O rio de todas as lutas desagua a 15 de Junho. Mobilizem-se. A luta é internacional.

Grécia prepara uma nova Greve Geral para 15 de Junho. Mobilizações são dirigidas contra o novo acordo (Memorando) entre o governo e a troika (FMI / UE / BCE), que deverá ser votado no parlamento, na manhã do dia 15. A Assembleia da Praça Syntagma apelou a um bloqueio do parlamento. Ao mesmo tempo, os imigrantes e anarquistas lutam duramente em toda a Grécia, procurando bloquear os ataques assassinos dos neo-nazis que se realizam com a cobertura da polícia grega.

 

Em solidariedade à luta do povo grego, muitas ações vêm ocorrendo ao redor do mundo. Como anarquistas sabemos que a luta não conhece fronteiras. Portanto, chamamos a todxs a organizar ações de solidariedade com a Greve Geral de 15 Junho. Seja através da contra-informação (divulgação deste ou outros blogs de notícia na internet, pixações, stickers, etc), conversas com xs amigxs ou organização de debates a respeito do assunto, ou mesmo ação direta de solidariedade, com ocupações, faixas ou panfletagem. As formas e ideias são muitas, a solidariedade nossa arma.

 

Uma multidão, cujo tamanho é difícil de estimar, reuniu-se no dia 5 de Junho, no centro de Atenas para protestar contra a crise e o Memorando. Ao Apelo para uma acção europeia mais de 150.000 mil pessoas alagaram a Praça Syntagma e muitas avenidas centrais nas proximidades.

Todos os tipos de manifestantes – jovens, velhos, crianças – confluiram para a Praça Syntagma, protestando contra o desemprego, a impunidade política, da corrupção e da introdução do segundo memorando.

Em Salónica, dezenas de milhares reuniram-se em frente à Torre Branca [Lefkos Pyrgos] e o número de manifestantes chegou aos 30.000. Foi o maior protesto até agora de “indignados”. Os manifestantes gritavam palavras de ordem contra o FMI, juntamente com outros como “tomar as ruas antes que nos crucifiquem” e “não vão nos tirar os direitos”.

Protestos semelhantes ocorreram noutras cidades gregas também.

Em Patra, os manifestantes apareceram com dois mock-ups (do vice-presidente do governo Theodoros Pagalos e de Angela Merkel). Milhares de pessoas reuniram na praça do Georgiu e gritaram slogans como ” Eu sinto muito! Eu não posso pagar pela crise / o meu dinheiro está numa conta bancária na Suíça “ou “Referendo do FMI agora!”

Entretanto, em Chania (Creta), um grupo armado de extrema direita (cerca de 20-30 pessoas), possivelmente relacionado com o grupelho neo-fascista “Golden Dawn”, apareceu na Praça Agoras onde a Assembleia de “Democracia direta Agora!” tinha lugar, com o objetivo de expor o seu discurso de ódio. Perante os abusos físicos e verbais deste grupo e com a ajuda de alguns dos participantes e doutros transeuntes, os fascistas foram expulsos.

A extrema-direita tem encontrado um travão na ação dos anarquistas que têm tido um papel fundamental na defesa dos imigrantes – vítimas privilegiadas dos seus ataques assassinos – depois de terem sido eles próprios alvo de ataques concertados de grupos de neo-nazis, com a cobertura da polícia.

Até agora, as Assembleias têm sido pacíficas. As pessoas estão a se unir, independentemente da convicção política, por razões puramente económicas.

Na noite de 11 junho, a Assembleia Popular da Praça Syntagma anunciou um Apelo para o bloqueio do Parlamento grego antes da votação do chamado Acordo Intercalar entre o governo grego e a troika (FMI / BCE / UE). O novo acordo inclui aumento de impostos selvagens, mais redução dos salários e das pensões e a lay-off de mais de 100 mil funcionários públicos nos próximos anos.

Entretanto o movimento anarquista está na rua também, combatendo os neonazis e os racistas e tentando edificar canais de comunicação com os imigrantes para organizar grupos multirraciais de autodefesa ativa e para provocar o isolamento político dos fascistas nos bairros.

A cidade está novamente a preparar uma Greve Geral (15 de Junho).

COMUNICADO

24 horas nas ruas!

Damos a nossa própria resposta ao Acordo Intercalar

a 15 de Junho cercando o Parlamento

Agora que o governo está a tentar votar o acordo de médio prazo, os que nos reunimos e ficamos em Syntagma, que cercamos o Parlamento, todos juntos, vamos continuar e fortalecer as mobilizações que começaram em 25 de maio. Anossa próxima ação é a Greve Geral de 15 de junho. Não vamos parar até que retirem o Acordo.

Apoiamos por todos os meios a Greve Geral e manifestar-nos-emos pacificamente. A 15 de junho, não trabalharemos e não consumiremos. Estamos em coordenação com todos as pessoas que desejam expressar o seu desacordo com o Acordo de médio prazo, com os grevistas e com os seus sindicatos, com as Assembleias Populares, com as mobilizações e as ocupações em todo o país. Apelamos aos artistas para apoiar esta mobilização, para tomar as ruas connosco e expressar a sua criatividade.
Teremos três grandes pontos de encontro:

Quarta-feira, 15 de Junho, às 07:00
1. Em frente ao Parlamento
2. Na paragem de metro Evangelismos.
3. No Estádio Panathenaic (na Avenida Vasileos Konstantinou)

Até 15 de junho ficaremos em Atenas para nos certificarmos de que a convocação da Assembléia Popular Syntagma foi espalhada por toda a parte.

Vamos fazer com que oiçam a nossa voz bem alto:
Acordo Intercalar não deve passar!

Assembleia Popular da Praça Syntagma, 11 de junho de 2011

Leia também: A solidariedade não conhece fronteiras. Greve Geral 15 Jun.

Sem comentários “O rio de todas as lutas desagua a 15 de Junho. Mobilizem-se. A luta é internacional.”