Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Espanha: Palavras do companheiro Tonni, após fuga do centro onde o encerravam

group therapyA 30 de Abril Tonni, um chavalo anarquista de Madrid, foi sequestrado por seu pai e mãe e encerrado num “centro terapêutico familar” (o que resulta ser física e vivencialmente um reformatório). É em centros como este que se encerram centenas de jovens e crianças por se mostrarem insubmissxs perante as exigências das suas famílias seja pela sua ideologia, forma de vida, consumo de drogas, ou inclusive  por serem maricas, fufas, trans – neste caso, diferentemente dos reformatórios convencionais, sem necessidade de ordem judicial e a troco de 4000€ e da acusação das suas famílias.

A seguir o comunicado sobre Tonni:

Há quase três meses que me quiseram cortar laços que eram inquebráveis, quiseram refrear os nossos actos e encerrar as nossas ideias entre muros plenos de psicólogos e video-vigilância. Apesar disso nem um só dia do confinamento passou despercebido, a solidariedade entre anarquistas nunca foi só palavra escrita e sobrepõe-se a todas as jaulas, a todos os golpes e ao roubo de todos os abraços.

A 16 de Julho, a amizade e a rebeldia derrubaram os muros e o nosso companheiro Tonni fugiu do centro no qual o encerravam, escapando da autoridade que o quis destruir, para continuar a luta pela liberdade. Ainda sobram muros para derrubar.

Sentimos de tudo; medo, entusiasmo, raiva, motivação, ansiedade, felicidade…Às vezes parecia que os nossos inimigos estavam sempre um passo à frente e que nem se podia pensar sequer em actuar sem que eles o soubessem. Contudo pensamos-lo e fizemos-lo e no fim ficamos  juntos. A liberdade é imparável e isto sabem-lo bem os milhares de animais humanos e não humanos que conseguem deixar para trás as suas condições de confinamento e/ou exploração. Tu também podes deixar para trás os muros que nos cercam e ajudar outrxs a fazê-lo.
O nosso amor não cabe nas suas jaulas, fogo a todas as prisões e viva a anarquia!

A seguir, transcrevemos umas palavras do companheiro para os miseráveis adultos:

Cada vez que vocês me diziam que não podia contar com os meus amigos, que eram más pessoas e que me levavam por mau caminho, acercava-me eu mais delxs e  demonstravam-me elxs que podia contar com elxs.  Cada vez que não aceitavam a minha maneira de ser e viver afastava-me mais eu da vossa vida.  De cada vez que me encerraram acabei eu por fugir; do instituto, da vossa casa, do centro. Podeis começar a esquecer-me pois não voltareis a encerrar-me.

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>