[Prisões italianas] Últimas sobre os compas Lucio e Graziano

Desde 11 de Julho, Graziano encontra-se completamente isolado na prisão de Borgo San Nicola em Lecce: o postigo da porta está fechado todo o dia e o pátio, a que se nega a ir só, é um buraco pequeno e sujo. A responsabilidade desta situação é da administração da prisão, que afirma que são os outros internos da seção que não podem estar com ninguém.

A 3 de Agosto, foi transferido de cela, o que veio piorar a sua situação: a cela é mais pequena, está menos limpa, a televisão não funciona e as celas ao lado estão vazias, portanto é-lhe impossível, inclusive, trocar algumas palavras, poucas que fossem.

A correspondência e os livros chegam-lhe com bastante regularidade, pelo que se convida a que continuem a escrever-lhe. Graziano tem conseguido ouvir bem as concentrações feitas em solidariedade com ele.

Lucio encontra-se na prisão de Busto Arsizio desde sábado 26 de Julho. A entrada na prisão tem sido vedada, após a entrevista com o vice-comandante dos guardas, que lhe disse claramente que – a troco de que se porte bem e de que cumpra com o regulamento – a sua pessoa não será de interesse para a prisão. Lucio está numa cela com dois jovens mais o menos da mesma idade, com eles encontra-se bem. O postigo da porta está sempre fechado, excepto durante as 2 horas de pátio de manhã e as três horas de pátio à tarde, que podem ser alteradas para sociabilizar (num quarto minúsculo) ou pelas actividades. As quatro secções da prisão podem utilizar os espaços do pátio, um por secção (6m x 10m), as salas para socializar (quartos minúsculos) e, rotativamente, os dois campos de futebol (normalmente aos sábados, semana sim, semana não). Também há um ginásio, ao qual só se pode aceder mediante uma petição escrita que, como qualquer outra petição relativa às actividades e bens como relógios, cintos e sapatos de substituição, têm tempos de resposta superiores a um mês.

Lucio fez-nos saber que, em geral, os guardas são muito formais, muito respeitosos do regulamento e mais destacados na relação com os presos que na prisão de S. Vittore (Milão), coisa que não o incomoda em absoluto, pelo contrário: esta distância correspondida simplifica-lhe em grande medida a vida, na secção, tornando mais fácil a intenção de reduzir ao mínimo as relações com os guardas.

Recordamos agora novamente as direções para escrever aos/às sete compas presxs por ações NO TAV

Francesco Sala C.C. via Palosca, 2 – 26100 Cremona. Itália;

Lucio Alberti C.C. Via Cassano Magnago, 102 – 21052 Busto Arsizio (Varese), Itá

Graziano Mazzarelli C.C. via Paolo Perrone, 4, Borgo San Nicola – 73100 Lecce, Itália;

Niccolò Blasi e Mattia Zanotti C.C. San Michele strada Casale, 50/A – 15121 Alessandria, Itália;

Claudio Alberto C.C. via dell’Arginone, 327 – 44100 Ferrara, Itália;

Chiara Zenobi C.C. “Rebibbia” via Bartolo Longo, 92 – 00156 Roma, Itália.

fonte macerie via neroveleno