Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Alemanha: Liberdade para Thomas Meyer-Falk, prisioneiro desde 1996

Se você luta contra o Estado, se luta por um mundo melhor, luta pela liberdade, há uma possibilidade de que te tranquem na cadeia – que é onde estou. Há 15 anos. Nos lugares mais infernais, mantido em isolamento por razões de segurança, há mais de 10 anos. Fui preso em 1996 e só posto em liberdade na prisão geral popular em 2007.

Em outubro de 1996 fui preso depois de roubar um banco para levantar dinheiro para projetos revolucionários e antiautoritários – alguns legais e outros ilegais. Fui condenado a 11 anos e meio e a “Sicherungsverwahrung” (prisão preventiva, com base em uma lei nazi de 1933, que permite ao Estado mantê-lo sob custódia pela vida, alegando que pensam que eu sou “uma ameaça à segurança pública”). Pelo fato de haver lutado ativamente, tenho sido mantido em isolamento por mais de 10 anos; passei os últimos quatro anos na prisão geral popular, mas me recuso a cooperar com o Estado ou a aceitar trabalhos forçados. E assim, em 2009, os da condicional não encontraram nenhuma razão para me libertar. Em 2013, vou cumprir minha condenação e serei mudado para outra prisão de segurança máxima pelo prisão preventiva. Na verdade, a “Sicherungsverwahrung” deveria ter começado em 2008, mas tive alguns pequenos julgamentos na última década por “insultar juízes, políticos e chefes de prisão”; por causa disto eu tenho mais 5 anos e meio (não é brincadeira).

Eu não matei ninguém, nem fiz feridos (para os reféns no banco foi um trauma, não fechemos os olhos para eles, mas isso foi a mais de 15 anos). Eu não sei quanto tempo fui mantido nas suas gaiolas, mas não penso em “cooperar” com eles. Nem com o chefe da prisão, ou com o tribunal ou psicólogos, ou qualquer um no Estado.

Eu tenho certeza que há uma pequena chance de que o tribunal deixe-me livre nos próximos 5 anos ou mais, mas se as pessoas de fora mostrarem ao Governo que há um forte movimento e apoio, podem me tirar da gaiola.

Então, eu realmente apreciaria se vocês pudessem escrever cartas e e-mails para:

Ministerpräsident (título de governador na Alemanha)
Herr Kretschmann
Staatsministerium
Richard Wagner Str.15
D 70184 Stuttgart
Deutschland/Alemanha
Fax: +49-711-2153-340, Telefone: +49-711-21530, E-mail: poststelle@stm.bwl.de

e pedir minha liberdade.

EM LUTA!

Thomas Meyer-Falk
C/O JVA-Zelle 3113
Schönbornstrasse 32
D 76646 Bruchsal Deutschland/Alemanha

Fontes: ABC Brighton, Freedom for Thomas (de | en) – Em espanhol

agência de notícias anarquistas-ana

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>