Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Exarchia, Atenas: Balanço do 1º mês – operacionalização da Okupa Themistokleous 58

K-TH-58(É possível ler o primeiro comunicado da okupa, aqui)

No mês passado, a okupa Themistokleous 58 participou numa série de acções/ protestos:

A 16 de Janeiro de 2016, tomámos as ruas pela primeira vez – um bloco distinto de cerca de 30 indivíduxs – na parte de trás de uma manifestação em memória de Shahzad Luqman, no bairro ateniense de Petralona. Foram gritadas e pintadas palavras de ordem, em várias línguas, e uma caixa multibanco foi vandalizada pelo caminho. Após a manif ter acabado, foi desmantelado o sinal por cima da entrada do escritório local do partido governante Syriza, em Ano Petralona.

A 23 de Janeiro, participámos numa manifestação de solidariedade com a imigrante detida Sanaa Taleb, iniciada na Praça da Vitória, na baixa de Atenas. Entre outras palavras de ordem, foram entoadas as seguintes: Lutas comuns imigrantes – locais; Expropriemos a riqueza da burguesia// Estruturas de solidariedade, núcleos de motins, guerra contra a guerra dos detentores do Poder// Alerta, alerta, antipatriota // Oiçam bem seus patriotas miseráveis: vamos pegar fogo às fronteiras nacionais // Cozinhas colectivas, carros da bófia queimados, lutas polimórficas pela liberdade // Os descontos de Janeiro não são suficientes, expropriemos em massa // A bandeira (nacional) tem bom aspecto depois de queimada // Liberdade para aquelxs que estão nas celas da prisão //A unidade nacional é uma armadilha; nós, xs excluídxs, não temos pátria // Sanaa, aguenta-te firme até à liberdade, etc.

A 30 de Janeiro, participámos com um bloco de cerca de 40 indivíduxs (okupas e pessoas em solidariedade) na defesa do canto esquerdo da Praça da Vitória, para garantir que o local permaneceria intocável para os esfaqueadores do Amanhecer Dourado. Permanecemos na praça das 18:00 às 23:30. Saímos, então, de forma coordenada, em conjunto com o resto das formações/colectivos que participaram na defesa da praça e com a maioria dxs imigrantes que estavam presentes, voltando juntxs para Exarchia. Reconhecendo a nossa co-responsabilidade em se mover um grupo de cerca de 50 indivíduxs da Praça da Vitória para Exarchia, uma iniciativa de indivíduxs da okupa entrou no recinto da Escola Politécnica de Atenas para que as pessoas pudessem passar a noite sem risco de serem ameaçadxs pelos bastardos uniformizados da polícia grega ou por grupos de Nazis que estivessem em caçada. Na manhã seguinte xs cerca de 50 imigrantes deixaram a Politécnica e regressaram à Praça da Vitória.

A 4 de Fevereiro, fizemos parte dum grupo de defesa do bloco negro anarquista que participava na manifestação da greve geral, no centro de Atenas. Como em todas as situações anteriores, o grupo de okupas e de pessoas em solidariedade que tomaram as ruas era internacional e multirracial.

A 10 de Fevereiro, pusemos faixas na okupa, em solidariedade com o centro social autónomo Klinika em Praga- recentemente atacado por fascistas.

A 11 de Fevereiro, um pequeno grupo nosso participou na manifestação em solidariedade com a okupa Apartman de Vancouver com uma faixa em que se podia ler: “ As okupas são uma luta pela vida”.

Complementarmente à actividades mencionada acima, declarámos a nossa solidariedade com as estruturas auto-organizadas e projectos que têm vindo a ser ameaçados com repressão ou atingidos pelo Estado e/ou por fascistas neste período.

No que toca à operacionalização do edifício em si, os espaços comuns da okupa (sala de assembleia e cozinha no piso inferior) abrem às 08:30 diariamente (excepto Domingos, em que abrem às 10:00), e as portas da okupa fecham estritamente à meia-noite. A casa está cheia de momento e estamos a estabelecer uma efetiva vida comunal auto-organizada. O uso de drogas e álcool bem como o tabagismo não é permitido dentro dos espaços da okupa. O acordo específico entre todxs xs participantes da okupa corresponde à nossa necessidade de estar hospedadxs num ambiente residencial livre de brigas e seguro para todas as pessoas envolvidas no projecto, independentemente da idade. Sublinhamos o facto da okupa não ter capacidade para hospedar pessoas com deficiências motoras sérias, problemas mentais ou dependência de substâncias. A “loja livre” no piso inferior (espaço de dar e receber para troca de roupa e outros objectos) está aberta das 12:00 às 20:00, diariamente. A assembleia aberta da okupa acontece no piso inferior todas as segundas-feiras às 20:00, onde as pessoas em solidariedade podem discutir vários tópicos relacionados com a okupa, participando em diferentes grupos de trabalho, sugerindo ideias para o melhoramento do projecto em funcionamento.

O que se segue é uma lista das necessidades que temos de momento:

Materiais técnicos/reparações: Tintas, paletes/produtos de madeira, doações para a canalização.

Cozinhas: mini frigoríficos, mini fornos, botijas de gás para cozinhar, garfos/colheres/facas, pratos, taças/ copos.

Comida: Azeite (necessidade prioritária), mercearias (arroz, massa, legumes), leite, vegetais e fruta.

Produtos de Limpeza: Detergentes, sabões, papel higiénico.

Materiais de Jardinagem: Solo, sementes, vasos e pires.

Necessidades Gerais: Aquecedores, materiais artesanais/ de papelaria, máquina de costura.

Para terminar gostaríamos de agradecer a todxs xs que apoiaram fatualmente o projecto até este momento. A luta continua, até a destruição total dos Estados e das suas fronteiras.

Okupa Themistokleous 58
th58[at]riseup.net

em grego l inglês

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>