Arquivo de etiquetas: reportagem

Hamburgo após o G20: Colecção de fotos (a preto e branco) a partir de St.Paul

Às pessoas que acreditam que na sexta-feira, 8 de Julho, durante os protestos contra a Conferência, o “nosso” (distrito gentrificado) foi destroçado, podemos responder, sem juízo de valor, que se encontra novamente (com algumas excepções, como o supermercado Rewe ou alguns multibancos) a funcionar em condições perfeitamente normais.

Todxs xs que acreditam que os media podem ser instrumentalizados e deixam os porta-vozes da imprensa falarem como representantes vão falhar miseravelmente. Qualquer pessoa que olhe para as análises da media de “esquerda” e propõe um fórum não tem nada a acrescentar ao debate sobre os protestos.

O facto de existirem críticas ao Rote Flora, que deixam os seus porta-vozes para a imprensa falar com os media, deve ser conhecido.

O “Druckerei und Copyshop” oferece um texto muito especial – na montra da sua loja – do Schanzenblitz, dos meios de alternativa de esquerda. A cópia do texto do esquerdista Junge Welt “Provozierte Eskalation” [Escalada Provocada], escrito pelxs jornalistas André Scheer, Georg Hoppe e Lina Leistenschneider, apresenta-se aí, copiado e aumentado significativamente. Xs “revoltosxs” são difamadxs de forma arrasadora, tratadxs por “idiotas úteis do poder de Estado”. Também se diz, por Junge Welt. “Entre os vários milhares de pessoas que estavam nas ruas, dificilmente se veriam os activistas de esquerda. Pelo contrário, pessoas que foram descritas como hooligans do futebol. Referem-se ao porta-voz de imprensa da Red Flora, também. A sua entrevista é citada, quando diz “a violência sem sentido termina em si mesma e é errada”, apoiando os autores no seu juízo errado.

Nada disto é inesperado e é importante oferecer contra-informação. Em primeiro lugar, uma discussão interna honesta, sem preconceitos, deve ter lugar sobre o evento, que permita diferentes opiniões e avaliações (para lá do que é publicado no absurdo do mundo da media).

Hotel Empire Riverside Hamburg **** em St. Pauli
Hotel Empire Riverside Hamburg **** em St. Pauli
Contra a cidade dos ricos
Restaurante Copper House em St. Pauli
Hafenstraße, na faixa lê-se: “Solidariedade com todos xs presxs *dentro”

McDonalds (desde 2009 em Schanzenviertel)

O vidro é estilhaçado e choras, pessoas morrem e não dizes nada…

Hotel Pajama Schanzenhof (“substitui projectos mais “alternativos” e é muito mal visto no distrito)
Rote Flora: “Toda a gente odeia a polícia” – “Todxs em liberdade”

Esmaga o G20 (A)

Sexta foi uma reação por quinta – RFA estado da bófia
Haspa em Schanzenviertel
Contra a cidade dos ricos! (A)

Tudo para todxs, depois do dia de regresso dos residentes (ligeiramente apagado)

em alemão

Lisboa, Portugal: Participação de Contra Info na Feira Anarquista do Livro 2016

Banca Contra Info, Feira Anarquista de Livros 2016, Lisboa
Banca de Contra Info – Feira Anarquista do Livro 2016 (Lisboa)

contra-info-4-feira-livro-anarquista-2016contra-info-3-feira-livro-anarquista-2016De 23 a 25 de Setembro realizou-se em Lisboa mais uma feira anarquista do livro em que o ênfase principal foi posto nas publicações anarquistas, dos fanzines aos jornais, dos livros às revistas de todo o mundo.

Companheirxs vindos de Espanha, França e Bélgica, apresentação de livros, ensaios e histórias cruzaram-se com as memórias subversivas e da prisão, mas a ação direta não se podia fazer esquecer e assim na banca da Contra Info surgiu uma publicação com um apanhado de traduções difundidas através dos seus blogs, com especial ênfase em espanhol e português, mas também em inglês, italiano e francês.

Também postais com informação sobre as condições de publicação e de colaboração com Contra Info além de outros sobre a recente Operação Scripta Manent em Itália, contendo os contactos dxs compas detidxs para correspondência. Para consulta ou distribuição gratuita nas restantes bancas ou aos visitantes em geral. Publicações tão preciosas como as vindas do Chile, das Ediciones La Idea, o boletim Lucha Revolucionaria (1 e 2) e o boletim La Bomba de Santiago, assim como o livro “Entrenamiento físico en condiciones de aislamiento” [Treino físico em condições de isolamento] da Bolívia. Em português, o Erva Rebelde nº 0 e o Projeto Insurrecional de Alfrefo M. Bonanno. A carta recentemente escrita na Grécia, por alguns membros presos da CCF,  uma contribuição pessoal e histórica em relação ao caso de Nicola Sacco e Bartholemeo Vanzetti e traduzida para português na Contra Info, foi largamente distribuída.

De assinalar que um evento proposto inicialmente por Contra Info referente à situação repressiva de compas na Grécia, Espanha, Chile e Itália, a ser apresentado na Feira Anarquista, vai ser proximamente agendado assim como os locais onde se realizará.

O jardim público onde se instalaram as bancas e as apresentações/debates e no local libertário Dis Gracia onde se apresentaram diversos filmes e uma exposição/debate, os dias lindos de sol e as cálidas noites a que não faltaram canções de tango anarquista e abraços de novxs e velhxs amigxs, temperaram um ambiente de companheirismo e de partilha na diversidade do pensamento e práxis anarquistas. Até já companheirxs!
feira-anar-2016-15-jpgfeira-anar-2016-2feira-anar-2016-4feira-anar-2016-5feira-anar-2016-6feira-anar-2016-13-jpgfeira-anar-2016-10feira-anar-2016-141feira-anar-2016-7feira-anar-23

em italiano, espanhol, alemão