Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Rio de Janeiro, Brasil: Chamado de solidariedade internacional com a okupa Flor do Asfalto

No dia 5 de setembro às 19 horas, dois policiais chegam prepotentes na porta da ocupação FLOR DO ASFALTO com fuzis nas mãos gritando que atirariam na cachorra caso ela os mordesse,depois de ameaças de derrubar o portão abrimos a porta,eles pediram alguém com documento e entregaram uma notificação,esta do desalojo já marcada pra acontecer no dia 30 de setembro.

Diante de momento tão sensível,decidimos não cancelar nenhuma das atividades no espaço programadas para este mês,pelo contrário,queremos efetivá-las com todo o tesão e energia que possamos,nossas propostas e nosso quotidiano não se enfraqueceram por conta desse alarme.

Chamamos pela solidariedade internacional neste dia,que todxs as flores espinhosas manifestem sua raiva ao existente do modo que lhxs parecer mais interessante.

Enviamos um salve pra todxs xs compas que queiram vir partilhar desse momento de luta conosco,precisamos de apoio.

Que a solidariedade ecoe pelos quatro cantos….

Viver hoje no caos do porto, é como andar em uma corda bamba com os olhos vendados…

Mantemos o equilíbrio, mesmo sabendo que a queda é inevitável…

Formado por diversos coletivos inerentemente nômadas, diversas mãos, energias e ganas pulsam e pulsaram por aqui, deixando essa terra aterrada cada vez mais fértil.

Mãos se calejaram, lágrimas escorreram, controvérsias, rupturas, desentendimentos e latências emotivas fluem e contaminam o ar, contaminam de rebeldia, questionamentos, esses ares tão densos do porto.

E hoje, nós que somos selvagens, estamos ilhadxs num imenso mar de concreto, o Porto Maravilha nos cerca, nos sufoca.

Xs ocupantes, moradores vizinhos a Flor, aceitaram o acordo com a prefeitura e saíram com um aluguel de miséria nos bolsos e sem expectativas de uma moradia.

Agora onde antes viviam famílias pobres, vivem hoje operários, seguranças privados e máquinas que destroem tudo, o inimigo mora ao lado.

Para nós movimentar-se, não cair na inércia tem sido a estratégia usada pra se contrapor ao presente momento, é nesse sentido que, de dentro dessa okupa, vociferam comunicados que explicitam o posicionamento de suxs ocupantes, visando a criação de laços de solidariedade que grite e ecoem mais além das linhas imaginárias da cidade do Rio de Janeiro,já que os mesmos laços,em momentos como este,são sem dúvida o maior arsenal que xs oprimidxs rebeldes podem encontrar.

Movimentar-se! Essa é a palavra! Convidamos a todxs aquelxs que já passaram e construíram vivências de resistência ativa, que experimentaram novas formas de convívio, que desconstruiram(com êxito ou não) nesse pequeno oásis em meio ao caos do porto,pelo qual nos apaixonamos…..

Convidamos aquelxs que nunca pisaram nessa okupa,convidamos corpos libertários pra comemorar o quinto ano de amor e ódio na Flor do Asfalto.

Nesses cinco anos muitas coisas foram produzidas neste espaço por diversos coletivos com diversas combinações, pensamentos, estratégias e discórdias.

A Flor não é provavelmente, e não foi (pelo menos em longo prazo), o que cada um que passou por aqui gostaria que ela se tornasse.

A Flor é um organismo mutante, vivo, esquizo,um processo sem fim,uma potência que necessita das suas fragilidades como arma de mutação,como um vírus,uma enfermidade que fortalece a vida e cria anticorpos…

A Flor é o melhor de cada um… E o nosso melhor é também o nosso pior…

A Flor de fato não é um mundo ideal, mas sim a desconstrução do existente colocada em campos mais férteis,a desconstrução de uma utopia idílica,tem Utopia própria e é tão pautada na realidade quanto entregue a rupturas que se propõe.

Há quem sofra por experimentos mal sucedidos, há quem sofra por muitas vezes uma falta de prudência geral durante o processo, mas as ganas estão pulsantes, e cada pirata leva consigo o que deseja levar, se existem frustrações por demasiadas divisões: coletivo e individuo, eu e mundo; por demasiada rigidez, deve-se lembrar que a desconstrução e a ruptura não é fácil. Que nossa situação enquanto seres que tem ganas de libertar-se é precária, isso devido à nossa criação, devido ao nosso mundo e…

Aceitação, não acomodação e o cuidado para com nossas fragilidades é um primeiro passo para essa mudança que tanto desejamos.

Essa carta é um convite,um urro esbravejado dessa região litorânea,urro esse que voa a quatro ventos,a terras distantes,para que outras matilhas venham.

Convite para os que viveram aqui,e para os que ainda não conhecem o espaço,essa carta também trás uma mensagem de apelo:

ESSE É O ÚLTIMO ANIVERSARIO DA FLOR
ISSO PORQUE DIANTE DA ATUAL AMEAÇA DE DESALOJO RESOLVEMOS ADIANTAR O ANIVERSÁRIO E COMEMORÁ-LO NO DIA 24 DE SETEMBRO,DIA DA GIG EM REPÚDIO À REVITALIZAÇAO.

No mais um NANASMU bem forte e intenso a todxs que de diferentes cantos e de diversos modos estão direcionando suas energias na luta contra o existente.

A todxs xs Squats no Brasil que estão correndo risco de desalojo:
Que o grito de resistência fale mais alto e ecoe em vossxs corações insubmissos

MORTE AO ESTADO
VIVA A ANARQUIA
UM DESALOJO OUTRA OCUPAÇÃO!!!

fonte: okupa y resiste

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>