Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

[Vídeo em português] Armas químicas da Síria para serem destruídas algures entre Creta e Malta

Bem-vindxs a Creta

Um lugar de beleza natural excepcional
Um lugar acolhedor
Um lugar ideal para férias e relaxamento
Um lugar numa localização estratégica no Mediterrâneo

Campo de tiro nacional de Chania
Asa de Combate 115, Souda
Doca Naval, Souda
“Acolhendo” imigrantes

Souda: Base militar dos EUA, de grande importância pela realização de ataques militares contra os povos da região

Funciona como centro operacional e de espionagem, assim como base de suprimento para operações no Médio Oriente e no Mediterrâneo Oriental

Usado para as intervenções militares na Líbia, Golfo Pérsico, Iugoslávia, Bósnia, Síria, Iraque, Afeganistão

Segundo relatos “oficiais”, de 2001 até hoje, Souda serviu pelo menos 14.000 aviões militares e 2.500 navios

Poluição do meio ambiente marinho a partir de mísseis, resíduos líquidos, derrames de óleo, manuseamento de líquidos e resíduos sólidos perigosos

O Mediterrâneo é convertido numa nova experiência laboratorial e todos nós em suas cobaias

Setembro 2013: O governo de Assad aceita entregar as suas armas químicas, após ameaças e pressões

As leis internacionais proíbem o transporte de armas químicas a partir do país que os possui e apelam à sua destruição, nesse território

No caso das armas químicas sírias, excepcionalmente – argumentando-se que o regime de Assad não é confiável – foi decidido remover e destruir rapidamente aquelas

Albânia, Tailândia, Bélgica, Alemanha e Noruega recusaram-se a destruir as armas químicas no seu território

Quando nenhum país aceita a destruição no seu território, as armas químicas terão de ser destruídas em águas internacionais

Pela primeira vez na NATO, começa a bordo a destruição de armas químicas “sírias” nalgum lugar entre Creta e Malta

Onde e quando permanece desconhecido…

700 toneladas de armas químicas pesadas terão de ser hidrolisadas no navio MV Cape Ray da marinha dos EUA

É um recipiente de 36 anos de idade. A hidrólise irá produzir cerca de 9.800 toneladas de produtos químicos tóxicos e corrosivos

Hidrólise: As armas químicas são diluídas com água em combinação com solventes tais como cloro

O líquido resultante permanece tóxico e corrosivo, somente não ao grau em que mata diretamente

O sucesso da hidrólise depende do grau de pureza química das armas, isto é, se foram ou não adulteradas depois da venda, a partir da fábrica.

A pureza química destas armas não foi medida

Não existe experiência em hidrólise no mar (diferença na pressão de produtos químicos – equipamentos, mar agitado)

Este método e equipamento foram testados uma única vez no mar, para neutralizar uma pequena quantidade de armas químicas

As 700 toneladas de armas da Síria a destruir excedem em muito esse valor

O produto final será dado a “empresas privadas”. Não está claro ainda quais são elas

A eliminação de resíduos perigosos no mar é proibida pelos acordos internacionais

No entanto, pode ser excepcionalmente permitida em navios militares, de acordo com os tratados das Nações Unidas

A responsabilidade pertence ao Estado cuja bandeira o navio está a arvorar. Os EUA não assinaram a presente Convenção

Não há estudo sobre a eventualidade de um acidente nesta operação militar sem precedentes

Existem sérias preocupações acerca do impacto da descarga ou vazamento de produtos químicos

Os governos que têm interesses na NATO e na indústria da guerra – alimentada por envenenamentos e matança – lançaram um experimento perigoso sem precedentes no mar fechado do Mediterrâneo

O experimento no Mediterrâneo começou muito antes da destruição das armas químicas específicas

Ataques

Bombardeamentos

Matanças

Envenenamento e destruição da natureza

Dominando todos os organismos vivos

Miséria e morte

Elas não são só o resultado, são as mesmas armas que usam nos seus jogos geopolíticos

O seu objetivo final é dominar todos os recursos naturais e os organismos viventes

Não mais peões humanos nos jogos dos dominadores

Não mais vítimas animais dos seus planos mórbidos

Não mais a exploração do planeta para os seus lucros

LUTA PELA LIBERTAÇÃO TOTAL

fonte: alogomyges via sosyal savas
em alemão

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>