Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

[País de Gales] Chamada à mobilização e ações contra a NATO em Newport

Semana de Ação contra Cimeira da NATO: 30 Agosto – 5 Setembro

A Rede Stop G8 (agora com o nome de Rede de Ação Anarquista) apoia a Stop NATO Cymru fazendo um chamado para a mobilização durante a Cimeira da NATO em Newport em Setembro de 2014.

Este ano, a NATO realizará a sua próxima Cimeira no Celtic Manor Resort em Newport, País de Gales. No início de Setembro de 2014, xs “líderes mundiais” – todxs xs diretamente responsáveis pelas mortes incalculáveis, voos ilegais de tortura, e as guerras – onde se luta somente para proteger os interesses de empresas ocidentais e das rotas de abastecimento de recursos – vão-se reunir próximo da histórica cidade galesa.

Muitas pessoas de Newport, Cardiff, Bristol e além, ir-se-ão opor à Cimeira e usarão uma diversidade de táticas contra ela. Nós, uma rede anticapitalista e antimilitarista, no País de Gales, pretendemos facilitar mobilizações e proporcionar espaço para workshops, ações de perícia e eventos sociais. Estamos a organizar, sem líderes, não concordamos com chefes ou bombas.

A NATO tem usado muitas vezes o termo “intervenções humanitárias”, escondendo desse modo o fato de que, na realidade, luta para o benefício estratégico, económico e político, das classes de elite nos países membros da NATO. O militarismo e capitalismo fazem parte da própria estrutura do poder mundial. A crítica e o confronto com o capitalismo são um aspecto indispensável da nossa posição antimilitarista.

Na sua forma actual, a NATO é uma aliança militar armada nuclear, com mais de 5000 armas nucleares. Foi supostamente criada para a defesa mútua durante a Guerra Fria e deveria ter sido dissolvida quando a União Soviética desapareceu. Em vez disso, expandiu-se e tornou-se uma força de aliança agressiva, engajada em guerras com uma mentalidade de cruzada.

Durante quase dez anos, a NATO levou a guerra ao Afeganistão,historicamente uma região charneira entre o Ocidente e o Oriente, onde cerca de 100 mil civis inocentes foram mortxs e três milhões de pessoas inocentes tornaram-se refugiadxs.

Mas a crítica do militarismo e do capitalismo não termina com a NATO: A despesa militar global anual é de mais de £ 1.072.600.000.000 (libras); o que corresponde a um gasto estimado de 150 libras por pessoa, por ano, em todo o mundo. O orçamento militar do Reino Unido é o quarto mais alto do mundo. Numa época de austeridade, devemos exigir saber por que os gastos militares são tão altos e expor a brutalidade de todxs aquelxs que estão em posições de poder a nível global.

A maioria das pessoas enfrentam questões muito mais prementes do que os novos caças ou submarinos. As pessoas querem que o dinheiro se utilize em instalações locais e acesso adequado às infra-estruturas social e de saúde.

Mesmo quando o exército fez alguns cortes, estes já tiveram um impacto sobre as pessoas antes – em vez de em coisas materiais como compra de armas – são os cortes de pessoal, salários mais baixos e as pensões (reformas). O Reino Unido ainda está a planear gastar quase 160 biliões de libras para novas armas antes de 2022, incluíndo 35.8 biliões de libras para submarinos nucleares são concebidos para não serem usados.

Enquanto as pessoas em todo o mundo lutam para prover as necessidades básicas às suas famílias, os governos esbanjam vastos recursos em intervenções militares, um desperdício tanto em recursos como de vidas e que reflete paradigmas do passado.

Os EUA, sob a bandeira da NATO, continuam a trabalhar para colocar um sistema de “defesa antimísseis” na Europa, o que está a provocar inquietante corrida ao armamento com a Rússia. No entanto, não temos de concordar com os seus planos para connosco. As pessoas, nas comunidades à nossa volta, estão a construir a resistência às bases militares na sua área. Incluíndo Aberporth, Ceredigion, Menwith Hill, em Yorkshire, RAF Waddington, no Lincolnshire, Faslane perto de Glasgow, EDO em Brighton, onde as populações locais estão a mobilizar-se e a opor-se ao militarismo.

Newport tem uma história de radicalismo. A revolta Chartista, que celebra o seu 175 º aniversário este ano, foi a última insurreição armada em grande escala no País de Gales, Inglaterra e Escócia. A peça popular de Arte Pública, celebrando a revolta, foi recentemente demolida antes do previsto, como parte de uma reconstrução planejada para o centro e financiada por um empréstimo de £ 90.000.000, oferecida pelo Conselho aos promotores, através da redução de fundos para serviços de primeira linha. Esta aposta ingénua em reviver as fortunas da cidade, através do bombeamento de fundos públicos em empresas privadas, junta-se a uma longa lista que inclui a LG, a Taça Ryder e agora esta Cimeira da NATO.

Juntamente com pessoas de todo o País de Gales, e para além dele, vamos mobilizar até Setembro contra o militarismo, as relíquias da Guerra Fria, e os insuflados orçamentos de defesa.

Esperamos que você possa juntar-se aos protestos, manifestações e atividades, para se opôr à NATO e aos líderes mundiais, estando em Newport. Grande parte do que está previsto é a partir de agora até Setembro. O nosso objetivo é ser uma rede aberta e inclusiva, trabalhando juntxs, com tantas pessoas quanto possível, afim de se encontrar estruturas locais e mundiais não-hierárquicas como alternativas ao sistema de exploração, estando atentxs às potenciais infiltrações corporativas e do estado no seio do nosso movimento. O nosso site será atualizado com notícias e informações e temos um endereço de e-mail para podermos ser contactados em: stopnatocymru@riseup.net

Stop NATO Cymru, pertencente à Rede de Ação Anarquista

Apoiado por:
South Wales Anarchists, Cymru Wales IWW, Cardiff Food not Bombs, Swansea Food not Bombs, No Borders South Wales, Bristol Against Arms Trade

anarchistaction.net

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>