Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Lavrion, Ática: Intervenção anarquista acerca da crise económica

Na manhã de quinta-feira, dia 1 de Setembro, no mercado ao ar livre de Lavrion, anarquistas intervieram acerca da crise económica. Essa intervenção foi calorosamente recebida pela maioria das pessoas. Eis o texto que foi distribuído:

O  interesse nacional  não é o interesse dos pobres mas sim o dos patrões

O interesse nacional não é o interesse dos pobres mas sim o dos patrões

De acordo com uma pesquisa divulgada na semana passada, o que todos de alguma forma já sabiam, se tornou evidente e foi oficialmente registado: as taxas de desemprego aumentaram a um ritmo sem precedentes.

Deste modo, apesar de falarmos duma temporada de turismo, em que as ocupações sazonais ocorrem, a taxa oficial de desemprego alcançou os 16,6%, o que significa 812.000 pessoas produtivas fora do trabalho. Tendo em conta a percentagem de pessoas que trabalha em empregos a tempo parcial e que não são sequer contabilizadas para estas estatísticas, é compreensível que retornemos não só alguns anos atrás mas para o “belo” tempo dos anos 60.

 Obviamente que as coisas não estão muito melhor para aqueles que trabalham. Trabalhar 10 horas por dia tornou–se uma lei, os salários foram cortados para metade e o que sobrou do estado de bem estar social (que nós deveríamos reconhecer como um salário indireto e uma vitória) desaparece – tudo em nome da reconstrução nacional.
É crucial entender a razão pela qual todas estas coisas acontecem. Se levarmos a sério o governo grego e os canais de TV chegaremos à conclusão de que tudo isto acontece porque supostamente enfrentamos… dívidas infernais que têm de ser pagas, caso contrário o FMI e os nossos credores  punir-nos-ão. Mas será que é assim mesmo?

Por exemplo, estarão os salários do setor privado realmente relacionados com o pagamento da dívida…do Estado? E caso o memorando não tivesse sido assinado,estaria tudo bem? Então, porque é que medidas semelhantes às do memorando estão a ser tomadas em diversos países que não concordaram com qualquer memorando (Reino Unido, EUA, Itália e França), ou mesmo em países com lucros excedentes (Alemanha)? Será que estas medidas não passam de uma desculpa e que confiam simplesmente na nossa ignorância?

Os media  de massa com todo o cuidado escondem  a verdade desconfortável. A crise da Capital está-se a tornar uma crise do trabalho através das medidas tomadas em todo o mundo ocidental. Carregam o fardo de seus “pecados” nas nossas costas. Doam centenas de milhar de milhões para salvar os bancos, enquanto os empréstimos são realizados por estes em condições cada vez piores.

Noutras palavras, convertem a dívida privada em déficit fiscal. O seu objetivo é diminuir o valor do nosso trabalho, e fazer mais uma vez, as economias ocidentais competitivas com as do leste. Assim, ou também nos “maquinizamos” como trabalhadores ou, como nos têm vindo a contar, nos afundamos no abismo.

Mas cada um de nós sabe muito bem que estamos na mais completa obscuridade da insegurança, pobreza e miséria; cada vez que contamos o escasso dinhero que temos na carteira e esgotamo-nos a pensar omo faremos para chegar até ao final do mês.

O caminho para a solução é conhecido: as lutas coletivas nos locais de trabalho e nos nossos bairros. Vamos fazer dos sindicatos de classe e das assembléias de bairro a nossa arma contra a ditadura dos monopólios. Não deixe que uma única gota de vida seja desperdiçada. Juntos, não só podemos reinverter a situação como lutar e reivindicar o que merecemos: tudo!

Então da próxima vez que for entrar em desespero para saber como pagar a electricidade, como pagar as lições da criança, a comida no supermercado, entenda que isso não é uma condição permanente.. Tudo depende de estar disposto a lutar por uma mudança.

Nós não devemos nada, eles é que nos devem!
A riqueza pertence a pessoas que trabalham, não ao Capital!

O terrorismo é a escravidão assalariada!
Trabalhador, você pode viver sem patrões!

Iniciativa de anarquistas, Lavrion

fonte

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>