Atenas: Motins no 12 de Novembro

Alguns momentos dos distúrbios que foram despoletados no âmbito da greve geral de 12 de Novembro, como os vimos e como nos foram contados por outrxs compas (supomos que hajam mais acontecimentos que não sejam de primeira mão). Vídeo a cargo dxs compas da ALFA TV:

Antes de ter começado a manifestação da manhã, encapuçadxs perseguiram um grupo da bófia que estava a patrulhar a pé, próximo do Museu, na rua Patision, e derrubaram, pelo menos um dos uniformizados.

Enquanto a manif  girava na rua Stadiou foi atacado um supermercado da cadeia Bazaar que estava aberto, apesar da greve geral. As montras foram atacadas, as máquinas de controle na entrada/saída foram destroçadas e por fim os responsáveis do negócio tiveram que baixar as persianas.

Um pouco mais adiante, perto do antigo parlamento, foi incendiada uma camioneta da empresa de telecomunicações OTE, enquanto isso ao longo da rua Stadiou encapuçadxs destruíram o mobiliário urbano (paragens de autocarros, semáforos etc.), e outrxs realizavam pintadas anarquistas nas paredes.

Na interseção das ruas Stadiou e Vasileos Georgiou foi levado a cabo um ataque com bombas incendiárias contra os esquadrões de antimotins, que se encontravam a proteger o hotel de luxo Gran Bretaña. Outro ataque com molotov foi realizado, contra o ministério da Economia, na parte baixa da praça de Syntagma.

Diante do parlamento tinha sido colocada uma bandeira grega gigante que foi retirada. Os patriotas que tentaram protegê-la foram espancados (várias vezes) e a sua merda de trapo foi queimada mais tarde.

Um ataque comando com molotov foi realizado também contra os antimotim que se encontravam ao lado do monumento do soldado desconhecido.

Na rua Panepistimiou, enquanto a manif estava a terminar, foi atacado com fogo o Banco da Grécia e registaram-se confrontos com a bófia perto dos Propileos.

Cerca das 15:00 horas a situação estava já bastante calma, no bairro de Exarchia e nos arredores. Não temos conhecimento de detenções ou prisões, nem tampouco de manifestantes feridxs.

Ps. Entre outras palavras de ordem incendiárias, gritou-se também a seguinte “Organização informal e insurrecional, Dezembro Negro em toda a parte ”, que na sua tradução em português não rima – mas não faz mal saber que por aqui estamos a aquecer…

grego | espanhol