Arquivo de etiquetas: Okupa Orfanotrofio

Grécia: Okupas de habitação de imigrantes despejadas em Tessalónica

“Solidariedade com as Okupas – Okupa o mundo” – slogan pintado na ilha da Cefalónia, Grécia, 28/07/2016.

A 27 de Julho de 2016, ao romper da aurora, as forças policiais gregas invadiram e simultaneamente desalojaram três okupas de habitação de imigrantes na cidade de Tessalónica: A okupa de habitação de imigrantes Orfanotrofio (propriedade da Igreja), a comunidade Hurriya na rua Karolou Diehl (edifício de propriedade privada) e um outro edifício localizado na Avenida Nikis (propriedade da Universidade).

Várias dezenas de pessoas que ali viviam foram detidas. Provavelmente todxs aquelxs que se encontravam sem documentos foram enviados para campos de detenção, enquanto um grande número de ativistas era notificado para julgamento. Mais tarde, naquele mesmo dia, o edifício Orfanotrofio seria completamente demolido pelas autoridades.

A partir de então, várias ações foram realizadas em resposta a esta operação repressiva.

A 28 de Julho, alguns detidxs do edifício Nikis receberam quatro meses de pena suspensa. Xs detidxs da Orfanotrofio e Hurriya vão ter julgamentos separados, nos dias 3 e 5 de Agosto, respectivamente. Todxs xs ativistas presxs foram entretanto libertadxs.

A seguir indica-se um comunicado da okupa Orfanotrofio após o despejo e demolição da casa:

A 27 de Julho de 2016, às 05:45, a okupa Orfanotrofio de habitação de imigrantes em Tessalónica foi desalojada sob o pretexto de uma queixa apresentada pela Igreja S.A. Pouco tempo depois deu-se início à demolição completa do edifício.

Duas outras okupas que abrigavam imigrantes foram simultaneamente desalojadas (Avenida Nikis e comunidade K.Diehl-Hurriya).

Como resultado disto um total de 74 prisões foram realizadas nas três okupas.

O que se torna evidente é a criminalização de solidariedade e, é claro, a escolha política do Estado para atingir as estruturas auto-organizadas de solidariedade e comunidades de luta. Que estas estruturas estão a ser alvo de ataque tornou-se também evidente algumas horas após as três expulsões em Tessalónica – quando o prefeito de Atenas Giorgos Kaminis anunciou que vai apresentar um relatório queixa relativa o fato de existirem imigrantes a viver em edifícios de propriedade do município ocupados, declarando que aquelxs estão a “degradar a cidade” de Atenas.

Nós, por sua vez, acreditamos que as okupas habitacionais de imigrantes não degradam as nossas cidades, pelo contrário tornam-nas mais vivas.

É por isso que vamos continuar a criar estruturas de solidariedade e de luta; vamos continuar a viver e lutar em conjunto com xs migrantes. Porque não ampliamos a solidariedade dirigida aos/às imigrantes; praticamos a solidariedade em conjunto com xs migrantes. Porque não nos vemos como sendo privilegiadxs em relação aos/às imigrantes; antes como a manutenção de uma posição comum com elxs contra os patrões e os estados. Juntxs compartilhamos o que temos e lutamos por aquilo que devemos ter.

Porque queremos xs migrantes nos tecidos da nossa cidade, não em guetos. Queremos-los nas nossas escolas e bairros. …

NADA ESTÁ TERMINADO
TUDO CONTINUA

Assembleia da okupa de habitação de imigrantes Orfanotrofio

em inglês

Grécia: Operação repressiva em larga escala em Tessalónica

A 2 de julho de 2012 uma mega operação policial foi lançada na cidade de Tessalónica, com incursões em duas Okupas, buscas, prisão preventiva massivas (inclusive feito em casas como também em várias ruas, os presos foram libertados um dia mais tarde) e detenções. Como consequência, é possível que 25 dessas pessoas venham a ser acusadas a de crimes.

Mais especificamente, a polícia invadiu o lugar anarquista Nadir às 6:30 da manhã e prenderam as pessoas que estavam lá. As forças policiais também invadiram a Okupa Orfanotrofio e detiveram todas as pessoas que lá se encontravam.

Os media gregos fizeram imediatamente a ligação entre esta operação repressiva e um caso policial relacionado com acontecimentos que ocorreram nos últimos meses nesta cidade do norte da Grécia.

Que se danem os mercenários da polícia e os meios de comunicação … Sabemos perfeitamente que as autoridades judiciais e a bófia se vão servir lealmente de toda a propaganda dominante numa guerra contra o inimigo interno que se está a intensificar.

Apesar de tudo não podemos deixar de mencionar que esses “acontecimentos dos últimos meses” podem realmente envolver conflitos graves entre indivíduos e / ou coletivos em Thessalónica, que são (pelo menos teoricamente por observadores exteriores) afiliados no mesmo meio político, mas que são mais defensores do que o habitual de alegadas tendências e abordagens existentes contra todos os outros (também com comunicados, neste caso). Existem vários fatos que são deliberadamente silenciados sobre o que parece ser um conflito interno entre espaços activos no largo meio libertário existente na cidade de Tessalónica e esse problema não irá ser discutido publicamente. Mas poderemos refletir sobre o perigo profundo que se encontra em qualquer tipo de discórdia deste género, já que a repressão atingiu duramente e parece que a operação repressiva afetou companheiros de ambos os “campos” do conflito, qualquer que seja ele.

Demonstramos o nosso apoio que não é negociável aos detidos antes de se proceder a uma (auto) crítica, com base em fatos. Solidariedade em primeiro lugar e sempre, a liberdade para todos os companheiros/as.

Tessalônica: Polícia invade o squat Orfanotrofio

Uma operação repressiva contra o squat Orfanotrofio [N.T.: Orfanato] em Tessalônica: a assim chamada unidade anti-terrorista invadiu o squat enquanto a polícia grega segurou à força várixs compas que estavam dentro do prédio no momento do ataque.

A razão oficial dada pela polícia sobre esta operação foram alegações de tráfico de drogas dentro do squat. Aproximadamente 200 pessoas em solidariedade se juntaram fora da okupa bloqueando a rua Lambraki e gritando palavras de ordem.

O dono “legal” do prédio, assim como no caso do squat Pikpa em Heraklion, Creta, é o Ministro da Saúde. Apesar da contínua investigação (também pelo persecutor), a mídia coorporativa disse que um despejo está a caminho.

A presença de companheirxs é necessária! O squat está localizado na rua Lambraki, 162, em Toumba, Tessalônica.

Atualização: Xs compas que estavam presxs dentro do squat foram detidxs; quando a polícia xs tirou do prédio, xs solidárixs entoavam slogans militantes. Logo após, seguiram confrontos entre compas nossos e esquadrões de polícia que não hesitou em agredir com seus cacetetes a torto e a direito enquanto atiravam granadas de gás lacrimogênio e bombas de efeito moral. Uma barricada de rua com latas de lixo foi erguida e algumas pedras jogadas contra a polícia, que deixou o local.

Anarquistas conseguiram entrar novamente na okupa Orfanotrofio, mas ainda não existem estimativas sobre os desenvolvimentos por vir. Temos que destacar que muitxs vizinhxs apoiaram xs squatters.

Xs cinco compas presxs aparecerão ante seus persecutores na manhã do 17 de Junho. Um chamado para um encontro de  solidariedade do lado de fora da Corte de Tessalônica foi anunciado para amanhã às 11:00.

Retirado de: athens.indymedia.org

Tradução para o português: FogoGrego