partir do Liceu Manuel Barros Borgoño. Mais o vídeo do ataque contra os carros da polícia.

19 de Out: Santiago: Bomba de ruído contra recinto que guardava una antena celular electromagnética.

19 de Out: Grécia: Faixas em solidariedade com o “Caso PDI”. (I e II)

20 de Out: Santiago: Jornada pela libertação dxs presxs da guerra social na UAHC.

21 de Out: Santiago: Concentração durante uma nova tentativa de início da fase de audições do julgamento.

23 de Out: Cartaz solidário com xs compas do “Caso PDI”.

23 de Out: Santiago: Ataque explosivo a sucursal do BancoEstado em Macul.

26 de Out: Comunicado de Nicolás Rojas e Joaquín Garcia.

E muitas mais acções anónimas que dotaram de gestos esta interrupção que sendo só simbólicas não representam nenhuma espécie de limite. Todas estas acções geram a solidariedade que tão necessária é nestes tempos adversos nos quais  o Estado e os seus cães de colo deambulam em busca de vingança perante as acções anti-autoritárias que atentaram contra a sua falsa normalidade, sendo que esta adversidade não nos deve encontrar sózinhxs, a chamada é para o auto-cuidado e ao cuidado de nós mesmxs, frente ao inimigo.

A modo de atualização só referir que, na passada audiência do dia 10 de Novembro, se adiou novamente o início da fase oral para o dia 28 do mesmo mês, de modo a serem articuladas novas defesas e algumas reparações técnicas que não vêm ao caso. Por isto mesmo, foi lançada ao vento uma nova chamada à solidariedade, face à vingança inquisitorial planeada pelos juízes e à brigada de delitos complexos da PDI que andam a ver se prolongam o sequestro dxs nossxs companheirxs para 23 anos de presídio efetivo.

A chamada não é para claudicar e há que gritar aos 4 ventos que viva a anarquia, pois as nossas mãos têm fogo, chumbo e xs seus pescoços são o nosso objectivo, não deixando ninguém só!

SOLIDARIEDADE E ACÇÃO PELA LIBERDADE DOS PRISIONEIROS DO ESTADO E CAPITAL NO MUNDO!

PRESXS EM GUERRA EM LIBERDADE JÁ!

AMARU, FELIPE, MANUEL, NATY E Mª PAZ EM LIBERDADE AGORA!

Células De Propaganda Moica Morada

em espanhol

[Atenas, 23/11] Contra a sociedade carcerária: Atividade com companheirxs da CNA Bloomington

23nov_exarchiaEvento cujo tema é a luta contra a sociedade carcerária nos EUA, contando com a presença de compas da Cruz Negra Anarquista de Bloomington (Indiana)

Quarta-feira, 23 de Novembro, às 20:00 horas, no edifício Gini Politécnico (entrada da rua Stournari), Exarchia

Okupa Themistokleous 58
& Contra Info, rede tradutora de contra-informação

Porto Alegre, Brasil: Portas da paroquia São Pedro queimadas no bairro Floresta

Recebido em 15/11/2016:

A terra costuma, de tempos em tempos, fazer rebrotar rebeldemente aquilo que se pensava extinto.
São brotos de raízes rebeldes e sementes que se espalham com o vento.

Aqui, esta terra já cansada, conheceu o projeto da civilização ocidental a poucos 500 e tantos anos e, desde então as empreiteiras do domínio tem drenado toda a vida disponível para executar seus desejos.
Para cada navio de expedição e conquista, chegavam com eles os objetos de adoração, a mística que, ao serviço do poder, pretendia dominar mentes, corpos e espíritos.

Em cada novo povoado o projeto civilizatório tentou se impor: a igreja no centro, omnipresente, um mercado, um governo, uma cadeia… Missa, sermão, leis e castigos. A tarefa educativa da igreja soube muito bem vigiar e punir. O espancamento em praça pública e as execuções eram espetáculos que afirmavam a norma: “faz o que digo ou te arrebento”.

Seu projeto se implantou com mentiras, fogo e bala
Falar a língua, escutar as vozes, se tornou proibido
E à aquelxs que se resistiam, arrancavam-lhes língua e orelhas
Acaso queriam que não ouvíssemos as vozes do mundo que nos rodeava?
Essas vozes nem sempre humanas…

O motor da civilização é a violência, o terror e a obrigação que busca o benefício de alguns provocando o sofrimento do resto. O olho conquistador, opressor, hoje burguês, transforma tudo o que vê em objeto de desejo, de possessão e benefício, assegurando para si o privilegio e a dominação.

O mundo inteiro se consome no interesse das elites. Se produz, se consome, se morre, sem ser donos das vontades e destinos.
O carrasco, fala em moral e bem-estar. Educa no “bom viver” e oferece a salvação. Com sua boca nojenta devora tudo o que pode, e assim devora, as vidas.
Fala de paz. Fabrica armas.
Fala em bem-estar. Envenena com seus negócios.
Fala em liberdade e impõe a escravidão da obediência.

Porém o sangue dxs guerreirxs correu em rios e córregos e alimentou a terra calada. E em cada pedra, cada rio, cada árvore está escrito o inominável…

Hoje, festejamos pelos nossxs mortxs, festejamos com nossxs antepassadxs. Suas vidas nos acompanham, seus passos são os nossos. Festejamos suas vidas combativas e rebeldes, as pontas de lanças que perfuraram os olhos dos conquistadores portugueses, franceses, ingleses e espanhóis, civilizadxs. Celebramos suas rebeldias contra a inquisição, as insurreições contra os inmigxs civilizadorxs. Sua vingança é a nossa. Festejamos sua memória através das chamas que provocamos nas portas duma igreja. A mesma Igreja civilizadora de faz 500 anos, símbolo da moral civilizatória e cidadã …porque sabemos que o deus que criaram é um ditador eterno…

Guerra contra a civilização e seu Estado…

Atenas: Anarquista Thodoris Sipsas absolvido de todas as acusações no caso do incêndio do banco Marfin

thodoris-sipsasNo dia 31 de Outubro de 2016, terminou o julgamento sobre o incêndio de 2010 no banco Marfin.

Thodoris Sipsas foi absolvido por unanimidade!

(Através da Assembleia em solidariedade com o companheiro Thodoris Sipsas)

inglês

Prisões espanholas: Atualização – Mónica Caballero e Francisco Solar

cartel-direcciones-moni-y-panchoCartaz com as direções atuais dxs companheirxs presxs Mónica (transferida a Villabona) e Francisco.

No cartaz pode ser lido:

Não podemos entender, criticar e por conseguinte atacar o cárcere se o considerarmos como um ente isolado em si mesmo, desligado do mundo, da realidade e de nós. Se o vermos como uma fortaleza, esta permanecerá inexpugnável“.

PARA ESCREVER AO/À COMPANHEIRXS ANARQUISTAS NA PRISÃO

Mónica Caballero Sepúlveda
Francisco Solar Dominguez

C.P Villabona
Finca Tabladiello s/n
33422. Villabona Llanera. Asturias. España – Espanha

info em efectopandora.wordpress.com

No dia 19 de Outubro de 2016 realizou-se, no tribunal supremo, a sessão para o recurso das sentenças emitidas contra Mónica Caballero e Francisco Solar – pelo caso do petardo na seita da basílica del Pilar de Saragoça, tendo sido condenadxs, na altura, a 12 anos de prisão.

Santiago, Chile: Ataque explosivo a sucursal do BancoEstado em Macul

bamÉ de noite, 23 de outubro, comuna de Macul, $antiago. Vésperas do circo eleitoral.

Reivindicamos a sabotagem ao bancoEstado.

Chegam e sobram os motivos para se incendiar, concretizando-se a ofensiva anárquica contra os templos ao seu deus dinheiro.

Através da ação ampliamos o compromisso na revolta. Máxima disposição para o agudizar do conflito contra o Estado, o Capital, o Poder e toda a Autoridade.

Saudamos todxs xs companheirxs encarceradxs a enfrentar julgamentos e processos durante o decorrer destas últimas semanas.

Ignacio Muñoz

Manuel, Amaru, Felipe, Maria Paz, Natalia

Juan, Enrique, Nataly.

Cumplicidade total com todxs vós

Brigadas Autónomas pelo Incêndio.

Chile: Cartaz solidário com xs compas do “Caso PDI”

afichecasopdi-544x364

“Solidariedade ativa e combativa com xs presxs em luta // Aprender de todas as áreas em conflito, coordenar atos de guerra, apoiar os perseguidxs, castigar os repressores, acompanhar xs nossxs presxs e integrar a luta anticarcerária, manter vivxs xs nossxs mortxs”

No âmbito da semana solidária com xs compas do “Caso PDI”, fizemos um cartaz para o espalhar por todos os cantos. Já o começamos a pôr nas ruas. Não ficaremos impávidos e serenos ante a chamada realizada por companheirxs numa clara mostra de cumplicidade com xs acusadxs do ataque incendiário aos miseráveis ratis [polícia de investigação do Chile] em Novembro de 2014; como anti-autoritárixs para nós era uma urgência esta resposta.

Maria Paz, Natalia, Amaru, Felipe e Manuel em liberdade já!
Continua a guerra social contra a ofensiva do Estado!

Atenas: Comunicado de participação nos combates de rua de 19 de Outubro

fragmentNa noite de 4ª feira de 19 de Outubro, tomamos parte em motins à volta da Politécnica, em Exarchia – juntamente com muitos outros grupos e individualidades – durante várias horas, com ataques constantes com molotov, pedras e fogos de artifício contra a polícia de choque (MAT).

Os combates de rua, sob qualquer das suas formas (saídas incendiárias de universidades, manifestações selvagens, etc.) fazem parte do ataque multiforme anárquico contra o poder e a normalidade imposta. Devido às suas características, é uma das formas mais efectivas de evidenciar o conflito entre a anarquia e do mundo do poder. Por isso, apoiamos a propagação desta e de outras formas de luta, a fim de desestabilizar e semear o caos até ao colapso do existente.

Não nos queremos limitar à rotina do ódio anti-polícia, por isso ao mesmo tempo que atacamos a bófia promovemos a prática do ataque às estruturas e símbolos da dominação, desde os mais evidentes como bancos e ministérios a elementos urbanos que se destinam ao funcionamento normal da metrópole: sinais, semáforos, câmaras, paragens de autocarro … bem como as representações, símbolos e ídolos do Poder na forma de ícones, monumentos, estátuas …

Ao mesmo tempo, as barricadas e os ataques aos meios de transporte (autocarros, autocarros eléctricos, metro … sem passageiros dentro) são formas de interrupção do fluxo normal de pessoas e bens e de sabotagem contra as empresas estatais e privadas que administram esse fluxo.

Todos estes símbolos e estruturas representam ou desempenham um papel na civilização autoritária que queremos destruir, por conseguinte serão sempre alvo dos nossos ataques.

Por não vermos a violência anárquica como sacrifício ou dever revolucionário – antes a desmistificamos e a banalizamos – é que a usamos de forma lúdica, colocando-a ao alcance de qualquer pessoa, sem profissionalismos ou restrições.

Nenhum ato de revolta é inútil!

Distúrbios por toda a parte!

Força aos/às presxs e perseguidxs!

Algumas crianças encapuçadas

espanhol, inglês

México: Presos libertários abandonam greve de fome e continuam os jejuns

barbwireEnviado a 20/10 pela CNA México

Nota Prévia: Dia 15 da greve de fome de presos libertários.

Os presos libertários Fernando Bárcenas, Luis Fernando Sotelo, Abraham Cortés e o ativista Jesse Montaño decidiram suspender a sua greve de fome – o estado de saúde de alguns deles inspirava cuidados – tendo continuado a jornada colectiva de luta, a partir da prisão, com jejuns indefinidos.

Reproduzimos aqui o texto assinado por Fernando Bárcenas:

Da pele para dentro mandamos nós!

Aos/às compas rebeldes:

Antes de mais, queria saudar todxs aquelxs que se mantiveram solidárixs e
cúmplices nesta contenda.

As jornadas de luta não podem continuar a ser temporais ou dirigidas por vanguardas revolucionárias. Não tem sentido querer unificar todas as forças rebeldes numa só estrutura uniforme, a menos que o objectivo seja o fascismo.

Em vez disso se a nossa perspectiva de luta for a mais ampla – reconhecendo ainda que não somos o centro do universo mas sim parte dele – temos muito mais possibilidades de alargar as nossas propostas e ideias.

Nesse sentido a greve de fome que começámos – eu e mais 3 compas, nas penitenciárias norte e sul – tem como objectivo reafirmar esta postura de pôr em causa e a autodeterminação ; de negação.
Uma maneira de dizer: “- Da pele para dentro somos nós que mandamos!!!

Assim, decidimos que a partir do hoje 5ª feira, 13 de Outubro, vamos abandonar a greve de fome – devido ao deteriorar da saúde de alguns dos compas, pois tinham participado já em outras greves de fome, correndo a sua saúde graves riscos de situações irreversíveis.

No entanto, decidimos continuar em jejum todos os dias até às 2 da tarde, indefinidamente, de forma a manter a denúncia e o ato de solidariedade e ampliar a revolta – sabemos já que se encontra em todos os lugares e a todas as horas e lugares.

Assim, continuaremos a enfrentar o inimigo com atos que possam ser detonantes, a partir da rejeição e do conflito permanente … e quotidiano.

Para que todos os nossos dias nesta vasta prisão chamada Terra se convertam
em jornadas informais e permanentes de guerra contra o poder, pela sua definitiva e total destruição.

Fernando Barcenas

Brighton, Inglaterra: Uma faixa foi fixada aos mastros do memorial da guerra no centro da cidade

Ninguém é ilegal Despejos de Calais = Ataques racistas Deportações Violência de estado RESISTE& LUTA

Ninguém é ilegal – Despejos de Calais = Ataques racistas+ Deportações+ Violência de estado – RESISTE & LUTA

Recebido a 16 de Outubro de 2016

Levantamos-nos bem dispostos e manhã cedo fomos colocar uma faixa expressando solidariedade e raiva com a situação em Calais onde para 17 de Outubro [o despejo foi realizado a 24 de Outubro] o Estado francês planeia dar início à desocupação total da selva. A faixa foi presa aos mastros – em frente ao memorial de guerra no centro da cidade – num lugar onde as pessoas vão regularmente visitar e recordarem a si próprixs o orgulho nacionalista e a identidade que possuem, construídos sobre a guerra,  genocídio, deslocamentos, criminalização e conquista de outros povos.

Queremos expressar a nossa solidariedade, desta simples forma, não apenas com as pessoas na selva mas também com todas as outras que por todo o lado estão a tentar prosseguir com as suas vidas, face a tal incrível e brutal oposição – xs compas em greve/resistindo dentro das prisões em toda a parte, qualquer um/a luta, algumas batalhas sérias contra o acesso ao gasoduto do Dakota, zonas autónomas sob ataque, a lista é interminável.

Mobilidade reduzida significa que a faixa não estava muito alta por isso, infelizmente, foi retirada ao fim de poucas horas, mas esperamos que quem fez isso apreciasse as quantidades generosas de lubrificante com que envolvemos as cordas…

italiano

Buenos Aires: Ataque a uma camioneta da Presidência da Nação Argentina

carro-em-chamas-1024x679Em resposta à repressão exercida  pela DIGOS (Divisão de Investigações Gerais e Operações Especiais) – através da operação “Scripta Manent” sobre xs companheirxs anarquistas que habitam a região dominada pelo estado italiano – incendiámos uma camioneta da Presidência da Nação Argentina no dia 25/9/16 cerca da uma da manhã da manhã, na zona do cruzamento das ruas Marcos Paz e Pedro Lozano em Villa Devoto, Buenos Aires.

Anna, Marco, Sandrone, Daniele, Danilo e Valentina vocês não estão sós, deste lado dos muros continuaremos a atacar a autoridade e a incendiar as cidades de todo o mundo.

Liberdade ou morte (Federação Anarquista Informal)

em inglês, grego, italiano

Argentina: Sabotagem no clube hípico e de pólo em Buenos Aires

exploracao_animal_corridasRecebido a 9/10/2016:

Poucos lugares terão a dominação mais visível como naqueles onde se usam os valos para equitação, montar ou para qualquer outro  fim – pegam num animal nascido para ser livre, submetem-no ao controlo humano para ser humilhado, manejado e despojado da sua independência, perdendo toda a sua vida, os seus interesses, agora um/a humano/a é dono/a dele.

O clube hípico e de pólo de Buenos Aires é um claro exemplo disto, utilizam cavalos nos seus desprezáveis jogos, por isso decidimos incomodá-los um pouco pelo que numa noite fomos visitar esse lugar levando um pouco de fogo para aquecer o ambiente e queimar dois reboques daqueles com os quais transportam os cavalos – além de um martelo para pregar a nossa ira nesse lugar pelo caminho e partir o maior número possível de vidraças.

Desta vez queimamos os reboques e quebramos vidros valiosos, na próxima vez o que será? esperamos que esta visita lhes tenha custado cara e que percebam que pode vir a ser ainda mais.

Através desta ação recordamos a esses cavalos que é com ira e tristeza que os vemos nesse confinamento, carregando-nos de energia para continuarmos a destruí-lo.

Uruguai: Célula Refractária Nikos Maziotis ataca casa de neonazi em Montevideu

fuego
3 de Outubro de 2016. Região ocupada pelo Estado Uruguaio.

Ofensiva contra o nazismo.

A Célula Refractária Nikos Maziotis reivindica ataque contra a casa do secretário do Grupo Interparlamentar Uruguaio, Oscar Piquinela De Campo, funcionário no Palácio Legislativo por porte e exposição de uma bandeira negra com a cruz céltica neonazi na sua varanda.

Chamada à sabotagem e guerra aberta contra toda a autoridade.

Que um indivíduo como o senhor Piquinela, funcionário num organismo do Estado, não tenha qualquer problema em manifestar ideias com tanto ranço como as do nazismo já é demonstração suficiente de que ideias supostamente antagónicas como Democracia e Nazismo podem coexistir. Não esqueçamos que na Alemanha o Partido Nazi chegou ao poder através do recurso eleitoral da Democracia Republicana. Ambas compartilham condutas autoritárias. A Democracia com o seu inocente rosto da tolerância e o clássico discurso da “paz social” também tem no seu aval um passado e um presente manchado de sangue – se duvidarem perguntem às famílias que já perderam algum filho às mãos da polícia democrática, perguntem aos lutadores sociais e anti-sociais perseguidos, golpeados e encerrados (para mencionar só alguns dos tantos crimes que são levados a cabo).

Por tal motivo é hora de todos aqueles que beneficiam e regozijam com a repressão e exploração tenham medo. ATAQUE E SÓ ATAQUE é a nossa palavra de ordem. Enfrentemos a autoridade de todos os ângulos possíveis, que sintam na pele a pressão social e anti-social. Que a palavra se faça ação. E que a nossa solidariedade derrube os muros de toda a prisão e instituição. Para a rua compas, o conflito está à nossa espera!!!!

Dados adicionais do senhor Oscar Piquinela:

Domicílio: rua Dr. Juan Campisteguy 3070, entre Antonio Machado e a Bvar. Artigas. A meio quarteirão do Novo Shopping.

Licenciado em relações internacionais.

Funcionário na secretaria do GRULAC perante a União Interparlamentar. Tel: 29248686/29248119/29248774. Telemóvel: 099685810. E-mail: ipuuuru@parlamento.gub.uy

LIBERDADE E ANARQUIA. ATÉ AO NADA NEGADOR E DESTRUIDOR DE TODA A AUTORIDADE.

Morte ao nazismo, ao fascismo, ao comunismo e à democracia. Sempre anarquistas. Sempre anti-autoritários ¡!!!

Célula Refractária Nikos Maziotis

 

Itália: Atualizações do caso “Scripta Manent”

teoria-supercordas-838x629Anna Beniamino e Alfredo Cospito em greve de fome

O companheiro anarquista Alfredo Cospito começou uma greve de fome no passado dia 3 de Outubro. Os motivos desta greve de fome são o isolamento em que se encontra após a operação “Scripta Manente uma ação em solidariedade com a CCF, assim como a proibição de contacto com o seu companheiro Nicola Gai.

A companheira Anna Beniamino começou a 10 de Outubro uma greve de fome. Os motivos dessa greve, em sintonia com a do companheiro Alfredo Cospito, são o protesto pelo isolamento no qual todxs xs detidxs na operação “Sripta Manent” se encontram.

Endereços atuais dxs compas detidxs na operação “Scripta Manent”

Alguns dos companheiros foram transferidos. A seguir indicam-se os seus novos endereços:

MARCO BISESTI: Strada Alessandria, 50/A – 15121 San Michele, Alessandria (AL) – Itália

ALESSANDRO MERCOGLIANO: Strada Alessandria, 50/A – 15121 San Michele, Alessandria (AL) – Itália

ANNA BENIAMINO: Via Aspromonte, 100  –  04100 – Latina LT – Itália

DANILO EMILIANO CREMONESE:  Str. delle Campore, 32  –  05100 Terni TR – Itália

VALENTINA SPEZIALE : Via Aspromonte, 100  –  04100 – Latina LT – Itália

ALFREDO E NICOLA ENCONTRAM-SE NA MESMA EM FERRARA, NA AS2.

DANIELE CORTELLI : Str. delle Campore, 32  –  05100 Terni TR-Itália

Reforcemos a nossa afinidade e cumplicidade!

Solidariedade e cumplicidade com Alfredo!

Solidariedade e cumplicidade com Nicola, Sandro, Marco, Anna, Daniele, Danilo e Valentina!

Acabemos com o isolamento, que cada dia do seu isolamento faça explodir mil ações neste mundo!

Nada acaba, tudo continua…

[Projeto Nemesis, 1º acto] CCF reivindica ataque à bomba contra casa da procuradora M.P. Georgia Tsatani (Atenas – 10/2016)

ccfwolvesPROJETO NEMESIS
PRIMEIRO ATO

Reivindicamos a responsabilidade pelo ataque [12 de Outubro de 2016] à casa da procuradora distrital do Ministério Público, Georgia Tsatani, situada na rua Ippokratous, ao lado do departamento de polícia de Exarhia, no centro de Atenas.

Sabíamos que G. Tsatani tinha uma escolta policial e era um alvo bem guardado mas isso não nos impediu de realizar o ataque.

Optámos por uma ação simbólica – único propósito era apenas causar danos materiais – mas a Conspiração das Células de Fogo não se limitará a isso no futuro…

Existem duas ordens de razão para se ter escolhido em particular esta procuradora distrital.

A primeira prende-se com o facto de G. Tsatani ser um membro da rede para-judicial cujo actividade passa por colocar fora de vista os ficheiros que incidem nos interesses da máfia empresarial e de políticos (com o fim de tirar proveito disso, obviamente). É pois a vanguarda judicial dos seus mestres.

O ponto alto da sua maculada carreira é o caso Vgenopoulos, tendo G. Tsatani encerrado o caso, ajudando-o a ser descartado de uma condenação certa. A  venalidade que teve com o empresário Vgenopoulos foi bombeada até si através de invisível conta para-judicial. Estas imperceptíveis cortesias de homens de negócios podem até construir as moradias dos magistrados, em troca da sua “justiça”.

Outra amostra do estilo de escrita desta procuradora distrital, mantida diligentemente em segredo pelos medias, é o caso Meimarakis, relacionado com o equipamento e os subornos de Vagelis Meimarakis, sendo a única a assumir o arquivo do caso – o ex-ministro da defesa nacional volta nessa altura, tendo ela feito questão de se “esquecer” de enviar para o parlamento os ficheiros – claramente com vista à sua cobertura. Em troca desta conciliação dá-se a colocação da filha e do marido de Tsatani como candidatos a ministros da Nova Democracia na presidência Meimarakis.

Georgia Tsatani esteve envolvida no caso Vatopedi, deixando bem claro e uma vez mais a mafiosa cooperação Igreja -Justiça, bem como em muitos outros famosos casos nos quais se “iria cortar” a fim de esconder e proteger os interesses de autoridade.

A segunda ordem de razões para se escolher como alvo de ataque a procuradora distrital Georgia Tsatsani prende-se com a sua participação na sujeição judicial dxs parentes dxs nossxs companheirxs.

A obsessão de vingança dos juízes contra as famílias dxs nossxs companheirxs foi uma escolha que todos os juízes envolvidos serão convidados a pagar e com grande custo. Temos recordações e acima de tudo paciência, persistência e diligência …

Dedicamos esta ação aos/à membrxs detidxs da C.C.F, Gerasimos Tsakalos, Christos Tsakalos, Giorgos Polydoros e Olga Economidou.

Enviamos a nossa solidariedade à companheira anarquista Angeliki Spyropoulou, bem como a todxs xs presxs políticxs irredutíveis que se encontram nas celas da democracia grega e também para os companheiros italianos Alfredo Cospito, Nicola Gai e anarquistas perseguidxs em Itália no âmbito da operação “Scripta Manent” ” contra a F.A.I.

Em breve seguirá a versão completa desta proclamação, bem como a nossa proposta para o projecto “Nemesis”.

Voltaremos…

Conspiração de Células de Fogo / F.A.I.

em inglês / grego, italiano, alemão

Atenas: Solidariedade incendiária com xs compas presxs pelo caso PDI (Chile)

MANIFESTANTES SE ENFRENTAN CON LA POLICÍA LOCAL EN LA UNIVERSIDAD POLITÉCNICA EN EL CENTRO DE ATENASÀs primeiras horas de sábado, 15 de Outubro de 2016, algumas individualidades caóticas encontravam-se entre o monte de amotinadxs que atacaram com molotovs os verdugos (MAT) das forças anti-distúrbios, junto à sede do partido PASOK na rua Ηarilaou Trikoupi em Exarchia.

Através deste pequeno gesto de violência enviamos a nossa força a Manuel, Maria Paz, Natalia, Amaru e Felipe que se encontram em prisão preventiva, acusadxs do atentado incendiário ao quartel da PDI em Santiago, durante o mês de Novembro de 2014. Apoiamos a chamada internacional para uma semana solidária com xs compas, de 16 até 21 de Outubro.

Juntamente com indivíduos anarquistas e os grupos de rua que continuam em pé de guerra.

NOITES PINTADAS DE NEGRO E REBELIÃO

em inglês, alemão, espanhol

Madrid: Amotinação no C.I.E. de Aluche

motin-alucheNa noite passada, de 18 para 19 de Outubro de 2016, vários dos imigrantes que se  encontravam presos no C.I.E. de Aluche [Centro de Internamento de Estrangeiros] amotinaram-se no telhado para protestar ao grito de “liberdade”.

Algumas pessoas solidárias acercaram-se de forma expontânea a mostrar-lhes o seu apoio, devolvendo os gritos de coragem e lançando petardos para que os presos se dessem conta de que não estavam sózinhos.

Segundo fontes jornalísticas e policiais o motim terminou após 11 horas, sem feridos.

Na zona encontravam-se alguns carros da polícia, furgonetas de anti-motins e um helicóptero un helicóptero vigiando, acompanhados do vereador de segurança e emergências de Ahora Madrid, Javier Barbero, do de economia e fazenda Carlos Sanchez Mato e ainda os vereadores  do distrito de La Latina, Esther Gómez e Guillermo Zapata. Estes novos magnatas da “política de mudança” continuam a representar a defesa das fronteiras, a repressão contra os imigrantes e todo o dissidente político e a mais que dá e sobra presença policial nos bairros de Madrid. Eles igualmente são os responsáveis das políticas migratórias atuais e continuarão a trabalhar ombro a ombro com o poder de qualquer país que lhes exija tomarem medidas estritas quanto às pessoas imigrantes. A sua aparente preocupação e solidariedade é só “dar-se ares” político. Não necessitamos da sua compaixão, não queremos ser parte da sua campanha eleitoral, não caíremos nas suas mentiras.

Não é a primeira vez que ocorre algo assim no C.I.E. de Aluche, um centro de internamento que se encontra no meio do bairro de Aluche e a sua assimilação tem feito com que a presença desta aberração se tenha convertido em algo normal.

Esperamos que continuem a suceder este tipo de ações de rebeldia por parte dos presos assim como esperamos quebrar a maldita calma e normalidade que este edifício representa. Que corra a voz entre os solidários em ocasiões como esta, faz com que não se isolem as vozes dos amotinados no meio da noite, num bairro como Aluche ou onde quer que seja.

SOLIDARIEDADE COM OS PRESOS AMOTINADOS NO C.I.E. DE ALUCHE QUE AGUENTARAM 11 HORAS SOB CHUVA NO TELHADO DA PRISÃO.

ABAIXO AS FRONTEIRAS, AS NAÇÕES E QUEM AS  VIGIAM

ATÉ QUE SE DERRUBE A ÚLTIMA DAS PRISÕES

em grego