Buenos Aires, Argentina: Ataque incendiário a dois patrulheiros da Polícia Federal

Trabalhadores armados e preparados para matar, guardiães da orden e da lei, serventes dos poderosos, assassinos a saldo. É a Policia Federal Argentina. A guerra psicológica faz parte da guerra social com a qual nos confrontamos, contra toda a autoridade, mas não é a que escolhemos nem a que incentivamos, a nossa guerra é a física, a do ataque direto aos opressores e aos seus pertences. Não nos basta saber que o inimigo perceba que pode ser atacado, mas sim saber que através de um ataque o seja. E se o interesse também fosse psicológico, consideraríamos que o mesmo se nutre diretamente de uma realidade fisica que se concretiza por meio do ataque direto que já mencionámos.

No domingo de 24 de Novembro de 2013 entre a 1.30 e as 2 horas da manhã, atacámos com dispositivos incenciários dois carros patrulheiros da Policia Federal Argentina, um da delegacia 41 e outro da delegacia 27.

Força para o companheiro Ilya Romanov preso após ter ficado ferido com o seu próprio dispositivo explosivo, quando se dispunha a atacar a polícia na Rússia.

Solidariedade com xs companheirxs Francisco Soler e Mónica Caballero presxs pelo ataque com uma bomba na Basilica del Pilar em Espanha.

Uma saudação cúmplice plena de amor e anarquia para os companheiros Alfredo Cospito e Nicola Gai presos em Itália e orgulhosos membros do Núcleo Olga FAI/FRI.

Amigxs da Terra / Federação Anarquista Informal