Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Balcãs: Por cima dos muros do Nacionalismo e das Guerras

bosnia

Comunicado dos participantes na 8ª Feira do Livro Anarquista dos Balcãs

É claro que o nacionalismo é uma ferramenta usada contra as classes exploradas. Nos Balcãs (especialmente na região da ex-Jugoslávia), o crescimento da ideologia nacionalista, nos anos 90, ajudou a possibilitar o brutal ataque capitalista contra a sociedade. Atomizou ainda mais a população e destruiu as redes de cooperação e solidariedade aí estabelecidas, anteriormente.

A necessidade de confrontar a ideologia nacionalista numa perspetiva radical e antiautoritária juntou-nos em Mostar a 5 e 6 de Setembro de 2014 para a 8ª Feira do Livro Anarquista dos Balcãs. Viemos da Bósnia Herzegovina, Croácia, Sérvia, Eslovénia, Albânia, Roménia, Grécia e de outros países situados fora da zona dos Balcãs.

A verdadeira natureza do nacionalismo não é em nenhum lugar mais óbvia que em Mostar, uma cidade dividida em duas, com os sinais da brutalidade da guerra ainda evidentes nas ruas da cidade.

É essencial entender que esta divisão não foi a causa da guerra, mas a consequência de guerras e ideologias nacionalistas criadas pelas classes dominantes.

Isto era claro para xs manifestantes em Tuzla que pintaram a palavra de ordem “Morte ao nacionalismo” bem como para os manifestantes em Mostar que incendiaram a sede de ambos os partidos nacionalistas em Fevereiro de 2014.

Ainda assim, noutras partes do mundo, novos nacionalismos e conflitos estão a ser criados em linhas semelhantes e com consequências previsíveis.

Muitxs pensam hoje, na Ucrânia, que têm de responder às falsas escolhas de guerra colocadas pelos estados e corporações (entre eles estão mesmo alguns anarquistas e “anarquistas”[1]). No entanto, mantemos que o nacionalismo é sempre uma ideologia que reproduz o Estado, um sistema de repressão e exploração, que conduz xs exploradxs e oprimidxs a confrontarem-se entre si. Vemos hoje na Ucrânia o mesmo mecanismo que também já foi usado durante as guerras, na ex-Jugoslávia: O nacionalismo é o instrumento daqueles que, no poder, empurram as pessoas para a guerra no interesse do capital. Enquanto anarquistas, opusemo-nos a todos os esforços de guerra na ex-Jugoslávia, através da solidariedade que continua até aos dias de hoje. Longe do pacifismo liberal ou das obsessões com exércitos de guerrilha nacionalistas de esquerda, a nossa luta nunca irá estar ao lado da política militarista e da destruição em que todos os estados são baseados.

Contra o nacionalismo, o militarismo e a guerra! Contra todos os governos e estados! Pela solidariedade e autonomia!

[1] Dxs nacionalistas anticoloniais da Mlada Bosna/”Jovem Bósnia” de Sarajevo de 1914, influenciados pelo anarquismo, até ao caso dos posers, como o grupo “anarco”-nacionalista Slobodari de Sarajevo em 2014, todas as tentativas de combinar o anarquismo com o nacionalismo mostram que o resultado é simplesmente o mesmo: nacionalismo. “Slobodari” é um pequeno grupo de Sarajevo que se apresenta como anarquista mas que está em contacto com nazis da Ucrânia (os chamados nacionalistas autónomos Avtonomnyj Opir/“Resistência Autónoma”). Além disso, existem vários sítios da web que causaram muita confusão, incluindo o sítio de uma suposta Cruz Negra Anarquista Balcânica. Leia mais sobre o tema (em inglês) em sabotagemedia.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>