Contato

Para contribuir com traduções, edições-correções e/ou materiais originais para publicação tais como atualizações a partir das ruas, reportagens de ações, comunicados de reivindicação, textos dxs companheirxs presxs ou perseguidxs, chamadas, brochuras, artigos de opinião, etc.: contrainfo(at)espiv.net

Santiago, Chile: A companheira Tamara Sol Farías Vergara condenada a 7 anos e 61 dias de prisão efetiva

Barricadas em Villa Francia, Santiago, 4/2/2015

A 4 de Fevereiro de 2015, em Santiago do Chile foi ditada a sentença contra Tamara Sol Farías Vergara. A companheira encontra-se desde há um ano em prisão preventiva, acusada pelos disparos contra um guarda do BancoEstado, na manhã de 21/1/2014, na comuna da Estação Central.

O tribunal reconheceu a atenuante de conduta irrepreensível anterior mas negou que Tamara Sol tivesse colaborado substancialmente no esclarecimento dos factos, considerando que nem a sua declaração prestada ao ministério público na etapa da investigação, na qual assumia os factos, nem o seu consentimento na realização de diversas peritagens contribuíram seja no que for, visto as provas estarem já ao alcance das autoridades, a partir do momento da sua detenção. Além disso foi descartada a atenuante da imputabilidade diminuída, pedida pela defesa na base de peritagens psicológicas.

Na realidade, o tribunal adoptou a tese do ministério publico, a qual falava de uma ação premeditada, argumentando que isto é demonstrado pelo grito “vingança por Sebastián“, que se atribui a Tamara Sol no momento do disparo contra o guarda, sublinhando o facto de ela ter optado por não prestar declaração alguma durante o julgamento. Deste modo não foi atingido o objetivo da defesa que procurava o reconhecimento de duas atenuantes para poder solicitar uma condenação de 3 a 5 anos e a aplicação da pena alternativa de liberdade vigilada intensiva em vez da prisão efetiva.

Especificamente, a companheira foi condenada por homicídio qualificado, no grau de frustrado, a 7 anos de prisão, privação absoluta perpétua para cargos e ofícios públicos e direitos políticos, e privação absoluta para profissões titulares enquanto durar a pena. Para além disso foi condenada pelo furto da arma do guarda a 61 dias de prisão e uma multa de 215.000 pesos chilenos (300 euros). Por último, a companheira foi condenada a pagar as custas do processo e foi ordenada a toma de amostras do seu DNA  para que sejam incluídas no Registro de Condenados.

Esta sinopse foi escrita originalmente em espanhol a partir do documento oficial. No vídeo que se segue pode-se ver a reação das pessoas próximas de Tamara Sol ao ser ditada a sentença:

FORÇA E SOLIDARIEDADE COM
TAMARA SOL FARÍAS VERGARA

VINGANÇA PELXS NOSSXS MORTXS
VINGANÇA PELXS NOSSXS PRESXS

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>