Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Alabama, EUA: Algumas palavras do prisioneiro a longo termo Michael Kimble

Oi!

Bem-vindo ao meu site, Anarchy Live!

O meu nome é Michael Kimble, tenho 49 anos, sou negro, anarquista, homosexual, a cumprir uma sentença de prisão perpétua pela morte de um branco, homofóbico, racista fanático.

Mantêm-me em cativeiro, no sistema carcerário do Alabama, na instituição de correção de segurança máxima Holman. Nesta prisão, ocorrem assassinatos legalizados pelo Estado (pena de morte). Já cumpri 28 anos de prisão e espero, de novo, ver considerada a minha libertação, sob condições, em Dezembro de 2015, após muitas recusas.

Durante o primeiro período do meu encarceramento, abracei o comunismo durante alguns anos, porque este parecia me dar apoio e referia-se à opressão dos negros, pobres, presos e pessoal homosexual. Mas, afinal, abandonei o comunismo devido à sua estrutura autoritária, tornando-me anarquista um par de anos depois. Anarquismo é o que se encaixa melhor no meu temperamento e raciocínio. Além disso, é mais prático. O anarquismo não é sobre a construção de uma estrutura hierárquica de libertação algures, num futuro distante, mas sobre viver a vida AGORA, de uma forma que seja libertadora. Isso é mais prático.

Estar na prisão é um inferno e especialmente difícil para aqueles de nós que se identificam como homosexuais, queer, ou de género dissidente. A prisão é o fascismo de perto, em 3-D. É também um ambiente super-macho no qual toda a gente tem uma máscara posta para sobreviver. É o reino supremo do medo, apatia, desespero, depressão e violência. Muito parecido com a sociedade.

Mas apesar de toda a fealdade, ainda se pode encontrar humanidade aqui. Exemplo: parece que aqueles que se encontram cativos, seriam indiferentes e cruéis, devido ao insensível e violento condicionamento criado pelo ambiente carcerário superlotado, que nenhuma humanidade transpareceria, mas a verdade é que a humanidade abunda. Há alguns gatos no complexo prisional, que alguns presos tomaram a responsabilidade de cuidar e recentemente tivemos uma nova adição: um gatinho bebé nasceu. Ela é preta com um colar branco acinzentado ao redor de seu pescoço. É absolutamente linda e doce como se pode ser e nós estamos loucos de amor por ela. Tentamos também dar-lhes a todos a melhor vida possível. Sabemos o que é a crueldade e como podre este mundo pode ser. Espero postar algumas fotos deles (os nossos bebés) em breve.

Tenho alguns passatempos como sejam a criação de máscaras tribais,compor música no computador aqui,ler a história radical, política, bricolage e livros de terror, em especial livros de vampiros. Acho que me identifico com vampiros porque são solitários, marginalizados e só são aceites entre a sua própria espécie, existindo no mundo quem os receie e os queira destruir. Obrigada por visitar o site e, por favor, entre em contacto comigo. É um mundo solitário, este aqui.

Até que estejamos todos livres!

Michael Kimble #138017/B-107
3700 Holman Unit, Atmore, AL 36503, USA/EUA

fonte: june11.org

em grego

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>