Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Atenas: Crónica da concentração junto às prisões de Korydallos, na véspera de Ano Novo

Foram cerca de 250 xs que participámos na concentração junto às prisões de Korydallos, durante a noite de 31/12, de forma a passarmos a véspera de ano novo junto aquelxs que estão presxs nas celas da democracia grega. Concentramos-nos principalmente nas proximidades da câmara municipal de Korydallos – onde havia contacto visual com os reús – nas prisões masculinas respondiam com gritos e sinais. Pouco depois da meia noite – a seguir a serem lançadas algumas bengalas e petardos – os anti-motim, à nossa frente, carregaram contra a multidão, lançando granadas atordoantes e gás lacrimogéneo. Fomos, em seguida, para a rua Grgoriou Lampraki – em direção ao estacionamento das prisões femininas – mas o esquadrão que ali se encontrava bloqueou a entrada e não conseguimos entrar aí. Do local donde estávamos parecia que a ala das prisões femininas estava vazia. Ficámos nessa rua algum tempo, gritando umas palavras de ordem mais e a seguir, depois das pessoas dispersarem, fomos embora também – éramos os últimos pouco antes da 1 da manhã.

Durante a concentração, compas que participaram na convocatória dxs Anarquistas dentro e fora dos muros de Korydallos empunharam uma faixa onde se podia ler em grego/espanhol: “Complicidade solidária com xs compas presxs – Luta sem trégua contra todo o Poder – Pintemos de negro todos os meses – Que o ano novo seja insurreto (A)”

Entre outras, também estas palavras de ordem foram ouvidas:

A paixão pela liberdade é mais forte que todas as celas.

Liberdade aquelxs que estão nas celas.

Vocês nas grades e nós nas ruas, todxs juntxs demoliremos o Estado e as leis.

Nem presxs políticxs, nem presxs comuns, fogo e explosões a todas as prisões.

Explosões e fogo neste bordel.

O Dezembro Negro não esquece xs que estão nas celas.

Lutas comuns dentro e fora dos muros, até se destruir todas as prisões.

O que é justo é estarmos amotinadxs e não chibxs ou ajoelhadxs.

Contra toda a forma de cativeiro, guerra à guerra da dominação.

A cumplicidade é a arma dxs guerreirxs, que não fique ninguém só nas mãos do inimigo.

Familiares e companheirxs odiamos as celas, odiamos a resignação e o chibanço.

EL.AS (pelas siglas da polícia grega) de gregos, polícias, chibos, assassinos e torturadores

Perante a democracia não te ajoelhes: Conspiração de Células de Fogo.

Debaixo dos seus cascos só têm merda, por isso é que não entendem o que é a liberdade

Ilir Kareli fez o correcto, apunhalou o carcereiro bastardo

O que é correto: que todxs escapem de Korydallos

Escutem-no bem, torturadores: as patas fora dxs lutadorxs

Da Grécia até ao México, morte ao sistema penitenciário

E da Grécia até ao Chile, que se demula todas as prisões

Isto é que é o correcto: rajadas de Kaláshnikov, para que entre bem na sua cabeça.

Bófia, soa-vos a algo o bairro de Gyzi? (referência ao guerrilheiro anarquista Christos Tsoutsouvis que matou 3 polícias, num confronto armado, a 15 de Maio de 1985, no bairro de Gyzi, antes de cair morto)

Bomba à casa de cada juíz, fogo ao carro de cada torturador

Irmãos/irmãs força, até à liberdade!

em espanhol

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>