Chamado internacional de sabotagem e ação direta contra o Mundial de futebol no Brasil

Em 12 de junho de 2014 no Brasil começará a Copa do Mundo de Futebol, evento desportivo que empresárixs, políticxs, jornalistas e simpatizantes esperam em ânsias, seja por ganância ou exacerbação nacionalista, uma Copa que tem agendado o maior orçamento de investimento da história (mais de 600.000 milhões de dólares, e a conta ainda não parou…).

Porém, para lá do colorido, das danças, do carnaval, da “alegria”, a realidade é outra:

No país carioca as forcas repressivas, comandadas pela mal nascida Dilma Rousseff e treinadas pelas brigadas antiterroristas dos EUA, sejam o exército, a polícia ou a ironicamente denominada Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), liderada pelos milicos Alexandre Braga e Ezequiel Oliveira de Mendonça, estão a pôr em prática uma política de extermínio da população marginal, concentrando os seus ataques nas favelas e nas zonas mais pobres dessa região. Um extermínio que está longe de diminuir, já que a implantação da policia militar, orquestrada pelo delegado Tarcísio Andreas Jansen e o coronel Marcelo Rocha, tem vindo a aumentar à medida que se aproxima a inauguração.

Só em cidades como São Paulo, durante as obras de preparação do Mundial cerca de 70.000 famílias foram desalojadas já, enquanto no Rio de Janeiro igual destino correm cerca de 40.000 moradias.

O estado brasileiro, fazendo gala da sua fama de progressista e assistencialista, ofereceu a alguns e algumas dxs desalojadxs (obviamente nenhum ou nenhuma era de bairros burgueses, pois estes não foram afetados em nada) uma quantia que não lhes chega para recuperar a sua habitação original, cuspindo na dignidade dxs moradores, acreditando que todo o sangue derramado pode ser coberto com dinheiro.

E se de sangue derramado falamos, no Brasil durante estes últimos meses são centenas as feridas e dezenas as mortes.

Não podemos deixar de mencionar as repugnantes ações do Estado, assassinando do modo mais cobarde crianças que sobrevivem nas ruas, para receber os 600.000 turistas que se calcula que chegarão ao país, oferecendo-lhes por sua vez as centenas de corpos de mulheres e de meninas submetidas à prostituição.

Este cenário, talvez desconhecido para muitxs, é moeda corrente na America do Sul; daí que a nossa raiva nasça do ódio mais sincero, da limitação da satisfação das necessidades básicas, das submissões diárias e das humilhações constantes, daí que a nossa raiva não seja por tédio ou pose revolucionária, antes seja necessária e urgente e claro, formosamente violenta…

Como anarquistas, não podemos permanecer indiferentes a tanta miséria, tanta dor, tanta tortura e tanta morte.

Os responsáveis destas atrocidades não andam se escondendo, são os patrocinadores, as multinacionais, a mesma sociedade que com a sua passividade e servilismo tolera e incentiva este torneio.

Dos primeiros, podemos encontrar escritórios e representantes em diversas partes do globo… falta só ajustar as miras e disparar.

Dos segundos, nada esperamos nem lhes pedimos nada, por isso chamamos à ação a todxs nós, aos e às lutadorxs anarquistas das diversas regiões, aos e às refratárixs desta ordem imunda, aos e às subversivxs que entendem que o único caminho é o do confronto direto e real.

Por consequência e coerência, em rebeldia e ação.

Por isso este comunicado não pretende ser meramente de repúdio, mas sim uma clara incitação à conspiração, à sabotagem e ataque de todos os instrumentos do sistema de dominação que nos pretende domesticar, neste caso especificamente esta Copa de merda.

Assim, pela nossa parte e para começar, realizamos uma ligação anónima ao voo da empresa TAM JJ8011, com destino a São Paulo, que partia de Buenos Aires, alertando para uma bomba, afim de sabotar o fluxo normal de turistas, que chegam à região dominada pelo governo brasileiro, inconscientes do que ali acontece ou dela cúmplices devido à apatia.

SE NÃO VOCÊ, QUEM? SE NÃO AGORA, QUANDO?

SOLIDARIEDADE ATIVA COM XS COMPANHEIRXS EM REVOLTA NO BRASIL!

VINGANÇA PELXS FERIDXS, PRESXS, E MORTXS ÀS MÃOS DO ESTADO!

NÃO VAI TER COPA!

Célula de Solidariedade Internacional
A Vencer ou Morrer Pela Anarquia.

em espanhol