Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Atenas: Resumo das concentrações solidárias com Nikos Romanos e Yannis Michailidis

gennimatas

Éramos mais de 200 as pessoas que nos reunimos na tarde de 30 de Novembro nos Propileos, no centro de Atenas, para nos dirigirmos a seguir em motos, na terceira concentração consecutiva pelo grevista de fome Nikos Romanos, junto ao hospital Gennimatas, onde se encontra internado. A manif motorizada passou da praça Syntagma, onde estão acampadas famílias de refugiadxs da Síria, exigindo um estatuto de asilo real, que lhes permita trabalhar na Grécia, além de puderem viajar livremente fora do território controlado pelo Estado grego. A acolhida dxs refugiadxs foi um momento emotivo da manif.

Parámos em Syntagma durante uns minutos gritando palavras de ordem solidárias para logo continuamos no nosso itenerário, chegando pouco depois das 17:00 à estação de metro Ethniki Amyna, muito próximo do hospital Gennimatas. Esperavam-nos várias centenas de pessoas solidárias, para que fossemos todxs juntxs (éramos mais ou menos mil pessoas) até à parte traseira do hospital, onde podíamos ter contacto visual com o compa. Nikos, que está em greve de fome desde 10 de Novembro, manteve-se um pouco atrás das grades da janela, pedindo informações sobre o que se estava a passar fora do hospital, reafirmou a sua postura irredutível, aclarou que expulsou a delegação parlamentar do Syriza – que há uns dias apareceram no hospital para fazer o seu espectáculo – e perguntou pela saúde do seu irmão Yannis Michailidis, em greve de fome solidária desde 17 de Novembro.

Durante a concentração tivemos a oportunidade de comunicar a Nikos as ações de solidariedade incendiária que foram realizadas em Bristol, Reino Unido (veículos incendiados pel FAI – Tochas na noite – Frente de Libertação da Terra) e em Santiago do Chile (ação junto do campus Juan Gomes Millas a 26/11, e o autocarro incendiado a 28/11).

Desta vez a concentração durou menos tempo, para deixar descansar o compa e para os que quisessem irem ao hospital Tzaneio, no Pireu, onde está hospitalizado debaixo de custódia policial Yannis Michailidis. No final, junto ao hospital Tzaneio concentramo-nos cerca de 80 solidárixs. O compa encontra-se no 4º piso de um dos edifícios que é visível da parte baixa do hospital. Estava forte e de bom ânimo, respondendo às palavras de ordem com humor (“agora sinto-me como se tivesse comido” disse).

Entretanto, unidades de bófia motorizados DELTA começaram a provocar-nos, a uma distância de 10-15 metros da concentração, praticamente bloqueando-nos o acesso às motos com as quais a maioria de nós tinha chegado ao hospital (a merda das suas bravatas já a havíamos sofrido também antes, quando realizamos uma breve parada na Avenida Alexandras, no centro, na ida a Tzaneio). No final, saímos todxs juntxs, com os DELTA atrás de nós, até que entramos na auto-estrada e os cabrões deixaram de nos perseguir.
Outra coisa, para lá das concentrações de 30 de Novembro, a 1 de Dezembro companheirxs ocuparam a Escola Politécnica em Exarchia. Hoje, 2 de Dezembro, há marcha convocada a partir da Praça de Monastiraki, às 18:00 horas. A ver o que sai de tudo isto, se conseguimos transbordar os limites e ampliar a luta nas ruas, para que se generalizem os distúrbios.

FORÇA A NIKOS ROMANOS, YANNIS MICHAILIDIS, ANDREAS-DIMITRIS BOURZOUKOS E DIMITRIS POLITIS.

POR UM DEZEMBRO NEGRO

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>