Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Alemanha: Últimas do acampamento de resistência do bosque de Hambach

Notícia relacionada aqui

O acampamento de resistência no bosque de Hambach acordou hoje, 3ª feira, 16 de Setembro, com uma surpresa desagradável: uma invasão policial do bosque e cerco ao acampamento. Estes acontecimentos coincidem com o dia escolhido para uma celebração oficial em que representantes da RWE AG – a empresa que está por trás da mega exploração mineira que pretende destruir completamente o bosque de Hambach – juntamente com políticxs locais iriam inaugurar uma novo troço de auto-estrada, construída com o objectivo de facilitar ainda mais a expansão da mina.

Assim, por volta das 8:00 da manhã, efectivos policiais começaram a rodear o acampamento para controlar os movimentos de quem ali se encontrava, enquanto impediam os activistas de sair, sem sequer para ir à cozinha, às instalações sanitárias ou outras situadas no bosque, nas imediações do acampamento.

Uma pessoa foi atacada pela bófia só porque perguntou o que queriam. Por volta das 8:30 eram já cerca de 100, os do contingente da bófia, que se encontravam a invadir o bosque, retirando as barricadas que tinham sido construídas nas trilhas, durante as duas horas seguintes.

Cerca das 10:30, a bófia tentou desalojar uma das okupações do bosque (Beech Town) onde havia uma cabana numa árvore e diversos lugares para dormir ao rés do solo. Destruíram tudo isso e mobilizaram unidades de escalada.

Por volta das 11:30, a bófia e elementos da segurança da RWE dirigem-se para a cozinha do acampamento, para a destruir, ao mesmo tempo que pacotes de alimentos são entregues à bófia.

Às 12:00, começa a inauguração da auto-estrada, com cerca de 400 pessoas. Uma manifestação parte do acampamento, com cerca de 50 pessoas, mas não se dirige directamente para o local do evento. Cerca de 50 polícias estão presentes, o discurso do ministro é só merda. Simultaneamente as barricadas a Düren são des­a­lo­ja­das e a polícia bloqueia o caminho para a okupação de Beech Town no bos­que.

Aproximadamente às 12:30, a bófia aproxima-se do acampamento principal, embora não possam entrar. Ocul­tam o número de matrícula do carro policial. Há um controlo policial no trilho para Aa­chen (número de matrícula: NRW-​4-​4623).

Cerca das 13:00, a inauguração oficial da auto-estrada termina e a bófia começa a de­ixar Oa­k­town, outra ocupação no bosque, com cabana numa árvore, pelo menos por agora.

Às 13: 20, a bófia já não era visível no prado, junto ao acampamento. Cinco minutos depois, notícias do bosque: uma Har­vester (máquina para cortar árvo­les) foi danificada (líqui­dos der­ra­ma­dos). Algumas pessoas estão a fazer uma manifestação sentada, bloqueando o caminho até à okupação de Beech Town.

Cerca das 13:45, a Harveste danificada volta a pôr-se em marcha, mas abandona o bosque com as outras, protegidas pela bófia e pela segurança privada da RWE. Pelo menos duas pessoas foram detidas, por não terem identificação, embora esta informação não tenha sido confirmada. Uma estaria já em liberdade mas não há ainda notícias da outra.

Às 15:00, parece não permanecerem já no bosque quaisquer polícias ou otrxs inimigxs. Um carro da segurança privada da RWE es­ta­va a pa­ssar sobre as bar­ri­ca­das re­ti­ra­das, mas tudo ficou tranquilo de novo.

Atualizações à medida que surgirem.

fonte

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>