Arquivo de etiquetas: Gianluca Iacovacci

Milão: Sabotagem solidária com Gianluca Iacovacci e Adriano Antonacci

cars

Milão, 15 de Dezembro de 2014: Danificados cerca de 20 carros da Enjoy, serviço de aluguer de carros, criado pela empresa de energia ENI (Corporação Nacional de Hidrocarbonetos) em associação com a empresa ferroviária Trenitalia e a Fiat. Esta ação realizou-se em solidariedade com Gianluca e Adriano e todxs xs outrxs anarquistas presxs.

Bristol, Reino Unido: Ataque incendiário à fábrica da multinacional BAE Systems

No contexto da cimeira da NATO em Newport uma célula da Federazione Anarchica Informale (FAI) atacou a fábrica BAE Systems em Filton, Bristol:

Preparámos o nosso ataque contra a fábrica de armamento da BAE Systems na área de Filton em Bristol, pegando fogo ao depósito de combustível, fora do Centro de Tecnologia Avançada (Instalações de Impacto – Secção de Instalações de Impacto Electromagnético de Grande Potência) a 29 de Agosto. Hoje (30.08.2014), anunciamos ter levado a isto a cabo no contexto da conferência da Nato em Newport daqui a cinco dias. Hoje (30.08.2014), anunciamos ter realizado este ataque no contexto da Cimeira da NATO, a realizar-se em Newport, nos próximos 5 dias. O Reino Unido está cheio de estruturas do complexo militar-industrial durante todo o ano e todxs podem tirar daí as suas conclusões.

A BAE Systems é possivelmente a maior das denominadas multinacionais de defesa e ainda o maior empregador industrial no Reino Unido. Alguns dos seus maiores projectos, apenas com as Forças Armadas Britânicas, são os jactos Eurofighter da NATO e os submarinos nucleares.

Desde artilharia e aviões teleguiados aéreos [drones] com sistemas de comunicação especializados, até aos caças-bombardeiros F16 da Força Aérea Israelita e os grilhões usados nos prisioneiros da Baía de Guantánamo, é possível encontrar a BAE Systems por trás da conquista imperialista e da morte ou da miseribilização de milhões em todo o mundo. A empresa tem agora sucursais de informação e investigação criminal, que lidam com matérias como ameaças cibernéticas no sector bancário, sendo contratada pela União Europeia para criar o Sistema de Gerenciamento de Crime Estratégico e Imigração: essencialmente uma base de dados de policiamento internacional. Estão a postos para lucrar gerindo a transição da analítica, desde a análise de locais físicos até a análise de indivíduos e como estes interactuam para vantagem dos que fazem cumprir a lei e das agências de inteligência.

A fábrica que atingimos produz hardware, incluindo o das fragatas navais e veículos de combate, e ali centenas de funcionários do Centro de Tecnologia Avançada desenham armamento de ponta para os mercados globais. Apenas algumas das suas especialidades são:

– Detecção de comportamento anormal & analítica de vídeo
Tecnologia de bio-inspiração
– Micro & nanotecnologia e materiais inteligentes
– Tecnologia para operações secretas & seguras

A BAE Systems está na vanguarda da robótica militar bem como das últimas inovações, como dispositivos de disfarce para tanques e equipamento de protecção pessoal feito a partir de líquido, para tornar a moderna máquina assassina de carne e sangue ainda mais ágil e mortífera. Olhem para os seus veículos blindados terrestres que são autónomos de supervisão humana (como aqueles que patrulham a zona fronteiriça de Israel-Gaza ou Israel-Líbano) ou as minúsculas máquinas de superfície ou submarinas modeladas a partir de insectos para reconhecimento audiovisual para ver um sinal do futuro que eles nos estão a preparar.
A empresa faz referência explícita à época da guerra assimétrica e a passagem do uso dos seus produtos no campo de batalha para o uso dentro da sociedade em grande escala: um fenómeno comum no sector. Um caso que ilustra isto é o do equipamento de visão nocturna de alta potência da BAE Systems, que começa a entrar no mercado das câmaras de vigilância civis para avançar com o projecto de tornar os centros urbanos em prisões abertas e em todo o lado onde for preciso proteger o sistema e os seus bens.

Será preciso escrever mais para demonstrar como o desenvolvimento tecnológico debaixo da civilizada estrutura do Poder nos está a levar para uma paisagem desolada e automatizada de quase total domínio e potencial aniquilação? A hora é tardia e o admirável mundo novo com a procura amplificada pela submissão será o preço pela nossa indiferença.

Atacamos-lhes ali onde pensavam que era terreno seguro, assim foi como decidimos pagar a BAE Systems com a mesma moeda pelo negócio que escolheu. Através do ataque estamos com aquelxs encarceradxs pelos seus próprios caminhos em direcção à anarquia:

Gianluca Iacovacci e Adriano Antonacci
Marco Camenisch
Nicola Gai e Alfredo Cospito

Os actos destrutivos irão multiplicar-se, por cada ano que passem lá dentro. Honra também aos e às lutadorxs dos dias passados que andaram armadxs contra o domínio no seu tempo.

FAI “Sacco & Vanzetti” Círculo de Propaganda pela Vida & pelo Facto

Itália: Condenados os anarquistas Gianluca Iacovacci e Adriano Antonacci

carcelRoma – 18 de Julho de 2014

Os companheiros anarquistas Gianluca Iacovacci e Adriano Antonacci foram condenados, em primeira instância com o rito abreviado, pela juíza da audiência preliminar Simonetta D’Alessandro, respetivamente a 6 anos e 3 anos e 8 meses por uma série de sabotagens e ataques contra o Eni, Enel e bancos da zona de Castelli Romani (próximo de Roma) entre 2010 e 2013. Foi reconhecido o delito de associação com fins de terrorismo internacional. Gianluca reivindicou individualmente uma parte dos ataques com a assinatura FAI; durante o julgamento recusou a defesa, ambos se negaram a participar no julgamento por video-conferência.

Para lhes escrever:

Gianluca Iacovacci
CC di Alessandria
Via Casale 50/A
15122 San Michele (AL)
Itália

Adriano Antonacci
CC di Ferrara
Via Arginone 327
44122 Ferrara
Itália

[Prisões italianas] Atualizações sobre o julgamento contra Gianluca Iacovacci e Adriano Antonacci

A 26 de Maio de 2014 teve lugar a primeira audiência, por videoconferência, do julgamento contra Gianluca e Adriano. Algum tempo antes, Gianluca renunciou à defesa, revogando a decisão de considerar o seu advogado como de defesa. Para além disso, tanto Gianluca como Adriano decidiram, como gesto de não colaboração no julgamento-farsa por vídeo-conferência, não o presenciar, sequer através de monitor.

A audiência foi então remarcada para o dia 4 de Julho pois o juíz declara que, em relação aos factos, Gianluca fez uma nova proposta para outro advogado defensor de confiança, e isto ninguém o sabia, nem o nomeado nem tampouco os/as numerosos/as compas que mantêm com Gianluca uma extensa correspondência. Decide-se, assim, tentar esclarecer, com a intenção de encontrar uma resposta para esta incoerência, e no final o nó desata-se: Gianluca nunca pretendeu nomear um defensor de confiança, sendo que de vários elementos se deduz que foi um erro da prisão de Alexandria, a prisão em que Gianluca se encontra detido.

Assim, reafirma-se a decisão de Gianluca de renunciar a ser defendido por um advogado de confiança e recordamos a data de 4 de Julho em que serão julgados, Gianluca e Adriano.

Convidamos todos e todas a fazer chegar a solidariedade aos dois compas e a denunciar “a infame” utilização da vídeoconferência como mais um instrumento do isolamento.

Rete Evasioni

Tessalónica, Grécia: Ataque incendiário contra veículo de companhia de segurança

Solidariedade com a luta dos presos contra o novo projeto de lei e prisões de segurança máxima

Na quarta-feira, 28 de Maio de 2014, incendiámos um veículo da empresa de segurança no município de Faliro, na cidade de Tessalónica, como sinal de resistência contra o novo projeto de lei que propõe a criação de prisões de segurança máxima. As empresas de serviços e sistemas de segurança são as que têm assumido a tarefa de lidar com as necessidades da infra-estrutura de tais prisões. Mas elas também impõem o controle sobre os nossos corpos e mentes, fora dos muros da prisão. 

Solidariedade com Gianluca e Adriano, mantidos em cativeiro numa prisão de segurança máxima em Itália, à espera de julgamento através de vídeo-conferência no dia 4 de Julho de 2014.

Roma, Itália: Dois companheiros detidos acusados sob a lei antiterrorista

dust-bathNa quinta, 19 de Setembro, esquadrões de ROS (carabineiros das forças especiais) invadiram as casas de quatro jovens na zona de Castillos, apreendiram objetos pessoais e arrestaram o Adriano Antonacci e o Gianluca Iacovacci. Aos dois compas se quer atribuir ações assinadas com diversas siglas, encontrando-se, agora, em confinamento solitário nas prisões romanas. O artigo utilizado desta vez é o 270 bis do Código Penal no combate ao terrorismo que diz “Associação para fins de terrorismo, também internacional, ou da subversão da ordem democrática”.

A cerca de um mês dos protestos planeados para Roma e no resto do país, a maquinaria repressiva foi posta em marcha desencadeando a tormenta habitual dos meios de desinformação e do alarmismo preventivo. Os dois jovens, que da mesma forma que os restantes milhares de habitantes de Castillos Romanos estiveram na rua para se mobilizar contra a exploração do território, somente dentro de alguns dias poderão ver os seus familiares.

À espera de mais informação, convidamos-los a que atuem em solidariedade com os presos, para que estes não se sintam sózinhos.

Terrorista é quem, diariamente, coloca em risco a saúde de milhares de pessoas para a construção de pequenas e grandes obras de lucro,que explora todos os dias milhares de pessoas no trabalho, quando apenas algumas poucas famílias podem fazer face às despesas,aqueles que reprimem e matam nas ruas e bairros impunemente, que estão a colonizar e a destruir cada vez mais os nossos territórios em nome do deus dinheiro.

A nossa arma é a solidariedade.
Todos/as fora das prisões.
ADRIANO E GIANLUCA LIVRES AGORA!

Companheiros/as e amigos/as de Castillos Romanos

Atualizações:
9 de Outubro: Adriano Antonacci, compa preso em Setembro passado en Roma, foi tranferido ao módulo de Alta Segurança 2 da prisão de Ferrara, que se confirma como espaço para encarcerar os/as prisioneros/as anarquistas à espera de julgamento. Não se têm, todavia, atualizações sobre a possível transferência de Gianluca Iacovacci, compa detido durante a mesma operação repressiva.

Esta é a sua nova direção:
Adriano Antonacci
CC di Ferrara Via Arginone 327 44122 (Itália)

2. A 22 de Outubro de 2013, tomámos conhecimento de que Gianluca Iacovacci, detido em Setembro ao mesmo tempo de que Adriano Antonacci, foi transferido da prisão romana de Regina Coeli para a de Alessandria-San Michele, onde também há um módulo de alta segurança 2, e nele se encontram detidos outros compas anarquistas. Provavelmente a transferência deve-se à proibição de comunicação entre ele e Adriano.

Para lhe escrever:
Gianluca Iacovacci
Via Casale 50/A 15122 San Michele (AL) Italia.