Arquivo de etiquetas: Konstantina Karakatsani

Atenas: Novo julgamento contra a organização revolucionária anarquista Conspiração das Células de Fogo

after-ccf-bombingA 5 de abril de 2013, começa um novo julgamento marcial, dentro das prisões das mulheres de Koridallos, sobre o caso Conspiração das Células de Fogo (não esqueçamos que se está a levar a cabo a cabo a terceira sessão do julgamento contra a CCF sobre os pacotes incendiários, etc.).

Este novo procedimento ocupa-se das 250 bombas e ataques incendiários da organização (entre outros, os ataques às oficinas do Amanhecer Dourado,o Tribunal administrativo de Atenas e às prisões de Koridallos).

Um total de 18 compas serão julgados/as desta vez: 9 membros reconhecidxs da O.R. CCF, Theofilos Mavropoulos, Yannis Michailidis, Dimitris Politis, Konstantina Karakatsani, Panagiotis Masouras, Stella Antoniou, Alexandros Mitroussias, Kostas Sakkas e Giorgos Karagiannidis.

O nosso apoio a todos/as os/as compas é inegociável  e  requer a nossa presença na sala de audiências.

Assembleia de solidariedade com a O.R. CCF e os/as imputados/as no mesmo caso

Grécia: Anarquista Nina Karakatsani libertada da prisão

“No silêncio abafado de um inexpugnável matadouro , a fúria de um animal encurralado é ainda mais aterrorizante.”

Há dois anos atrás, em 22 de Abril de 2010, Konstantina Karakatsani, de 19 anos de idade – fugitiva na altura – foi presa, interrogada e detida preventivamente, acusada de envolvimento no caso CCF. Embora Nina negue todas as acusações e participação na organização desde o início, foi condenada à prisão durante 11 anos pela “Justiça grega” em Julho de 2011, aquando do primeiro julgamento do chamado “caso Halandri, que terminou com as mais severas das sentenças máximas contra companheiros. Desde então, ela foi colocada nas prisões de Eleonas–Thebes, em Viotia.

Ontem, 4 de Abril de 2012, Konstantina Karakatsani saíu das masmorras. As autoridades judiciais finalmente aceitaram o seu pedido de ser libertada e manter a pena suspensa (até ao início do primeiro julgamento de Apelo do ‘caso Halandri’)..

No entanto, na segunda-feira, 9 de Abril, Nina é convocada a comparecer na Tribunal de Apelações de Atenas (às nove horas, na rua Loukareos, no 7 º andar), devido à nova tentativa de acusação dos 250 ataques da CCF.

Quando declaramos guerra ao Poder, sabemos o que está pela frente, percebemos que, se cairmos nas mãos do Poder, a vingança é esperada. E devemos estar prontos/as para qualquer tipo de golpes de estado contra nós e contra os nossos companheiros processados, e ainda mais pronto/as para estar ao lado deles ativamente, de todas as maneiras que pudermos, até levá-los a todos de volta…

… e continuar a luta.

Atenas: Solidariedade incendiária com Panagiotis “Takis” Masouras, Konstantina “Nina” Karakatsani, Stella Antoniou e Luciano Pitronello “Tortuga”

Reivindicação de ataques incendiários contra concessionárias de veículos e do Ministério da Cultura

“A partir de certo ponto não há retorno. Esse é o ponto que há que se alcançar”
—Franz Kafka

O aparentemente invisível
Estamos a atravessar um período de “profunda” crise económica. Outra falsa crise, com um plano conhecido e amplamente utilizado. Desde há muitos anos, através de “crises” similares, tem sido posto à prova e ao mesmo tempo, infelizmente, tem-se vindo a cimentar a durabilidade do sistema capitalista. Uma experiência organizada por poucos, onde as cobaias são, normalmente, os cidadãos submissos, sem vontade própria. Pessoas que apoiam e elogiam com (e às vezes sem) paixão o seu direito a eleger quem as levará à miséria e as enganará durante os próximos quatro anos.

Mas este “belo” fluxo do capitalismo tem se vindo a destruir, na verdade, dia a dia, pois a sociedade apercebe-se que o capitalismo não merece retificação mas sim a sua destruição. O distante, embora tangível, antigo sonho da “vida ideal”, isto é, o consumo contínuo e desmedido, começou a entrar em colapso para uma grande parte da sociedade. Isto dá lugar à contaminação gradual, com o vírus benéfico da reação, dos que antes, talvez, se calassem para alcançar este sonho. Daí que as pessoas se radicalizem em tempos de crise sistémica, tal como a história tem demonstrado.

O que existe
No entanto, em algum momento, o conto termina aqui e regressamos há mais feroz e brutal realidade. Estamos diante de um capitalismo septicémico, onde a crise do sistema está cada vez mais profunda, os resíduos fascistas começam a instalar-se nas estruturas de poder e a bancarrota desordenada do país parece que se aproxima. O contínuo empobrecimento económico da sociedade e os repetidos ataques contra toda a resistência, são as características permanentes do sistema. Continuar a lerAtenas: Solidariedade incendiária com Panagiotis “Takis” Masouras, Konstantina “Nina” Karakatsani, Stella Antoniou e Luciano Pitronello “Tortuga”