Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Istambul, Turquia: Cinco anos após a morte de Hrant Dink

Em 19 janeiro de 2012, uma enorme manifestação teve lugar em Istambul. Segundo algumas fontes, mais de 50.000 pessoas foram às ruas para protestar contra a decisão do tribunal no caso do assassinato de Hrant Dink.

Hrant Dink era um editor do jornal AGOS, o jornal porta-voz voz dos Arménios na Turquia. Houve uma campanha de ódio contra ele, nos media, antes de sua morte. Há cinco anos, em 19 Janeiro de 2007, foi baleado e assassinado – como foi afirmado, por Ogün Samast de 17 anos de idade – em frente ao edifício do jornal, onde tinha trabalhado. Durante o julgamento, ficou claro que o assassinato foi suportado pelas autoridades do estado. Os registos de chamadas telefónicas foram eliminados, as provas foram encobertas, a informação foi escondida, os relatórios foram destruídos, as investigações foram fechadas, e responsáveis da polícia secreta foram absolvidos, devido ao período de prescrição.

Após 5 anos, o julgamento foi concluído em 17 Janeiro de 2012. O tribunal puniu apenas Ogün Samast (a pessoa que baleou Hrant Dink) e Yasin Hayal (por incitar o assassinato), assim como foi declarado que não tinha havido nenhuma organização por trás do assassinato. Como reação a esta injusta conclusão, e para homenagear Hrant, dois dias apenas após a decisão do tribunal do julgamento, dezenas de milhares de pessoas reuniram-se em Taksim e desfilaram para o local onde Hrant Dink foi morto a tiro. Os slogans cantados foram: ‘Katil Devlet hesap verecek “(Estado assassino vamos ter em conta isto),” Hepimiz Hrant’ız, hepimiz Ermeniyiz “(Todos somos o Hrant, todos somos arménios),” Bu Dava boyle bitmeyecek’ (o julgamento não é o fim deste processo), “Faşizme Inat kardeşimsin Hrant” (desafiando o fascismo, Hrant és meu irmão).

Vários grupos de anarquistas também participaram na manifestação. Um dos grupos levava uma faixa com os dizeres ‘Üzgün ​​olmaktansa öfkeli olmayı yeğlerim’ (Eu prefiro ficar com raiva do que triste) e outro grupo levava outra onde se lia ‘Teferruatlar’ (Detalhes)

correspondência de companheirxs

videos:

http://www.youtube.com/watch?v=jmTpON_J8P8

No comments yet to Istambul, Turquia: Cinco anos após a morte de Hrant Dink

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>