Arquivo de etiquetas: Melbourne

Melbourne, Austrália: Mural em memória de Mikhail Zhlobitsky

Recebido a 10/11/2018; sobre o caso de Mikhail Zhlobitsky clique aqui e ali.Narrm / Melbourne, na chamada Austrália: Mural-graffiti em memória de Mikhail Zhlobitsky anarquista-comunista de 17 anos de idade, de origem russa – que morreu durante um ataque explosivo contra a sede regional do FSB (Serviço de Segurança Federal) em Arkhangelsk, Rússia, em 31 de Outubro deste ano.

“Nunca esqueça xs nossxs companheirxs caídxs”

em inglês

Melbourne, pretensa “Austrália”: BAE Systems atacada com tinta e à marretada por um Dezembro Negro

Assassinos corporativos
Assassinos corporativos

Nas últimas horas de Dezembro de 2015 atacamos os escritórios da empresa empreiteira da defesa BAE Systems, na Avenida River em Richmond, com tinta e à marretada.

A BAE Systems tira biliões da guerra e a sua tecnologia é responsável por incontáveis mortes de civis em todo o mundo.

Esta ação foi levada a cabo no âmbito do Dezembro Negro, um mês de ação direta anarquista, iniciado na Grécia pelos prisioneiros anarquistas Nikos Romanos e Panagiotis Argirou.

Também realizamos esta ação tanto em solidariedade com os presos anarquistas reféns de estados em todo o mundo como com os presos Indígenas mantidos como reféns pelas ‘autoridades’ colonialistas aqui na pretensa ‘Austrália’ – todxs elxs são presxs políticxs.

O Dezembro Negro está em toda a parte!

Célula de remodelação anarquista de escritórios

BAE mata pessoas
BAE mata pessoas
BAE é feita de assassinos BAE é feita de assassinos

melbourne4-1

melbourne5-1

em inglês l alemão

Melbourne, Austrália: Faixa em solidariedade com presxs anarquistas

Solidariedade rebelde com xs anarquistas presxs

Melbourne, Austrália: Na madrugada de domingo, 30 de Agosto, anexamos uma faixa à vedação exterior da estação ferroviária de Richmond, no centro da cidade de Melbourne, como modo mínimo de expressão da nossa participação na Semana Internacional de Solidariedade com prisioneirxs anarquistas deste ano.

SOLIDAREIDADE REBELDE COM XS PRISIONEIRXS ANARQUISTAS!

FOGO ÀS PRISÕES E À SOCIEDADE QUE AS MANTÉM DE PÉ!

alguns anarquistas

Austrália: Ataque co-ordenado a edifícios da Melbourne Transfield e da Toll

Na madrugada do dia 28 de Março, co-ordenámos um hilariante ataque tanto à sede da Transfield, na Estrada de St.Kilda em Melbourne, como a uma sucursal da Toll, no sul de Melbourne.

Tinta e vidros foram arremessados, sprayados, atirados para todo o lado, e as palavras “Queimar o Complexo Prisional Industrial”, “Foder a Transfield”, “Saiam de Nauru” e outras assim foram pintadas nas paredes dos edifícios.

Escolhemos especificamente como alvo estas corporações e locais de trabalho porque achamos que é fodido que alguém possa lucrar com a detenção por tempo indeterminado de seres humanos na Austrália e fora dela.

Recusamo-nos a aceitar que o governo australiano, e as empresas privadas contratadas pelo mesmo, possam sair impunes ao criminalizar, deter, torturar e matar pessoas que procuram refúgio.

Acreditamos que as pessoas têm o direito de atravessar qualquer fronteira que seja para procurar refúgio da guerra, opressão, colonialismo e dificuldades económicas. Sabemos também que a Austrália tem responsabilidade, e continua a desempenhar um papel de liderança, na criação dessas mesmas condições de guerra, opressão, colonialismo e dificuldades económicas das quais muitas pessoas estão fugindo.

Com esta ação, também dizemos ao governo australiano: Não têm autoridade para recusar a entrada e abrigo de pessoas numa terra que nunca foi cedida. Não podem recusar abrigo a pessoas em terras roubadas por vós!

Solidariedade a todxs xs que se encontrem em centros de detenção e em prisões em qualquer parte!

Fonte: anarchistnews

Melbourne, Austrália: Célula Felicity Rider/FAI-FRI incendia concessionária de carros de luxo

melbourne-spencer-streetNa noite passada (2 de Setembro de 2013) pela primeira vez que se recorde, mas definitivamente não a última, as chamas da insurreição anarquista rugiram bem alto no tóxico céu de Melbourne pondo um rápido fim a anos de inatividade “ativista” e “anarquista social” nesta cidade.

Aproximadamente às 19:30 introduzimo-nos na Gran Turismo Autos – uma concessionária de carros de luxo situada na rua Spencer, zona oeste da cidade de Melbourne – através de uma janela mal protegida das traseiras, colocámos um engenho incendiário artesanal com um temporizador já programado por baixo de uma secretária na zona de escritórios, ao lado da sala de exposições, fugimos rápidamente do edifício pela mesma janela pela qual entrámos.

Dado que o alvo se localizava numa zona central de negócios de grande visibilidade, cercada de câmaras de vigilância e com muitas patrulhas de segurança, tivemos de entrar e sair rápidamente do edifício. Não tivemos nem tempo nem a intenção de deixar no local nenhum slogan ou comunicados potencialmente incriminatórios. A operação demorou menos de 10 minutos a ser concluída; fomos muito cuidadosos a ocultar as nossas aparências pelo que se alguma imagem de uma câmara de vigilância viesse a ser publicada – nos submissos meios de informação de massas fascistas da Força Policial Vitoriana – isso seria praticamente inútil.

Após termos fugido e nos termos livrado de forma segura dos disfarces, recolhemo-nos no telhado de um bloco de apartamentos de uma comissão de habitação, no meio da cidade, donde pudemos ter uma boa vista para apreciar os resultados da nossa ação.

Muito entusiasmo e pura alegria/ódio pleno foram expressos enquanto observávamos as chamas cintilando no meio da noite e a enorme nuvem de fumo negro subindo para o céu. Muitos risos foram compartilhados também – logo que vimos a quantidade enorme de brigadas de incêndio, de polícias e de veículos dos serviços de emergência – tendo a extensão do incêndio excedido mesmo as nossas expetativas.

Sem dúvida que esta ação será condenada não apenas pelas ditas autoridades mas também por membros da chamada comunidade ‘ativista’ de Melbourne – muitos dos quais afirmam ser anarquistas, apesar de evitarem ações diretas, preferindo participar em patéticos ‘protestos’ acompanhados pela polícia e outras atividades inúteis, através das quais não conseguem absolutamente nada. Iremos usar com orgulho as vossas condenações, sua traidora escória inativa!

Dedicamos esta ação à companheira anarquista australiana Felicity Ann Rider – continua livre!, à Célula de raposas enfurecidas & ACAB no Reino Unido , à Célula Liberdade Mandylas e Tsavdaridis FAI-FRI na Indonésia, à Fração do FLT-Indonésia, aos/às Amigos/as da Terra/FAI da Argentina , à FLT da Rússia,  aos/às compas encarcerados/as da Conspiração de Células de Fogo e da Luta Revolucionária , ao hacker encarcerado de AntiSec Jeremy Hammond e a todos/as os/as combatentes anarquistas ao longo do agonizante Planeta Terra!

A ação de ontem é só o começo de uma nova etapa de revolta nunca antes vista no continente ocupado da Australia  e temos a esperança de que inspirará ações semelhantes não só em Melbourne como por toda a Austrália!

A era do inútil anarquismo social acabou, deixemos que o fogo e o fumo do incêndio marquem o início da nova era da insurreição e da revolta!

Célula Felicity Ann Ryder
da Federação Anarquista Informal/Frente Revolucionária Internacional

Melbourne, Austrália: Sabotagem no sistema de venda e validação de billhetes de comboio

Na noite de quarta-feira, 15 de Dezembro, um grupo de ativistas sabotaram a maioria das máquinas de venda automática de bilhetes e validação ( incluíndo as do sistema myki ) do ferrocarril eléctrico Sydenham, na cidade de  Melbourne.
Como el grupo “Artful fare dodgers“ explica no último parágrafo do seu comunicado:

[…] Nós exigimos um sistema de transportes públicos mais barato, mais eficaz ou mais pontual, mas o nosso ataque é contra este modo de vida. Mesmo se fosse gratuito, não nos satisfaria. Já estamos a viajar  grátis diariamente e recusamos pagar para nos submetermos ao terrorismo dos inspectores de bilhetes. Não é suficiente apenas  evitar a tarifa ou passar o nosso bilhete ao passageiro do lado que vai embarcar na carruagem – trata-se de uma invisível revolta contra estas circunstâncias que todos odiamos.. Todo o sistema deve ser atacado e sabotado.

Negação de pagamento de bilhetes
Contra a desvalorização das nossas vidas
Contra o terrorismo dos polícias dos transportes
Solidariedade com todos os passageiros clandestinos