Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Chania, Creta: Cartaz de solidariedade com os perseguidos pelo caso da Luta Revolucionária

Liberdade para todos os lutadores aprisionados

A campanha de selvageria moderna esmaga todos os aspectos da vida social, intensificando a miséria do “em” deste mundo.

Por outro lado, as partes da sociedade que não são subjugadas, que não consentem nos planos de autoridade, escolhem o contra-ataque, através do discurso e ações, envolvidos em multiformes lutas sociais.

O estado de garantia dos privilégios deste mundo exige a eliminação de cada um que perturbe a lisura da nossa exploração. Na antevisão dos militantes das lutas sociais e dos lutadores.

Agora nas celas do regime há cerca de 40 lutadores, enquanto dezenas de outros são perseguidos, por causa da posição de luta clara que escolheram contra os governantes.

O alvo da autoridade é humilhar e despolitizar as escolhas subversivas, buscando identificar socialmente a factual revolucionária/social contraviolência com ações do código penal comum, em sua tentativa de isolar e antecipar a disseminação destas escolhas nas partes sociais combativas. E, apesar de que institucionalmente não são reconhecidos como presos políticos, a vingança e o tratamento especial (leis sobre o terror, as condições de confinamento especiais, julgamentos especiais) sofridas por eles, provam exatamente o oposto.

Solidariedade aos perseguidos no caso da Luta Revolucionária

Dentro desses quadros está incluído o julgamento para o caso da Luta Revolucionária, que começou a 5 de Outubro. Os lutadores P.Roupa, K.Gournas e N.Maziotis assumiram a responsabilidade política para a ação da organização e V.Stathopoulos, Ch.Kortesis, S.Nikitopoulos, M.Beraha e K.Katsenos são acusados por penalização de serem seus companheiros, por relações familiares ou pela sua ação anarquista.

A memória do anarquista Lambros Foundas, membro assassinado da Luta Revolucionária num conflito armado com polícias, vai acompanhar-nos-à nas lutas.

Devemos aprofundar a ruptura com toda a forma de autoridade.

Por um mundo sem hierarquias, opressão e exploração
Pela revolução social e libertação

Assembleia de anarquistas/anti-autoritários “saltadoroi” —Dezembro 2011

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>