Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Uruguai: Semana de agitação pela Liberdade de Mumia [de 15 a 22 Outubro]

Muitos já conhecem a incansável luta de Mumia Abu-Jamal, um dos presos políticos com maior reconhecimento no mundo. Supõe-se que foi considerado culpado e condenado à morte pelo assassinato do polícia branco Daniel Faulkner, em Filadélfia, a 9 de dezembro de 1981.

Na realidade a Polícia e o Ministério Público de Filadélfia criminalizaram-no e tentaram assassiná-lo por ter sido Pantera Negra, simpatizante do MOVE e jornalista revolucionário, escrevendo sempre contra o poder.

Talvez até já tenham participado nas ações e atividades que, em 1995 e 1999, conseguiram suster a execução que já estava planeada.

Ou até fizeram parte do movimento internacional que, por fim, resultou na revogação da pena de morte em 2011.

Ou talvez tivessem ajudado na campanha para lhe dar a atenção médica necessária – em relação à hepatite C, após ele quase ter morrido em 30 de março de 2015.

Sem uma luta contínua durante dois anos, nunca lhe teriam fornecido o tratamento com os novos anti-virais, com os quais se curou quase imediatamente e se sente muitíssimo melhor. Mas, desgraçadamente, as autoridades carcerárias deixaram passar tanto tempo que ele desenvolveu cirrose hepática. Por isso agora mais que nunca lhe urge a liberdade.

Apresenta-se, neste momento, uma nova possibilidade jurídica para se desfazer o veredito de culpabilidade a Mumia. O que acontece é que a Suprema Corte dos Estados Unidos – no recente caso Williams vs Pensilvânia – determinou que Ron Castille, o Promotor da Filadélfia que logo se tornou Juiz da Suprema Corte da Pensilvânia, violou a Constituição dos Estados Unidos ao atuar como juiz e parte no caso de Terrance Williams. O mesmo aconteceu no caso de Mumia com Castille, que teve um papel destacado na Promotoria ao conseguir um falso veredito de culpado, e depois, como juiz, rechaçou mais de 30 apelações de Mumia.

Estamos, agora, a pressionar para que a Promotoria entregue todos os arquivos sobre a participação de Castille no caso – um primeiro passo para apresentar as apelações de novo. Faz falta a ação de todxs para ganhar a sua liberdade. Por isso estamos a convocar todas as individualidades, coletivos, comunidades e organizações para uma semana de agitação pela liberdade de Mumia.

Pela liberdade de Mumia Abu-Jamal e a queda dos cárceres e do sistema que os engendra!

Amigxs de Mumia – Uruguai

via agência de notícias anarquistas-ana

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>