Grécia: Caminhada anarquista no centro de Atenas

A 7 de Novembro de 2015, ao meio-dia, no meio da multidão de sábado, um punhado de nós realizou uma intervenção no bairro de Exarchia e nas ruas no centro da cidade, de Monastiraki a Thissio, para expressar a nossa solidariedade com os companheirxs que estão sob repressão em diferentes cantos do mundo, e, especificamente, nos territórios do Brasil, Uruguai e em Espanha.

"Solidariedade com a Okupa «La Solidaria», Montevideu - Do Uruguai até à Grécia, somos uma mesma resistência"
“Solidariedade com a Okupa «La Solidaria», Montevideu – Do Uruguai até à Grécia, somos uma mesma resistência”
"Força aos/às compas represaliadxs - Sempre com a cabeça erguida"
“Força aos/às compas represaliadxs – Sempre com a cabeça erguida”
"Nem um passo trás na luta feminista - Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil"
“Nem um passo atrás na luta feminista – Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil”
"Nenhum ataque misógino sem resposta - Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil"
“Nenhum ataque misógino sem resposta – Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil”

5 Colocámos faixas em Português, Inglês, Espanhol e Grego nos portões da Escola Politécnica de Atenas, nas ruas de Patission e Stournari, na praça de Exarchia e em frente à estação de metro, em Thissio.

"Cuidado patriarca, tem cuidado sexista ...Os feminismos estão a agitar toda a terra, de uma ponta a outra"
“Tem cuidado patriarca, tem cuidado sexista… Os feminismos estão a agitar toda a terra”
"Experimentamos aqui a violência todos os dias, com todos os machismos, com cada racismo"
“Experimentamos aqui a violência todos os dias, com cada machismo, com cada racismo”
"Eu era uma jovem mulher e existia o desemprego ...Tornei-me uma rufiana [informante feminina] que se juntou à polícia"
“Eu era pequena e havia desemprego…Tornei-me uma delatora que se juntou à polícia”
"Nem sexismo nem transfobia, merda em cada bandido uniformizado e no patriarcado"
“Nem sexismo nem transfobia, merda em cada uniformizado e no patriarcado”
“Luta internacional e libertária, vamos quebrar na rua a misosiginia”
"Somos muitxs e estamos em toda a parte, vamos invadir as cidades-prisões"
“Somos muitas e estamos em toda a parte, vamos invadir as cidades-prisões”
"Da Grécia ao Brasil, abaixo com o estatismo, viva a Anarquia"
“Da Grécia ao Brasil, abaixo o estatismo, viva a Anarquia”
"A Libertação será total, bofetadas e pontapés para cada estuprador"
“A Libertação será total, bofetadas e pontapés para cada estuprador”

No nosso percurso também atirámos flyers (1, 2), em solidariedade com as feministas libertárias no Brasil, que responderam com dignidade e a continuidade da sua acção ao brutal ataque que sofreram da bófia, durante a 1ª Feira do Livro Autónoma e Feminista, em Porto Alegre.

"Nem um passo trás na luta feminista - Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil"
“Nem um passo trás na luta feminista – Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil”
"Nenhum ataque misógino sem resposta - Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil"
“Nenhum ataque misógino sem resposta – Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil”

16Colocámos três faixas pelo mesmo caso; na Rua Patission:”Nem um passo atrás na luta feminista – Solidariedade com xs companheirxs em Porto Alegre, Brasil”; na praça de Exarchia: “Nenhum ataque misógino sem resposta – A solidariedade com xs compas em Porto Alegre, Brasil “; e em Thissio: “Nenhum ataque misógino e racista sem resposta – Morte ao Estado – Viva a Anarquia “.

"Força aos/às compas represaliadxs - Sempre com a cabeça erguida"
“Força aos/às compas represaliadxs – Sempre com a cabeça erguida”

Outra faixa na Rua Patission, foi colocada em solidariedade com aquelxs que foram invadidxs, presxs ou enviadxs para prisão preventiva nas recentes operações persecutórias do Estado espanhol.18No portão de entrada na rua Stournari, penduramos uma faixa em solidariedade com o centro social autónomo La Solidaria, em Montevideu, Uruguai, atualmente ameaçado de expulsão pelo novo proprietário, pois, de acordo com o aviso de despejo, o edifício está “precariamente ocupado por um grupo anarquista. “O espaço, que é libertado desde Fevereiro de 2012, foi mais uma vez alvo de repressão, tal como o projeto – entre outros – resiste a planos de urbanização e especulação imobiliária no bairro. Na faixa pode ler-se: “Solidariedade com a Okupa «La Solidaria», Montevideu – Uruguai a partir da Grécia, somos uma mesma resistência.”

em grego | inglês | alemão