Arquivo de etiquetas: bosque de Hambach

[Bosque de Hambach] Jazzy e Winter libertadxs da prisão com restrições

fonte: CNA Rhineland

Na terça-feira, 2 de outubro de 2018, Jazzy e Winter foram libertadxs, após audiência em tribunal.

Ambxs estiveram duas semanas em prisão preventiva. Agora, o tribunal distrital de Düren decidiu não continuar a aplicar a ordem de restrição de liberdade.

Ambxs estão agora em liberdade e as suas identidades continuam desconhecidas das autoridades!

Mas ainda há três “Hambi” na Prisão: UPIII, Andrea (UP 20) e Eule. Todxs xs prisioneirxs precisam do nosso apoio! Pode-se escrever um e-mail para abc-rhineland@riseup.net o qual será imprimido e enviado para aquelxs.

em alemão l inglês  l espanhol

Alemanha: Dois anarquistas, expulsos da Floresta de Hambach, encontram-se presos

fonte Cruz Negra Anarquista de Rhineland

Durante duas semanas a RWE – com a ajuda de um grande destacamento policial de todo o país, tem expulsado a ocupação da Floresta de Hambach, perto da cidade de Colónia. Desde domingo 16/09, mais duas pessoas encontram-se presas. Isso significa que todxs xs cinco ativistas detidxs se encontram agora presxs em prisão preventiva.

A polícia prendeu os dois anarquistas no sábado. Eles não são oficialmente conhecidos pela polícia. Foram supostamente trancados juntos numa casa na árvore, na ocupação “The North”. O delegado do ministério público e o juiz acusam ambos de “um forte caso de resistência aos agentes de execução (Vollstreckungsbeamte)”, §113 Abs. 2 StGB.

O ativista preso Winter tornou-se uma sensação da internet – através de um discurso em movimento logo após a sua prisão, compartilhado nas mídias sociais. “Eles provavelmente estão a pensar que ganharam, mas não nos podem vencer porque precisam da floresta tanto quanto nós. Eles também não podem vencer a luta, porque são muitas as pessoas que estão por trás de nós. E simplesmente não entendem, que nós não lutamos apenas por nós mas por todos nós ”, disse Winter durante a detenção.

Aterrar na cadeia sob custódia no contexto dessas alegações, só se tornou possível através da mudança de lei do “Código Penal (StGB)” a partir do final de maio de 2017, onde a sentença mínima para “Resistência contra agentes de execução” foi aumentada para 6 meses. Além disso, há a decisão do Tribunal Superior Regional de Estugarda, no contexto dos “Protestos dos 21 de Estugarda”, em que o bloqueio “em antecipação ao destacamento policial” foi avaliado como equivalente a “resistência violenta”. Ambos são “afiamentos” da lei, particularmente dirigidoa a ativistas de esquerda.

Durante três dias xs acusadxs ​​não tiveram a possibilidade de entrar em contato com o seu advogado – tal como se encontrarem frente ao juiz e magistrado. Jazzy disse que, ao longo desses dias, exigiu claramente ver o seu advogado e manteve seu direito à defesa legal. No seu discurso, Winter falou sobre não se identificar: “Eles nunca entenderão como é viver entre pessoas para as quais não importa qual é o seu nome“.

A Cruz Negra Anarquista, no seu papel de apoio a prisioneirxs, dá o conselho: “Nenhuma pessoa deve ajudar no seu próprio processo legal. Nesta questão, apontamos para o §136 StPO, que dá o direito elementar de não dar a identidade, mesmo que isso seja frequentemente usado de maneira errada ou esquecido em julgamentos. Estamos a pedir a todas as pessoas próximas das pessoas presas, que aceitem e apoiem ​​o desejo de Winter ”.

Mais informações sobre xs prisioneirxs de Hambacher Forst em: abcrhineland.blackblogs.org

em alemão l inglês

[Floresta de Hambach] Repousa em paz Steffen

Na quarta-feira à tarde, por volta das 15h45, o jornalista ecologista, blogueiro e ativista Steffen Horst Meyn, morreu na aldeia das casas nas árvores Beechtown, na Floresta de Hambach. Caíu enquanto tentava documentar uma ação de despejo em andamento pelas Forças Especiais da Polícia (SEK), numa ponte suspensa de cerca de 20 m de altura. Equipas de resgate no local tentaram ressuscitá-lo. No entanto, morreu um pouco mais tarde ainda na floresta, num helicóptero de resgate.
Fotos tiradas por Steffen pouco antes do acidente

De acordo com as nossas informações, não há conexão direta com o auge da ação policial local, no momento do acidente. Mas sabemos em primeira mão que o único motivo que levou o falecido a subir às árvores foi ter sido constantemente impedido de fazer o seu trabalho no chão pela polícia.

Na Floresta de Hambach, estou agora a 25 m de Beechtown para documentar o trabalho de evacuação. Não há fita de barreira aqui.” Steffen Horst Meyn

Repousa em paz, Steffen!

em inglês l espanhol

[Floresta de Hambach] Um amigo caíu de uma árvore e morreu durante uma tentativa da polícia de desalojo da “aldeia de cabanas em árvores”

19.09.2018

Hoje , um amigo – que nos acompanhou como jornalista durante muito tempo na floresta – caíu em Beechtown de uma ponte suspensa a mais de 20 metros de altura e morreu. Nesse momento a polícia e a RWE tentaram desalojar a aldeia de cabanas nas árvores. O SEK estava no processo de deter um ativista,  perto da ponte suspensa. O nosso amigo aparentemente encontrava-se ali no caminho quando caíu.

Estamos profundamente emocionadxs. Todos xs nossxs pensamentos e desejos estão com ele.  A nossa compaixão vai para todxs xs familiares, amigxs e pessoas que se sentem consternadas. Instamos a polícia e a RWE a abandonar o bosque imediatamente e a deter-se esta operação perigosa.  Não poderão voltar a estar mais vidas em perigo.

O que se necessita agora é de um momento de descanso. Inclusivé isto é difícil para vós neste momento assim como é difícil para nós dar uma pista real: Recomendamos assim – para proteger todxs xs ativistas – que não seja dada nenhuma declaração, nem sequer dar nenhum testemunho na polícia.  O acidente deve ser e será superado e reavaliado, mas a polícia não é o local para o fazer.  O seu  interesse é culpar xs ativistas.”

Atualização: A pessoa que faleceu era fotógrafo e amigo de longa data dos ocupantes e encontrava-se a fazer uma reportagem sobre o desalojo das casas das árvores. Caíu de costas, de uma altura de cerca de 20 metros, não tendo resistido aos ferimentos. A invasão policial terminou por agora.

Mais informação: https://hambachforest.org

em inglês l espanhol

Victória, Austrália: Solidariedade com xs companheirxs presxs da ocupação da floresta de Hambach

Solidariedade de chamada Victória, na Austrália, com xs companheirxs presxs da okupação da floresta de Hambach, na Alemanha. A 22 de Janeiro, a bófia assaltou três casas e estruturas de barricadas na floresta e meteu 9 pessoas sob custódia. Tirámos esta foto como uma pequena contribuição para o dia internacional de solidariedade com os Hambi 9, a 3 de Fevereiro.

LIBERDADE PARA XS HAMBI 9

A ocupação de anos é um local incrível e inspirador de resistência contra a expansão contínua da maior mina de carvão da Europa. Faz parte de uma luta global contra a destruição ecológica provocada pelo capitalismo.

Liberdade para xs eco-defensorxs da terra em toda a parte!

em inglês via Hambachforest

Floresta de Hambach, Alemanha: Despejo de barricada e do ‘Hambi 9’

9 ativistas encontram-se em prisão preventiva, após serem detidxs durante o despejo de uma barricada na Floresta ocupada de Hambach, na Alemanha.
Xs ativistas são acusadxs de “obstruir o trabalho da polícia”, durante a expulsão da barricada na segunda-feira, 22 de Janeiro.

Ao chegar de manhã, bem cedo, a bófia deu de caras com xs ativistas que ocupam a infraestrutura de bloqueio, incluindo 2 tripés, 3 monopods, um skypod e um túnel de 3 metros de profundidade.

O abate da floresta de Hambach foi oficialmente interrompido no início desta temporada, numa decisão judicial – adiando o corte até 1 de Outubro de 2018 – no entanto o risco de despejo da ocupação é tão grande como sempre.

A ‘Hambi 9’ adoraria receber correio! Informações exactas, incluindo endereços e idiomas, podem ser encontradas no blog da ABC Rhineland. [CNA]

Atualização
Chamada para um dia de ação pela resistência na floresta de Hambach, em toda a Alemanha, a 3 de Fevereiro de 2018.

em inglês l alemão

[Floresta de Hambach] Fogo a cabos de electricidade pára a mina de carvão a céu aberto

A 24/12/2017 deitamos fogo aos cabos que fornecem com eletricidade a mina a céu aberto de Hambach. Assim pelo menos interrompemos aí algumas das máquinas maiores… Os cabos eram, neste caso, os do miradouro do poço a céu aberto (perto de Terra Nova).

A mina de Hambach é um buraco – maior que a cidade de Colónia – em que se cava para retirar lignite (carvão castanho). A combustão deste carvão emite uma incrível quantidade de CO2 (assim como outras coisas, como arsénio, mercúrio, …), combustíveis das Alterações Climáticas. A mudança climática tem consequências catastróficas, como secas, inundações e tempestades, fazendo com que muitas pessoas morram ou sejam privadas de seus meios de subsistência. Além disso, muitas pessoas têm que sair das suas aldeias, pois têm de dar lugar à mineração a céu aberto na Floresta de Hambach uma floresta antiga e bonita que está a ser deitada abaixo.

À RWE: Uma Alegre Crise e um Novo Medo Feliz!

em alemão, inglês

Uruguai: Ação no âmbito do Dezembro Negro

Há dias, de passagem pela cidade de Maldonado (território controlado pelo estado uruguaio) entre tantas câmaras de vigilância, polícias, devoção pelo dinheiro e cidadãos – robots  aspirantes a burgueses (em termos económicos porque quanto a valores já o são!) encontramos-nos perante um graffiti em solidariedade com o bosque de Hambach, em território alemão – o qual está a ser ameaçado de ser arrasado na sua totalidade para o arranque de uma mina de carvão (lenhite) propriedade da multinacional RWE e onde há anos que se vem acampando e resistindo à sua devastação. Nesse graffiti também estava escrito “fora UPM” como recusa à futura instalação da 3ª fábrica de celulose em território uruguaio. Assumimos que o lugar onde se fizeram os graffitis não foi escolhido por uma questão de sorte já que pertence a uma loja comercial da UTE – o que fez que não só criássemos afinidade com o que estava escrito, mas que nos tenha ocorrido realizar aí a nossa contribuição para a guerra contra a sociedade tecno – industrial. Assim, procedemos à recolha dos materiais necessários para atacar a pata energética que permite que esta repugnante civilização continue a funcionar.

Altas horas da madrugada de 8 de Dezembro – com Alexis Grigoropoulos e o Pelao Angry na memória, com o coração a bombar fortemente nos nossos peitos pelos nervos/medos/raiva – quebrámos uma montra da dita loja e atirámos para dentro uma garrafa cheia de combustível que, por um erro nosso (não humedecemos suficientemente a mecha e esta apagou-se ao atirá-la) não teve as consequências desejadas. Aprendizagens para a próxima sabotagem! De qualquer modo, não temos dúvida de que, no dia seguinte, não deve ter sido um dia mais, algo quisemos deixar claro, nem todxs vão abaixar a cabeça e ficar paralisadxs perante a destruição da terra! Há quem procure quebrar os seus vidros, máquinas, o seu cimento, as suas lógicas, os seus truques, as suas manias da superioridade e, sobretudo, a sua apatia generalizada.

Como cada ação que provoca sorrisos cúmplices em quem se encontra atrás das grades ou que se encontram perseguidxs em qualquer canto do mundo – quebrando assim o isolamento que lhes querem impôr – también isto vai para vocês! força e verticalidade, não estão sós! E bem sabemos que nas ruas não estão todxs!

Quebra as tuas próprias barreiras, vence xs teus medxs e não esperes por nada, ataca-os como te seja possível!

Bando de aves migratórias

em espanhol

Buir, Alemanha: Chamada urgente pela FLORESTA DE HAMBACH

O processo judicial que deu à Floresta de Hambach um pouco mais de tempo para preparar a temporada de corte, está perdido. A RWE começou hoje com os arbustos de limpeza para se preparar para corte total. Os preparativos para uma ação policial massiva são óbvios. Anunciaram já que querem expulsar toda a ocupação. Esperamos-los o mais tardar na segunda-feira para despejos. Eles já estão na floresta para protegerem a maquinaria.

Mas para tornar possível que a Floresta de Hambach Forest permaneça, precisamos de ti e da tua malta /companheir@s!

Pelo menos aparece por aí.
E trás contigo ao menos:

– saco-cama, colchão
– a tua malta
– uma ideia do que pretendes fazer (a infra-estrutura do RWE  é grande                 demais  para poder proteger tudo)
– botas impermeáveis, camuflagens
– câmera (para gravar violência policial)
– luvas de trabalho
– escova dental
– kit de primeiros socorros
– protecção para a chuva
– uma pequena tenda (não necessária, mas se tiveres trás)
– nenhuma droga
– nenhum passaporte (se precisares dele para viajar, enterra-o nalgum lugar
da floresta)

O que podes fazer a partir do exterior:

– espalha as noticias
– faças o que fizeres mostra solidariedade
– distrai as forças policiais (eles precisarão da bófia de toda a Alemanha              para nos conseguirem expulsar)
– ataca as veias do capitalismo e da sua indústria de combustíveis fósseis
– não ser apanhada
– não esquecer dxs que estão nas gaiolas

vemos-nos nas barricadas
hambacherforst.org

[Dueren, Alemanha] Chamada da Floresta de Hambach: Precisamos de todxs vós!

A partir de 21 de Novembro, precisamos que todos vocês ajudem a parar a temporada de corte deste ano!

Em Novembro veremos o fim do julgamento do processo de BUND (contra a destruição planeada da RWE da Hambacher Wald nesta temporada de corte). O tribunal publicou um “veredicto” que dá já mostra do tipo de resultado que podemos esperar: um pedaço da floresta. Não se trata do mesmo, na zona de corte existente, a floresta deve ser protegida. Calculamos que a RWE tente começar a destruição logo que o julgamento termine, a 21 de Novembro. Neste ano, a RWE planeja cortar as partes mais antigas da floresta e de todas as aldeias das casa nas árvores.

Já construímos casas nas árvores em muitos pontos estratégicos e mais estão a  ser planeadas. Agora precisamos das vozes e ações do máximo de pessoas para salvar a floresta.

Vamos demonstrar que esse tipo de exploração de habitats para fins de lucro não pode acontecer sem resistência maciça. A luta aqui diz respeito a todos. Um terço das emissões alemãs de CO2 são causadas pela mineração de lenhite – os danos resultantes para o clima estão a causar morte, destruição e a forçar pessoas a sair das suas casas, em todo o mundo.

Prepare-se para vir proteger a floresta em meados de Novembro. Organize-se em grupos de afinidade com antecedência. Coloque os seus números de telemóvel na lista de despejo e espalhe a nossa chamada por aliadxs e amigxs.

Todos podem nos apoiar da maneira que se sintam confortáveis. As casas da árvore estão bem equipadas, abertas para todxs, a servir como espaços seguros. Compartilhamos os encargos da repressão juntos. Organizamos lugares fora da ação em toda a Alemanha. Se não puder vir para a floresta, pode nos apoiar na sua cidade através de ações de solidariedade e de outros meios.

Vamos manter a zona de corte okupada até ao final da estação de corte. Vamos trazer tanta vida à floresta que a RWE não será capaz de realizar os seus planos este ano. Iremos difundir o que vai acontecendo durante a temporada de corte com a ajuda de diversos meios de comunicação, para que todo o mundo saiba quais os crimes que a RWE está a cometer em nome do lucro.

Em caso de despejo generalizado, vamos reocupar a floresta no último fim de semana após o dia X com a sua ajuda. Mantenha-se informado e divulgue a notícia para a família, amigos e aliados. A solidariedade é a nossa arma mais forte.

Juntos vamos parar esta temporada de corte crucial. Transforme a sua teoria em prática e resistência ao vivo.

Na Floresta de Hambach e em todos os lugares.

Mais informações sobre a temporada de corte e como a preparar em hambachforest.org/cutting-season-17

Para nos contatar: hambachforest.org/contact/

Em inglês l alemão

Alemanha: ⁠⁠⁠Hodei, Siao e Maya fora da prisão!

Na tarde de 4ª feira, 21 de Dezembro de 2016, três dxs presxs do bosque de Hambach foram libertadxs.

Hodei e Siao foram detidas há 3 semanas acusadas de causar uma explosão e de intenção de causar danos corporais graves, sendo sequestradas na prisão de Ossenford, retidas com a desculpa de se tratar de “risco de fuga” por serem imigrantes. Após três semanas de confinamento o ministério público retirou a ordem de detenção contra as duas, sem condições, por não haver nenhuma suspeita real contra elas. Ambas foram postas em liberdade de imediato e recebidas pelos seus entes queridos à porta da prisão.

Maya, por sua parte, consiguiu um Habeas Corpus hoje às 14.00, em Düren. Ainda que continue a resistir a se identificar deu a sua idade. Ao ser classificada como adolescente, suspendeu-se a ordem de cdetenção. Assim, foi libertada da prisión preventiva.

Não nos esquecemos de Tur*tel, sequestrado pelo estado a 14 de Maio de 2016 e ainda encerrado na prisão de Ebrach. Podem ser enviadas cartas à seguinte direção (comprovando sempre os dados na página da Cruz Negra Anarquista -https://abcrhineland.blackblogs.org- para se verificar alguma alteração):

Tur*tel: JVA Ebrach, Moritz Neuner, Marktplatz 1, 96157 Ebrach

Até que todos estejam livres ninguém está livre!

em espanhol

Atenas: Buldozer da empresa eléctrica DEI incendiado em Exarchia

nova-imagemNa madrugada de 2 de Dezembro de 2016, na intersecção das ruas Akadimias e Themistokleous, um buldozer ao serviço da empresa eléctrica DEI não conseguiu aguentar mais e decidiu acabar com a sua rotina automatizada. Antes da imolação a pobre máquina parece que disse:

“Solidariedade com as compas Siao, Hodey e Maya, recentemente detidas na Alemanha por terem defendido o bosque de Hambach!

Força à anarquista Natalia Collado, presa no Chile por ter libertado através do fogo um autocarro da empresa Transantiago!”

em grego | espanhol | inglês

Alemanha: Desalojo em curso no bosque de Hambach – Apoio necessário!

hambachOntem de manhã [14 de Março] a ocupação no prado foi cercada pela bófia. Isto transformou-se numa mega operação policial: Todos os principais caminhos no bosque foram arranjados, fixados e ampliados, todas as barricadas e tripés destruídos. Até hoje quatro plataformas desocupadas foram despejadas. As forças policiais ainda estão presentes por toda a parte, perseguindo as pessoas que tentam construir novas barricadas …

Esta é uma chamada urgente para todos os tipos de apoio! O que aconteceu nos últimos dois dias é um ataque massivo! E porque todas as vias foram limpas e encontram-se em condições para a passagem de grandes máquinas, é importante proteger as ocupações florestais AGORA!
Venha para o bosque de Hambach, precisamos de comida, água, cobertores e de mais de todas as pessoas com energia fresca!

Para mais informações: www.hambacherforst.blogsport.de

Agradecimentos e cumprimentos a todxs xs companheirxs

em inglês l alemão l italiano

Bosque de Hambach, Alemanha: Activistas atropeladxs pelos seguranças da RWE

Ontem (21.01.2016) guardas da seguranças da RWE atingiram com um carro ativistas, quando estxs últimxs estavam a defender a floresta ancestral contra as operações de derrubada de árvores (vídeo abaixo). Duas das pessoas ativistas foram capturadas. Uma delas foi a seguir solta mas a outra, Fledermaus, foi espancado e entregue às mãos da polícia, acusado de agressão, e provavelmente vai ficar preso em Aachen nas próximas 3-4 semanas, pelo menos. Ao detido não foi dado tratamento médico e está a sofrer de dores nas costas, embora não tenha revelado a sua identidade às autoridades.

Podem enviar-lhe cartas para o endereço:

Aktivist Nr. 2
JVA Aachen
Krefelderstr. 251
Aachen, Germany – Alemanha

No vídeo, ativistas podem ser vistxs a conduzir as operações madeireiras para fora do local e, em seguida, a serem dispersadxs por uma carrinha da segurança da RWE ziguezagueando sobre a ponte em direção a elxs. Ativistas dizem que as pedras foram lançadas em ambas as direcções.

Noutras notícias, EmmA foi libertadx da prisão hoje. Elx relata: “Os muros da prisão estão cobertos com o graffiti Hampi Primeira Bleibt! [A floresta de Hambach permanece] e xs presxs com quem falei estão em solidariedade com a nossa luta. A prisão é uma merda mas as florestas são mais fortes do que os muros. Eu estou bem, e prontx para voltar para a floresta, para defender o que é selvagem por todos os meios necessários “.
Bem-vindx a casa.

RWE é o coveiro da Renânia.
Sejamos o coveiro da RWE!

Mostra de solidariedade! Venham para a floresta. Juntem-se à Semana de Acção (22-31 Janeiro,2016)

em inglês

Alemanha: Incêndios e sabotagens contra a mina de lenhite, no bosque de Hambach

hambach-forest-defenders forestDurante a noite de 31 de Dezembro levámos a cabo três ações incendiárias e sabotagens contra a mina de lenhite a céu aberto, operacionalizada pela empresa RWE, no bosque de Hambach.

Instalámos armadilhas caseiras de espetos, contra as rodas, nas estradas usadas pelos seguranças da mina para provocá-los e os distrair enquanto deitávamos fogo a vários feixes de cabos e a várias caixas de conexões na parte das vias de trem que se usam para o transporte do carvão da mina até às centrais eléctricas vizinhas, detendo os trens durante algum tempo.

Depois deitámos fogo a um mastro de telecomunicações, na borda da mina, observando a alguma distância como todo o dispositivo pegou fogo e continuou a arder durante cerca de uma hora.

Por fim, precisamente depois da meia noite, atacámos de novo, colocando mais armadilhas anti-rodas no caminho da segurança, próximo do seu complexo. Então deitámos fogo a uma barricada de pneus e a uma grande pilha de troncos ao lado do caminho, para atrair os seguranças até às nossas armadilhas, antes de nos retirarmos de novo para o interior do bosque, ao som da pirotecnia.

Através do uso de armadilhas caseiras (tábuas de madeira com grandes pregos) enviamos uma abraço terno e insurreto à compa anarquista Emma Sheppard a uma ano da sua detenção, em Inglaterra.

Estes ataques foram realizados em solidariedade com a resistência contínua à expansão das minas que se está a levar no bosque de Hambach.

Força e resistência a todxs xs combatentes anarquistas, tanto dentro como fora dos muros.

Feliz Dezembro Negro.

– alguns e algumas anarquistas

Nota de Contra Info: Espera-se que Emma saia da prisão sob medidas restritivas.

em espanhol  l inglês

Alemanha: Gesto solidário com xs compas represaliadxs em Espanha

Mateo Morral, Pandora, Pinãta, Ice... / A MESMA REPRESSÃO, A MESMA SOLIDARIEDADE
Mateo Morral, Pandora, Pinãta, Ice… / A MESMA REPRESSÃO, A MESMA SOLIDARIEDADE

Foto01461-1024x768Aqui, na okupação do bosque de Hambach, não nos esquecemos dos compas represaliadxs no Estado espanhol.

Realizamos esta pequena mostra de solidariedade a partir das profundezas do bosque. E difundiremos o mais possível qualquer nova informação que nos possa chegar.

Outono de 2015, alguns/algumas anarquistas.

Alemanha: Últimas do acampamento de resistência do bosque de Hambach

Notícia relacionada aqui

O acampamento de resistência no bosque de Hambach acordou hoje, 3ª feira, 16 de Setembro, com uma surpresa desagradável: uma invasão policial do bosque e cerco ao acampamento. Estes acontecimentos coincidem com o dia escolhido para uma celebração oficial em que representantes da RWE AG – a empresa que está por trás da mega exploração mineira que pretende destruir completamente o bosque de Hambach – juntamente com políticxs locais iriam inaugurar uma novo troço de auto-estrada, construída com o objectivo de facilitar ainda mais a expansão da mina.

Assim, por volta das 8:00 da manhã, efectivos policiais começaram a rodear o acampamento para controlar os movimentos de quem ali se encontrava, enquanto impediam os activistas de sair, sem sequer para ir à cozinha, às instalações sanitárias ou outras situadas no bosque, nas imediações do acampamento.

Uma pessoa foi atacada pela bófia só porque perguntou o que queriam. Por volta das 8:30 eram já cerca de 100, os do contingente da bófia, que se encontravam a invadir o bosque, retirando as barricadas que tinham sido construídas nas trilhas, durante as duas horas seguintes.

Cerca das 10:30, a bófia tentou desalojar uma das okupações do bosque (Beech Town) onde havia uma cabana numa árvore e diversos lugares para dormir ao rés do solo. Destruíram tudo isso e mobilizaram unidades de escalada.

Por volta das 11:30, a bófia e elementos da segurança da RWE dirigem-se para a cozinha do acampamento, para a destruir, ao mesmo tempo que pacotes de alimentos são entregues à bófia.

Às 12:00, começa a inauguração da auto-estrada, com cerca de 400 pessoas. Uma manifestação parte do acampamento, com cerca de 50 pessoas, mas não se dirige directamente para o local do evento. Cerca de 50 polícias estão presentes, o discurso do ministro é só merda. Simultaneamente as barricadas a Düren são des­a­lo­ja­das e a polícia bloqueia o caminho para a okupação de Beech Town no bos­que.

Aproximadamente às 12:30, a bófia aproxima-se do acampamento principal, embora não possam entrar. Ocul­tam o número de matrícula do carro policial. Há um controlo policial no trilho para Aa­chen (número de matrícula: NRW-​4-​4623).

Cerca das 13:00, a inauguração oficial da auto-estrada termina e a bófia começa a de­ixar Oa­k­town, outra ocupação no bosque, com cabana numa árvore, pelo menos por agora.

Às 13: 20, a bófia já não era visível no prado, junto ao acampamento. Cinco minutos depois, notícias do bosque: uma Har­vester (máquina para cortar árvo­les) foi danificada (líqui­dos der­ra­ma­dos). Algumas pessoas estão a fazer uma manifestação sentada, bloqueando o caminho até à okupação de Beech Town.

Cerca das 13:45, a Harveste danificada volta a pôr-se em marcha, mas abandona o bosque com as outras, protegidas pela bófia e pela segurança privada da RWE. Pelo menos duas pessoas foram detidas, por não terem identificação, embora esta informação não tenha sido confirmada. Uma estaria já em liberdade mas não há ainda notícias da outra.

Às 15:00, parece não permanecerem já no bosque quaisquer polícias ou otrxs inimigxs. Um carro da segurança privada da RWE es­ta­va a pa­ssar sobre as bar­ri­ca­das re­ti­ra­das, mas tudo ficou tranquilo de novo.

Atualizações à medida que surgirem.

fonte

Alemanha: Chamada a ações diretas pelo bosque de Hambach

activist -hambach

alem 1

lignitemining

O bosque de Hambach, perto de Colónia, na Alemanha, uma das florestas mais antigas da Europa, está ameaçado pela empresa RWE AG que opera no sector da energia e mineração a céu aberto de extracção de lenhite (a maior da Europa). O saque da área, devido às actividades desta empresa, começou já em 1978 mas pretendem continuar a expandir a mineração até que consuma por completo o que resta dele.

Fazendo frente a esta situação, activistas ocuparam partes do bosque, ao longo dos últimos anos, tentando impedir o avanço das obras de expansão da mineração. Desde Abril de 2012, data da primeira ocupação, a polícia desalojou já 3 vezes os acampamentos de resistência, mas os activistas voltaram sempre a reocupá-los.

Segue-se a tradução para português de mais uma das chamadas de solidariedade e ação no âmbito de um novo acampamento/encontro – de 26 de Setembro a 6 de Outubro de 2014 – assim como a convocatória para participar nos fins de semana de ação dos próximos meses:

Não toquem nas árvores!

Está na altura de actuar!

O período de registo começa em Outubro! Não ficaremos a olhar!

Em cada Outono o bosque prepara-se para a letargia invernal. As folhas caem das árvores, os esquilos escondem a última pinha, xs activistas calefeteiam as suas casas sobre as árvores. Todos os seres estão à espera de um período frio, mas calmo e pacífico. Mas a partir de Outubro as máquinas infiltrar-se-ão novamente no bosque de Hambach.

Seres humanos e outros conhecidos por “Harvester” (grandes máquinas para cortar árvores) não dão qualquer descanso ao bosque e ultrapassarão a barreira da exploração mineira outros 200 metros até ao acampamento, para matar outras partes do já ferido bosque de Hambach.

Mas se não querem deixar dormir o bosque, também nós não quereremos descansar.

Existem inúmeras possibilidades de intervir, seja mediante a ação direta, de distúrbio ou através da expansão da ocupação.

Para todxs aquelxs que não têm possibilidade ou energia para passar muito tempo no bosque, existem todavia bastantes modos para apoiar a luta: criarem o seu grupo de afinidade (com pessoas de confiança), sentarem-se juntxs, serem criativxs e pensarem numa ação que desejariam fazer no bosque durante os fins de semana de ação e/ou noutro dia qualquer.

Se quiserem vir sózinhxs, podem participar nos dias de ação mensais, de maior envergadura, ou virem quando quiserem e nos apoiarem no que possa fazer a diferença.

Aqui  pode-se encontrar os mapas das ações.

O lema para os dias frios é: Mais adrenalina que hibernação e aquilo que está frio e húmido, quando metido ao lado do forno com chá e companhia, ficará quente e seco num instante!

Seguir-se-ão mais informações (em inglês) aqui. Mais informações por mail, telefone ou diretamente no bosque, com xs activistas.

Contacto: hambacherforst@riseup.net
Telefone: +49 (0) 15754136100

Fins de semana de ação:
30/10 – 2/11/14
28/11 – 30/11/14
30/12 – 1/1/15
30/1 – 1/2/15
27/2 – 1/3/15
27/3 – 29/3/15