Arquivo de etiquetas: Pavlos Fyssas

Atenas: Crónica dos combates de rua de 17 de Setembro

lienzo Ao final da tarde de quinta-feira, 17 Setembro de 2015, realizou-se no centro de Atenas uma manifestação anarquista com características conflituantes. A manif tinha sido convocada pela “Assembleia dos Anarquistas Contra o Estado, o Capital e os fascistas” e apoiada por individualidades e grupos anarquistas de várias tendências, compartilhando as mesmas ânsias de ataque no aqui e agora contra xs nossxs inimigxs comuns.

Na Grécia o contexto sociopolítico atual é a letargia pré-eleitoral, com as próximas eleições à porta, em 20 de Setembro. As supostas resistências sociais de que tantas vezes temos ouvido falar vários, de modo grandiloquente, quase desapareceram. Na verdade, não há qualquer movimentação em termos de protestos massivos nem tampouco existe qualquer fermentação séria entre os que nada têm e xs marginalizadxs com vista a qualquer perspetiva insurrecional ou revolucionária. O que existe é uma normalização do discurso fascista e uma aceitação passiva dos avanços do progresso da dominação. Na manhã de 17/9, a imprensa do Poder ressoava a notícia de que o líder nazi do Amanhecer Dourado assumia a responsabilidade política pelo assassinato do rapper antifascista Pavlos Fyssas, há dois anos no distrito de Keratsini. Na mesma tarde, os direitistas da Nova Democracia realizavam a sua reunião central pré-eleitoral na Praça Omonia, enquanto a cidade se via inundada de esquadrões antimotim, polícia à paisana e forças motorizadas DIAS e DELTA.

Tínhamos como ponto de encontro a pequena praça de Kanigos, muito perto de Omonia, nos limites do bairro de Exarchia. Por volta das 21:30, cerca de 150 anarquistas, saírmos à rua Akadimias, a maioria de nós encapuçadxs e com o material incendiário nas mãos. Na faixa da manifestação, atrás da qual marchava o bloco negro, podia ler-se: ” Esmaguemos o Estado, o Capital e os fascistas// Nós é que determinamos os meios da nossa luta”. Cem metros à frente voltámos para o bairro de Exarchia, gritando slogans contra a democracia, contra o fascismo, em solidariedade com os nossos companheirxs presxs e em apoio à luta armada. Passamos pelas ruas estreitas do bairro até chegar à esquadra da polícia, no cruzamento das ruas Charilaou Trikoupi e Calidromiou. O que se seguiu foi uma chuva incendiária contra a bófia, os seus veículos e o próprio edifício da esquadra. Ficamos a lutar alguns minutos naquele cruzamento e, em seguida, tentamos sair de maneira coordenada pela rua Kalidromiou. Na esquina com a Emanouil Benaki, vimos à espreita, mais à frente, os bandidos das forças motorizadas DELTA, verdadeiros assassinos que não hesitam em investir contra a multidão com as suas motorizadas, tendo a reputação de serem os piores torturadores entre as forças de segurança. O pessoal então dispersou em várias direções, enquanto a bófia desencadeava o seu ataque, a fim de nos capturar. Os confrontos nas ruas de Exarchia ainda duraram um bom bocado, até terminarmos o material incendiário.

No final, a bófia conseguiu prender nove pessoas que foram levadas para a sede da polícia, na rua Alexandras (GADA). Todxs xs detidxs tinham sido fortemente golpeadxs tanto durante a prisão como durante a transferência para os calabouços (braços fraturados, dentes partidos, olhos inchados, etc.). Entre xs 9 detidxs havia 5 menores e 4 adultxs. Por volta do meio-dia de 18 de Setembro, todxs xs detidxs foram enviadxs aos tribunais tendo o processo de formalização durado até às 18:00. Dois dxs adultxs e dois dxs menores foram deixadxs em liberdade, com julgamento pendente e acusações de delitos menores, enquanto os outros cinco (3 menores e 2 adultxs) foram transferidxs de volta para os calabouços do GADA, acusadxs de delitos graves e tendo de comparecer perante o juiz de instrução – xs adultxs na segunda-feira às 12h00 e xs menores na terça-feira às 10.00 horas.

JUVENTUDE COMBATENTE – INSURREIÇÃO PERMANENTE!

FORÇA AOS/ÀS MIÚDXS NOS COMBATES DE RUA!  

MORTE À BÓFIA, PROCURADORES E JUÍZES!
eksarxeia00 eksarxeia01 eksarxeia02 eksarxeia03 eksarxeia04 eksarxeia05 eksarxeia06

espanhol

Atenas: Sobre os ataques neonazis no bairro de Keratsini

esmague o fascismoComunicado do E.S.A. Pasamontaña

Durante a noite de 24/2/2015 neonazis (do Amanhecer Dourado e outrxs do seu meio) vandalizaram o monumento a Pavlos Fyssas com cruzes suásticas e a sigla C-18 no bairro de Keratsini; atiraram também 4-5 molotovs à parede do Espaço Social Autogestionado Pasamontaña, tentando incendiá-lo, mas sem causar danos materiais. Antes do ataque tinham riscado já a parede exterior do espaço com uma suástica e a sigla neonazi C-18.

Estes atos representam outra oportunidade boa para se entender que o fascismo está aqui e está a ser incubado. Que não se trata de uma “moda que passará”, ou de que os seus votantes “não sabem”, que a podre democracia burguesa não combate o fascismo verdadeiramente – antes o conserva até ao momento de o utilizar.

Pela nossa parte parte, todxs xs que criámos, operamos e apoiamos a E.S.A. Pasamontaña, após 5 anos de ação multiforme nos campos da ajuda mútua e da ofensiva social-classist, estamos à espera deste tipo de ataques e, claro, continuamos convictxs e reforçadxs na opção da luta contra a opressão, pobreza e fascismo, por uma sociedade de solidariedade, igualdade e liberdade.

NENHUMA TOLERÂNCIA – NENHUMA ILUSÃO
ORGANIZAÇÃO E ATAQUE CONTRA OS NOSTÁLGICOS DO NAZISMO

26/2/2015

espanhol

Tessalónica: Reivindicação da colocação de um engenho explosivo na casa de um membro do Amanhecer Dourado

bum

Na noite de terça-feira, 14 de Outubro de 2014, fizemos a entrega ao domicílio de um engenho explosivo, no edifício localizado no nº 28 da rua de Lahanna (2º andar) em Tessalónica, onde mora o membro do Amanhecer Dourado Stathis Valakis. Este fascista em específico foi candidato ao concelho municipal pelo “Amanhecer Grego” em lista combinada do Amanhecer Dourado, nas últimas eleições. Escumalha como o Stathis não têm hipótese de se esconder. Iremos continuar a encontrá-los e a tratá-los como merecem.

Ps 1. Não só não confiamos ou baseamos em nenhum “combate” do Estado contra o fascismo como também lhe somos hostis. O fascismo só se combate pela presença constante nas ruas e os fascistas com visitas contínuas às suas casas, escritórios e em outras ocasiões do seu dia a dia..

Ps.2. A cara deste gajo pode ser encontrada através de uma busca simples na internet.

Em memória de Shehzad Luqman e de Pavlos Fyssas.

Devolvemos a força que nos dão todxs aquelxs que continuam a LUTAR dentro e fora de muros.

Grupo de rua para a difusão da acção direta

Atenas: Onda de ataques a objetivos fascistas

banda

Um ano após o assassinato do antifascista Pavlos Fyssas no bairro de Keratsini, pela trampa do Amanhecer Dourado Roupakias, descubrimos alguns executivos-humanóides do aparelho para-estatal do Amanhecer Dourado e incendiámos os seus veículos pessoais, à porta das suas casas, na madrugada de 16, 17 e 25 de Setembro de 2014 (assim “despertámos” uns nazis, nós também*).

Em concreto, incendiámos os seguintes veículos:

– A 16 de Setembro, no bairro de Gyzi, o carro de Fotis Giamanis, candidato do “Amanhecer Grego para Atenas”, lista combinada de Amanhecer Dourado nas últimas eleições municipais, liderada por Kasidiaris.

– A 16 de Setembro, a moto de um fascista no bairro de Rizoupoli.

– A 17 de Setembro, no bairro de Glyfada, o carro do vereador amanhecer-dourado Sotiris Vorgias.

– A 25 de Setembro, no bairro de Nea Filadelfeia, o carro da candidata amanhecer-dourada Elisavet Andri (conhecida também como “Veta”).

Para além disto, a 23 de Setembro, um grupo de compas atacou e vandalizou a sede do partido fascista LAOS (Alerta Ortodoxa Popular), situada na rua Aghias Lavras, no bairro de Patisia.

Não fizemos nada mais do que o óbvio ao devolvermos à porta dos fachos uma pequena parte da violência que há tantos anos exercem e difundem contra trabalhadorxs imigrantes e locais, jovens antifascistas e lutadorxs. Não são invisíveis e nós não esquecemos, não perdoamos.

Não engolimos o quanto institucional “antinazi” que o Estado e a Imprensa vendem que são, só pretendem ajustar as contas intra-familiares com o Amanhecer Dourado. Foram eles mesmo os que recentemente retiraram da sua obscuridade para-estatal o Amanhecer Dourado para o utilizarem em seguida de forma mais eficaz. Ao fim e ao cabo, o Amanhecer Dourado tem sido desde sempre o melhor colaborador da polícia e a mão longa da patronal, dos empresários, dos magnates navais e da máfia. Não nos deteremos no antifascismo barato da denúncia, como o da esquerda e das restantes forças “progressistas”, que só serve os interesses micro-políticos delxs.

O único idioma que os desgraçados para-estatais entendem é o da violência e é nesse idioma que iremos “à fala” com elxs.

Ódio para xs fascistas.

Ódio também para a escória social “equivocada” que vota nelxs e os apoia de qualquer modo.

* Referência irónica ao concerto de 19 de Setembro de 2014 em Syntagma, em memória de Pavlos Fyssas, onde os reformistas organizadores tentaram “abrandar” as palavras de ordem antifascistas, como no caso do lema “Pavlos vive, esmaguem os nazis” que passou a ser cantada aos megafones em versões ridículas, tipo “Pavlos vive, despertem xs nazis” ou “Pavlos vive, eduquem xs nazis”.

Chipre: Manifestação em memória de Pavlos Fyssas

http://www.youtube.com/watch?v=8vGyVJvsxrQ

Vídeo da manifestação antifascista que se realizou na quinta-feira, 18 de Setembro de 2014, no centro da cidade de Nicosia, em memória de Pavlos Fyssas (Killah P), que foi assassinado há um ano pelos cobardes dp Amanhecer Dourado no bairro de Keratsini, em Atenas.

Na faixa do grupo estudantil anti autoritário Skapoula pode ler-se: “Ira e Raiva por Pavlos Fyssas – R.I.P Killah P”.

Atenas, Grécia: Incendiárixs com Consciência deitam fogo a um veículo diplomático

Na sexta-feira, 11 de Outubro de 2013, pela madrugada, deitamos fogo a uma van do corpo diplomático, com placa DC 93-3, no cruzamento das ruas Pyrras e Delacroix, na zona de Neos Kosmos, em Atenas.

Esta ação  é dedicada, com todo o nosso coração, aos compas processados pelo duplo assalto na localidade de Velventos, na cidade de Kozani, e que estão à espera do seu julgamento até o fim de novembro*, como também à memoria do antifascista assassinado, Pavlos Fyssas.

Não podemos nos  acostumar com a ideia do medo e da morte. Vamos resistir ao totalitarismo contemporâneo com todos os meios disponíveis.

Iremos criar as nossas próprias estruturas, fortalecer e estender as nossas relações de companheirismo, preparando o terreno para a anarquia e o comunismo. A única solução é a revolução social…

Incendiárixs com Consciência

*O julgamento para o duplo assalto em Velventos está previsto para o dia 29 de Novembro 2013, no Tribunal de Apelações da rua Loukareos, em Atenas. Os compas processados são Andreas-Dimitris Bourzoukos, Dimitris Politis, Nikos Romanos, Yannis Michailidis, Fivos Harisis-Poulos, e Argyris Ntalios.