Arquivo de etiquetas: Creta

Rethimno, Grécia: Propaganda nas ruas por um Dezembro Negro

A ILEGALIDADE TORNA-SE UM DEVER QUANDO A REPRESSÃO SE FAZ LEI
A ILEGALIDADE TORNA-SE UM DEVER QUANDO A REPRESSÃO SE FAZ LEI
A LIBERDADE BROTA DAS CINZAS DOS SÍMBOLOS DE DOMINAÇÃO
A LIBERDADE BROTA DAS CINZAS DOS SÍMBOLOS DE DOMINAÇÃO
DEZEMBRO NEGRO
DEZEMBRO NEGRO
DEZEMBRO NEGRO EM TODO O LADO – ESTRUTURAS INFORMAIS E HORIZONTAIS
DEZEMBRO NEGRO EM TODO O LADO – ESTRUTURAS INFORMAIS E HORIZONTAIS
DEZEMBRO NEGRO EM TODO O LADO
DEZEMBRO NEGRO EM TODO O LADO

rethimno6

Na noite de quinta, 10/12, um grupo de companheirxs realizou pintadas em vários pontos da cidade de Rethimno (jardim municipal, escolas, catedral metropolitana). Para além disso, colaram-se cartazes por um Dezembro Negro e foi colocada uma faixa na praça central.

Ataque contra a dominação
Dezembro Negro em todo o lado

em espanhol

Grécia: Coordenação por um Dezembro Negro na Ilha de Creta

Como iniciativa de companheirxs pelo Dezembro Negro na cidade de Rethimno, decidimos pormo-nos ao lado dxs compas presxs e de todxs aquelxs que do lado de fora dos muros responderam à chamada para nos coordenarmos juntxs nestas ações.

Procurando avivar as memórias e práticas de Dezembro de 2008 – além da criação de vias de comunicação e coordenação – convocamos as individualidades e coletivos de Creta para se juntar forças em toda a ilha.

Iniciativa de companheirxs de Rethimno pelo Dezembro Negro
Contato: mavrosdekembris_reth@riseup.net

Em grego  espanhol

Prisões de Neapoli, ilha de Creta: Duas presas em abstenção de comida solidária com os presos políticos em greve de fome

neaDuas das presas que se encontram em condições miseráveis na ala para mulheres das prisões para homens de Neapoli, Lasithi (ilha de Creta) começaram uma abstenção da comida da prisão no dia 3 Março de 2015, como mostra de solidariedade com os presos políticos em greve da fome. No texto que entregaram à administração da prisão dizem que é possível que nos próximos dias intensifiquen o seu protesto.

espanhol

Grécia: Ocupada a prefeitura de Rethimno, em solidariedade com Nikos Romanos

rethimno
Foto da manif solidária de 2/12/2014

Desde as 7 da manhã do dia de hoje, 4/12/2014, a prefeitura da cidade de Rethimno, na ilha de Creta, foi ocupada por solidárixs com a luta do anarquista preso Nikos Romanos. À volta da prefeitura havia muita polícia secreta e registaram-se algumas escaramuças. Segue-se a tradução do primeiro comunicado dxs ocupantes (falta o poema de Nazim Hikmet que citam no princípio):

[…]

Pela minha parte continuo, ultrapassando qualquer possibilidade de dar um passo atrás e responderei com LUTA ATÉ À VITÓRIA, OU LUTA ATÉ À MORTE.

Em todo o caso, se o Estado me assassinar com a sua atitude, o senhor Athanasiou e os seus amigos ficarão para sempre na história como um gang de assassinos, instigadores morais da tortura e assassinato de um preso politico. Esperemos apenas que existam aqueles espíritos livres que ajusticem à sua maneira o justo da sua justiça.

Concluindo, quero enviar a minha cumplicidade e amizade a todxs aquelxs que se têm posto do meu lado, de todas as formas e com todos os meios possíveis.

Por fim, algumas palavras para os meus irmãos: Yannis, que também está hospitalizado, Andreas, Dimitris e muitos outros. A luta também tem perdas, já que, no caminho de uma vida digna, temos de ir de mão dada com a morte, pondo tudo em xeque para tudo ganhar. A luta continua, com o punho contra a faca, uma e outra vez.

Tudo por tudo!

Nikos Romanos (3/12/2014)

Na quinta-feira, 4 de Dezembro de 2014, ocupamos o edifício da prefeitura de Rethimno, como mostra de solidariedade com o compa Nikos Romanos, que desde 10 de Novembro está em greve de fome, colocando a sua vida como barricada para exigir assaídas educativas da prisão a que tem direito. A sua saúde encontra-se em perigo imediato.

A vingança do Estado contra Nikos Romanos não é por acaso. Tem a ver com a irredutível defesa  dos seus valores e decisões políticas contra o sistema da barbárie capitalista.

Em greve de fome solidária com a sua luta estão também os seus compas do caso de Kozani, Yannis Michailidis, Andreas-Dimitris Bourzoukos e Dimitris Politis.

Apelamos a todas as pessoas em luta para que tomem todas as iniciativas necessárias para a vitória do grevista de fome Nikos Romanos.

Apoiemos a ocupação da cidade de Rethimno.

Satisfação imediata da exigência de Nikos Romanos!

Creta, Grécia: Distribuição de “cédulas” anarquistas em Chania

Se votando alterasse alguma coisa isso seria ilegal 

No sábado, 17 de Maio, no centro da cidade e em vários bairros de Chania, puseram-se folhetos anti-eleitorais nas caixas de correio, assinados com o círculo-A, dentro de pastas idênticas às das cédulas de papel. Também ficou cheio de panfletos todo o edifício onde está inserido o escritório local do Amanhecer Dourado (como sempre os nazis não se encontravam à vista).

Sem participação na festa eleitoral
Contra a lógica da delegação

Fogo às urnas

[Vídeo em português] Armas químicas da Síria para serem destruídas algures entre Creta e Malta

Bem-vindxs a Creta

Um lugar de beleza natural excepcional
Um lugar acolhedor
Um lugar ideal para férias e relaxamento
Um lugar numa localização estratégica no Mediterrâneo

Campo de tiro nacional de Chania
Asa de Combate 115, Souda
Doca Naval, Souda
“Acolhendo” imigrantes

Souda: Base militar dos EUA, de grande importância pela realização de ataques militares contra os povos da região

Funciona como centro operacional e de espionagem, assim como base de suprimento para operações no Médio Oriente e no Mediterrâneo Oriental

Usado para as intervenções militares na Líbia, Golfo Pérsico, Iugoslávia, Bósnia, Síria, Iraque, Afeganistão

Segundo relatos “oficiais”, de 2001 até hoje, Souda serviu pelo menos 14.000 aviões militares e 2.500 navios

Poluição do meio ambiente marinho a partir de mísseis, resíduos líquidos, derrames de óleo, manuseamento de líquidos e resíduos sólidos perigosos

O Mediterrâneo é convertido numa nova experiência laboratorial e todos nós em suas cobaias

Setembro 2013: O governo de Assad aceita entregar as suas armas químicas, após ameaças e pressões

As leis internacionais proíbem o transporte de armas químicas a partir do país que os possui e apelam à sua destruição, nesse território

No caso das armas químicas sírias, excepcionalmente – argumentando-se que o regime de Assad não é confiável – foi decidido remover e destruir rapidamente aquelas

Albânia, Tailândia, Bélgica, Alemanha e Noruega recusaram-se a destruir as armas químicas no seu território

Quando nenhum país aceita a destruição no seu território, as armas químicas terão de ser destruídas em águas internacionais

Pela primeira vez na NATO, começa a bordo a destruição de armas químicas “sírias” nalgum lugar entre Creta e Malta

Onde e quando permanece desconhecido…

700 toneladas de armas químicas pesadas terão de ser hidrolisadas no navio MV Cape Ray da marinha dos EUA

É um recipiente de 36 anos de idade. A hidrólise irá produzir cerca de 9.800 toneladas de produtos químicos tóxicos e corrosivos

Hidrólise: As armas químicas são diluídas com água em combinação com solventes tais como cloro

O líquido resultante permanece tóxico e corrosivo, somente não ao grau em que mata diretamente

O sucesso da hidrólise depende do grau de pureza química das armas, isto é, se foram ou não adulteradas depois da venda, a partir da fábrica.

A pureza química destas armas não foi medida

Não existe experiência em hidrólise no mar (diferença na pressão de produtos químicos – equipamentos, mar agitado)

Este método e equipamento foram testados uma única vez no mar, para neutralizar uma pequena quantidade de armas químicas

As 700 toneladas de armas da Síria a destruir excedem em muito esse valor

O produto final será dado a “empresas privadas”. Não está claro ainda quais são elas

A eliminação de resíduos perigosos no mar é proibida pelos acordos internacionais

No entanto, pode ser excepcionalmente permitida em navios militares, de acordo com os tratados das Nações Unidas

A responsabilidade pertence ao Estado cuja bandeira o navio está a arvorar. Os EUA não assinaram a presente Convenção

Não há estudo sobre a eventualidade de um acidente nesta operação militar sem precedentes

Existem sérias preocupações acerca do impacto da descarga ou vazamento de produtos químicos

Os governos que têm interesses na NATO e na indústria da guerra – alimentada por envenenamentos e matança – lançaram um experimento perigoso sem precedentes no mar fechado do Mediterrâneo

O experimento no Mediterrâneo começou muito antes da destruição das armas químicas específicas

Ataques

Bombardeamentos

Matanças

Envenenamento e destruição da natureza

Dominando todos os organismos vivos

Miséria e morte

Elas não são só o resultado, são as mesmas armas que usam nos seus jogos geopolíticos

O seu objetivo final é dominar todos os recursos naturais e os organismos viventes

Não mais peões humanos nos jogos dos dominadores

Não mais vítimas animais dos seus planos mórbidos

Não mais a exploração do planeta para os seus lucros

LUTA PELA LIBERTAÇÃO TOTAL

fonte: alogomyges via sosyal savas
em alemão

Heraklion, Grécia: Ataque incendiário antifascista

Na churrascaria “Leoforos”, localizada na Avenida Knossou em Heraklion, ilha de Creta, tem estado a trabalhar, até aos dias de hoje, um declarado neonazi do Amanhecer Dourado.

Aos nossos olhos a equação é simples… as mãos “limpas” que alimentam os fascistas estão a tolerar e a apoiar a sua existência e ação, portanto, para nós, consistem num objetivo de ataque. Assim, no dia 30 de Outubro, colocámos um dispositivo incendiário neste negócio.

Posicionamo-nos com ódio e raiva contra a sociedade dos misantropos, contra toda a forma, instituição e portador de autoridade, opressão e repressão.

As suas noites tranquilas acabaram-se…

fonte

Heraklión, Grecia: Duros confrontos entre compas e neonazis

http://www.youtube.com/watch?v=n2NRCwvi2W0

Violentos confrontos entre compas e neonazis do Amanhecer Dourado tiveram lugar na tarde de 15 de Janeiro de 2013, na cidade de Heraklión, ilha de Creta.

Um grupo de 20 a 30 fascistas estava pela segunda vez a distribuir material neonazi, numa das principais ruas da cidade, quando foi atacado por um grupo de cerca de 60 compas antifascistas.  Após uma luta de cerca de 5 minutos os neonazis desapareceram do local. Foi nessa altura que intervieram dois esquadrôes da polícia anti-motim. A bófia correu atrás dos compas justamente quando os fachos retrocediam (algo que demonstra que a polícia e os fachos já se tinham coordenado entre si). Após a intervenção dos anti-motim, usando gases lacrimogéneos e granadas de ruído, os neonazis incitavam-nos a perseguir os antifascistas.

Pelo menos 5 fachos acabaram feridos, com golpes,, contusões e membros partidos, enquanto que 3 compas necessitaram de suturas devido ao lançamento de pedras.

Tanto os neonazis feridos como os/as nossos/as voltaram-se a encontrar, desta vez no hospital de serviço da cidade, contando também com a presença dos dois esquadrões dos anti-motim que protegiam os fachos. Para além disso, enquanto esperávamos que saíssem os compas do hospital, furámos as rodas dos 4 carros dos neonazis.

A partir de agora, cada tentativa de difusão de material fascista virá acompanhada de bófia,ambulâncias, suturas e cabeças partidas.

No geral, a acção teve êxito e de certeza que outras se seguirão, ainda melhores.

Saudações fraternas aos/às antifascistas de Agrinio, de Patras, de Volos e do mundo inteiro.

heraklion-crete
Alguns troféus dos confrontos com os neonazis

VIVA O ANTIFASCISMO COMBATIVO!

fonte

Ilha de Creta, Grécia: Neonazis expulsos de algumas povoações e concentração antifascista

Os neonazis do Amanhecer Dourado tentaram penetrar em várias povoações  da Ilha de Creta, inclusive Amira Viannou. Esta povoação viveu a execução de 114 residentes em Setembro de 1943 às mãos das forças de ocupação nazis. A associação local de sobreviventes do holocausto, juntamente com anarquistas e antifascistas de Heraklion, convocaram um bloco para evitar que os nazis entrassem na povoação. Do mesmo modo os nazis foram bloqueados na povoação de Viannos, o que os forçou a cancelar o seu passeio de propaganda.

Para hoje, 29 de Abril, os neonazis tinham planeado uma concentração ao meio dia na localidade de Nea Alikarnasso, Heraklion. Desde ontem, encontrava-se convocada uma concentração antifascista junto ao ginásio encerrado Melina Merkouri, com o objetivo de impedir a realização da reunião pré-eleitoral dos neonazis.

Desde as 10 h desta manhã (29 de Abril) cerca de 100 anarquistas e antifascistas reuniram-se na praça central de Alikarnassos e marcharam até ao local onde estava previsto que o candidato neonazi falasse. O local estava protegido pela bófia desde ontem à noite, mesmo assim a marcha antifascista tentou aproximar-se o mais possível. Cerca do meio dia, juntaram-se mais pessoas os bloco antinazi, vindos da Praça Eleftherias, local para onde esquerdistas tinham convocado outra concentração antifascista.

A presença da polícia era massiva (6 esquadrões anti-motim e vários à paisana). Finalmente cerca de 50 neonazis – chegados de várias partes de Creta e de Atenas também – assistiram à vomitiva festa pré-eleitoral do Amanhecer Dourado, apoiados pela bófia. Cerca das 13 h, os/as antifascistas saíram do local e realizaram uma marcha até à Praça de Agios Nikolaos. A presença anti-nazi, embora não tenha conseguido cancelar a reunião dos assassinos do Amanhecer Dourado, conseguiu que a zona se mantivesse livre de slogans fascistas e bloqueou a difusão do seu material de propaganda. Para veres mais fotos, clica aqui.

Rizítico, canção popular anti-nazi, dedicada às guerrilhas da Batalha de Creta (em alemão: Luftlandeschlacht um Kreta, 1941).

Fontes: 1, 2, 3, 4

Heraklion, Creta: Acción directa antifascista contra xs neonazis de Amencer Dourado

O cominicado en galego:

O venres 2 de Marzo, arredor das 15:00 horas, un grupo de compas atacou unha concentración de neo-nazis na zona industrial de Heraklión, despois de informarse respectivamente da súa presencia, que xa era coñecida polxs antifascistas dende comezos da semana. Xs fascistas atopábanse na canle local ‘Kriti TV’, debido ao discurso do líder da súa sección cretense. Despois dun pequeno enfrontamento, xs nazis fuxiron a agocharse nun restaurante que se sitúa no mesmo edificio que a canle, dende onde poderían ver xs compas reventando a porta do local para tentar entrar, así como tamén destrozando un dos vehículos privados dxs nazis. A reacción dxs hitlerianxs limitouse ás ameazas dende unha posición segura, mentras que poñían cousas trala porta e chamaban á policía por teléfono.

A aparición dxs neonazis de Amencer Dourado nas instalacións de ‘Kriti TV’, súmase á presencia provocativa na poboación de Vianno, fai case dúas semanas, cando xs membros deste partido legal, coma elxs o chaman, atacaron a un migrante e o ameazaron cun arma.

Despois deste incidente, deixámolo claro:

Cara xs fascistas: A vosa presencia en Heraklión, sexa de xeito público ou non, coma xa tedes comprendido dende o pasado mes de Xuño, non vai ser tolerada. En calquer intento de aparecer na cidade ides recibir a resposta axeitada.

Cara os medios en xeral e cara a canle ‘Kriti TV’ en particular: O feito de dar paso xs descendentes de Hitler, recoñecéndoxs así coma unha perspectiva política e lexítima máis, ainda que o fagades recoñecéndoa coma extremista, significa que automáticamente promovedes o fascismo. Dende agora, cada un/ha toma a responsabilidade das súas accións.

Cara a sociedad de Heraklión: Porque vivimos nunha época na que todas as flores van florecer e porque algunhas delas agochan espiñas envelenadas, a expulsión dos fascistas, incluso xs individuxs, das escolas, os campos de fútbol e os barrios é responsabilidade de todxs aquelxs que non comparten as visións hitlerianas da humanidade.

Xs responsables de que a Guerra contra o fascismo dure tantos anos, son aquelxs que en varias ocasiones lles ofreceron a Paz.

Antifascistas de Heraklion

traducido por vozcomoarma

Chania, Creta: Cartaz de solidariedade com os perseguidos pelo caso da Luta Revolucionária

Liberdade para todos os lutadores aprisionados

A campanha de selvageria moderna esmaga todos os aspectos da vida social, intensificando a miséria do “em” deste mundo.

Por outro lado, as partes da sociedade que não são subjugadas, que não consentem nos planos de autoridade, escolhem o contra-ataque, através do discurso e ações, envolvidos em multiformes lutas sociais.

O estado de garantia dos privilégios deste mundo exige a eliminação de cada um que perturbe a lisura da nossa exploração. Na antevisão dos militantes das lutas sociais e dos lutadores. Continuar a lerChania, Creta: Cartaz de solidariedade com os perseguidos pelo caso da Luta Revolucionária

Heraklion, Creta: Ocupação da “TV Creta” e “Kriti TV” durante o noticiário principal da noite

Na terca-feira, 4 de Outubro, um dia antes da greve geral anterior, a Iniciativa de Estudantes Universitárixs/Secundárixs-Trabalhadores-Desempregados em Heraklion, ilha de Creta, ocupou os estúdios dos dois canais locais de TV corporativa e interveio nos seus noticiários principais da noite, com vista às mobilizações para a greve nacional.

O primeiro vídeo inclui legendas em Inglês (certifique-se de ativar o botão cc).

Fonte: athens.indymedia.org

De Creta a Kavala, ações diretas para propagar a luta dos trabalhadores

ERGAMO-NOS:A mensagem da 'Democracia Direta em toda a parte', coletividade em Kavala, a toda a sociedade, no dia 15, dia da mobilização global de cidadãos.
ERGAMO-NOS:A mensagem da 'Democracia Direta em toda a parte', coletividade em Kavala, a toda a sociedade, no dia 15, dia da mobilização global de cidadãos.

Ilha de Creta : A assembleia geral dos trabalhadores na unidade periférica de Rethymnon decidiu ocupar o prédio da sub-região (prefeitura antiga) em 18 de outubro, para coordenar as suas ações com xs empregadxs, em várias regiões do país.

Vyronas, AtenasNo início da manhã de terça-feira, 18 outubro, os terminais do Eurobank, Banco Agrotiki, Banco Proton, Postbank Helénica e Bank Millennium, que estão localizados na rua Kolokotroni, foram “reformados” por um grupo de anarquistas que jogou tinta de várias cores nas fachadas, letreiros e caixas eletrônicos. Na sua reivindicação de responsabilidade, o grupo de anarquistas refere: ” … à beira de uma greve geral de 48 horas, escolhemos para atacar os ramos locais de agiotas, dando assim uma resposta simples e compreensível para os opressores das nossas vidas . “

Kavala, no norte da Grécia : As instalações do Centro de Trabalho estão sob ocupação desde a tarde do dia 18 de outubro. Os ocupantes lançaram um comunicado em que se exige a renúncia imediata das lideranças dos dois sindicatos colaboracionistas GSSE e ADEDY, e fazem um convite aberto a todos os trabalhadores e desempregados para organizarem assembleias gerais de base. A assembleia geral de trabalhadores será realizada na quarta-feira após o fim da manifestação, quando o edifício do Centro de Trabalho servir como centro de contra-informação, onde também existirão rastreios e cozinhas coletivas, realizadxs durante os dois dias da greve geral.

Noruega-Grécia: Mantenham os nazis fora!

[Texto distribuído em Chania, Ilha de Creta, a maior das ilhas gregas, situada a sudeste do continente grego no mar Mediterrâneo. Sua economia é baseada no turismo.]

Você está visitando um país, suas pessoas, e como sabe, está enfrentando ataques viciosos da classe dominante para pagar os encargos da crise econômica global, a maior experimentada desde a década de 1930. Como você também sabe, esses ataques sobre os salários, pensões, saúde e educação têm criado uma enorme onda de resistência da classe trabalhadora e da juventude na forma de 14 greves gerais, manifestações de massa e centenas de milhares de pessoas inundando as ruas de toda a Grécia no último mês, apesar da violenta repressão policial. Continuar a lerNoruega-Grécia: Mantenham os nazis fora!

Heraklion, Creta: Lutadorxs de rua antifascistas contra escória neonazi

Na tarde de Terça, 31 de Maio, ouvimos que um grupo neonazi havia aparecido na vizinhança de Analipsis no centro de Heraklion. Em uma ação de reflexo, nos encontramos imediatamente no local e contra-atacamos xs neonazi. Um resultado natural dessa ação direta foi que aquelxs nostálgicxs pela era de Hitler fugiram, deixando para trás um membro de seu grupo. Nós espancamos apenas um pouco este verme em particular meramente porque ele era jovem demais.

Este contra-ataque é parte de uma ação antifascista maior e não um incidente isolado. Como ataques racistas isolados contra imigrantes ocorreram no passado, nós deixamos claro que não vamos permitir qualquer outro encontro público de fascistas ou qualquer presença de fascismo na cidade em que vivemos.

Cobrimos nossas faces para esta ação, tomando medidas de auto-proteção já que sabemos que existem câmeras de vigilância na vizinhança e também para evitar infelizes encontros com possíveis alcoviteirxs (roufianoi) ou policiais a paisana.

PS. Provavelmente confiabilidade não caracteriza xs neonazi, já que elxs falam demais nas suas “conversas entre amigxs”.

Traduzido para o português pelo FogoGrego

Reação imediata e confrontos com a polícia, após o despejo da Ocupação PIKPA em Heraklion, na Ilha de Creta

Na quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011, às 6h30 da manhã, grande forças policiais antidistúrbios, acompanhados por um fiscal de plantão, começaram a desocupar o prédio da Ocupação do edifício do antigo PIKPA (Fundação Patriótica de Bem-estar e Concientização), na cidade de Heraklion, na Ilha de Creta. No momento da invasão policial não havia ninguém no prédio. Na falta de pessoas para prisão, a polícia evacuou o edifício, confiscando tudo que encontrou e removendo até mesmo portas e janelas. Continuar a lerReação imediata e confrontos com a polícia, após o despejo da Ocupação PIKPA em Heraklion, na Ilha de Creta

Chania, Ilha de Creta: Ataque racista com fuzis contra imigrantes

Na segunda-feira, 15 de novembro, dois imigrantes palestinos foram vítimas de um ataque racista em Kisamos de Chania, na Ilha de Creta. Os imigrantes estavam na praia de Kastelli, quando apareceu um grupo de quatro fascistas que os atacaram com fuzis. Sem nenhuma razão em particular, os imigrantes foram cruelmente espancados e deixados no chão sangrando. Após a surra, os fascistas gritaram imigrantes voltem aos seus países. Os dois homens feridos conseguiram se arrastar até uma loja nas proximidades para pedir ajuda. A polícia chegou e os imigrantes foram levados para o Centro de Saúde de Kasteli para receber tratamento médico nos ferimentos graves. Um deles tinha um braço e uma perna quebrados, enquanto que o outro necessitou de 24 pontos na cabeça. Continuar a lerChania, Ilha de Creta: Ataque racista com fuzis contra imigrantes