Arquivo de etiquetas: Valparaíso

Valparaíso, Chile: Barricadas e confrontos em Playa Ancha

14/12/2017

A 7 anos do massacre na prisão de San Miguel…
A 4 anos da caída em combate de Sebastian Oversluij…

POR UM DEZEMBRO NEGRO, PROCURA QUE VIVA A ANARQUIA!!!

Hoje há 81 razões para lutar, 81 razões para subverter a ordem e enfrentar os seus lacaios, para lhes recordar que a massa cidadã borrega é cúmplice da sua actuação, porque nem esquecemos nem tampouco perdoamos.

ABAIXO A PRISÃO E GUERRA AOS CARCEREIROS!!!

Com o anárquico pelao angry e o bruxo, presente em cada revolta, em cada motim, saímos à rua para afilar os gestos de memória e nos solidarizarmos com xs compas presxs na guerra frontal e permanente contra o estado, o patriarcado e o capital, pelo mesmo enviamos um cúmplice e caloroso abraço ao/à compas Juan e Nataly, que estão a ser julgadxs pelo poder no denominado caso bombas 2, assim como às/aos compas que estão na mira do poder e da imprensa em Valparaíso no caso 21 de Maio.

De igual forma nos solidarizamos com cada insurretx em revolta…

Até que a solidariedade se faça arma!!

em espanhol

Prisões chilenas: Acerca da situação jurídica do nosso companheiro Marcelo Villaroel – Solidariedade revolucionária como resposta à vingança do Estado!

Acerca da situação jurídica do nosso companheiro Marcelo Villarroel… ou de como a vingança do estado se perpetua em silêncio

Em Setembro passado, foi notificada na 4ª Procuradoria Militar de Santiago a resposta negativa à petição feita para prescrição das sentenças, solicitação essa realizada pelo nosso companheiro Marcelo, há vários meses.

Imediatamente, Marcelo apelou dessa recusa, ficando a resolução do recurso nas mãos do Tribunal Marcial, reafirmando este a recusa, nos primeiros dias de Outubro.

Estas condenações correspondem a causas originadas por ações enquadradas na antiga militância no Mapu-lautaro, organização na qual o nosso compa foi ativo desde muito jovem e da qual foi expulso por “desvios anarquistas”, quando já se encontrava na prisão, em 1995.

Marcelo purgou ininterruptamente 11 anos, dois meses e quinze dias – de 13 de Outubro de 1992 até 28 de Dezembro de 2003 – ficando depois, em prisão noturna, até Março de 2005, altura em que lhe é concedida a chamada “liberdade condicional”, que o obriga a assinar semanalmente até cumprir 20 anos de controle penitenciário.

Marcelo é indiciado como participante no assalto ao Bank Segurity, aos primeiros dias de Novembro de 2007, assim como outros compas –  expropriação essa na qual morreu um polícia e que causou uma resposta do Estado sem precedentes. Marcelo decide passar à clandestinidade e, em Fevereiro de 2008, na sua ausência a “liberdade condicional” é-lhe revogada.

É detido na Argentina em Março de 2008 e, em Setembro de 2014, é condenado a 14 anos efetivos por 2 assaltos bancários.

Foram, entretanto, reactualizadas as penas relativas às causas antigas (emanadas da sempre sinistra “Justiça Militar” ), ficando da seguinte maneira:

– Associação ilícita terrorista: 10 anos e 1 dia.

– Danos a um veículo fiscal, com lesões graves a carabineiros (bófia): 3 anos + 541 dias.

– Co-autoria de homicídio qualificado como terrorista: 15 anos e 1 dia.

– Roubo com intimidação, lei 18.314: 10 anos e 1 dia.

– Atentado explosivo contra embaixada da Espanha: 8 anos.

No total, essas condenações antigas totalizam 46 anos, estabelecendo como data de término o mês de Fevereiro de 2056.

Há uma série de irregularidades nos cálculos e, embora a questão legal nunca tenha sido nem virá a ser o nosso ponto de concentração único, acreditamos que se torna urgente e necessário enfrentar essa situação que, à luz de qualquer ponto de vista, representa uma clara vingança contra um companheiro que mantém em alta as suas convicções subversivas – de corte autónomo e libertário – nunca tendo abandonado o confronto direto pela libertação total, nem nunca renunciado à sua história de combate, deixando-a como mercadoria para livros ou galardões para traficantes de histórias – prestadas onde se refugiam centenas de renegadxs que perambulam por diferentes espaços de índole pseudo-radical.

A nossa chamada é para se deixar tanto a verborreia como os falsos gestos de solidariedade – para que se enfrente esta e cada uma das vinganças que provêm do Estado, como política constante contra todxs aquelxs que não renegam os seus vínculos e convicções.

É hora de agir, de tornar realidade aquilo de nenhum compa estar sózinho na orisão.

PELA DESTRUIÇÃO DE TODAS AS PRISÕES!!!
ENQUANTO EXISTIR MISÉRIA, HAVERÁ REBELIÃO!!!

Pessoas próximas a Marcelo
Santiago-Valparaíso
Outubro de 2017

Viña del Mar, Valparaíso: Corte de estrada no Canal Chacao [13/09/2017]

Tanto Democracia como Ditadura assassinam, reprimem e fazem desaparecer a todxs aquelxs que se levantam em pé de luta e resistência contra o avanço da devastação capitalista, nos mais diversos sítios do planeta. Hoje, faz um ano em que assassinaram Macarena Valdes, às mãos de assassinos a soldo da empresa RP Global – a propósito de enfrentar a instalação de uma central no terreno Tranguil – tal como também se cumprem 12 anos do desaparecimento de Jose Huanante, às mãos da bastarda polícia na região de Puerto Montt. E já passado mais de um mês do desaparecimento de Santiago Maldonado, às mãos do Estado Argentino, por se solidarizar com a luta da resistência Mapuche, a nossa resposta é clara:

NÃO DAREMOS A OUTRA FACE PERANTE A VIOLÊNCIA QUOTIDIANA QUE XS NOSSXS COMPANHEIRXS DE LUTA SOFREM, ERGUEMOS-NOS E QUEBRAMOS A PASSIVIDADE DA ROTINA CIDADÃ COMO UM GESTO DE MEMÓRIA E AÇÃO SOLIDÁRIA COM TODAS AS LUTAS QUE SE LEVANTAM EM RESISTÊNCIA E OFENSIVA PELA LIBERTAÇÃO DA TERRA E PELA DEFESA DOS TERRITÓRIOS:

SOLIDARIEDADE COM XS PRESXS POLÍTICOS MAPUCHES DO CASO IGLESIAS QUE JÁ SE ENCONTRAM HÁ MAIS DE 90 DIAS EM GREVE DE FOME, AOS/ÀS IMPUTADXS DO CASO LUCHSINGER-MACKAY E COM TODXS XS PRESXS SUBVERSIVXS EXISTENTES POR TODO O MUNDO.

CLAUDIA LOPEZ, MACARENA VALDES E TODXS XS CAÍDXS, SEMPRE PRESENTES!

em espanhol

Valparaiso, Chile: Ação em memória de Mauricio Morales

[Valparaíso, 23 de Maio de 2017]
MEMÓRIA E AÇÃO. MAURICIO MORALES PRESENTE!!. SAÍDA DIA DO CAOS, HUMANIDADES UV

Decidimos destruir o quotidiano universitário cúmplice do existente com um ato de memória, nos 8 anos da caída em combate do guerreiro Mauricio Morales (após a detonação de um dispositivo explosivo cujo objetivo era a escola dos guardas prisionais).

Os discursos que arvoraram como bandeiras a paz e a integração têm vindo a apropriar-se da luta social, avançando rapidamente para as instituições, criminalizando a ação direta e gerando uma nova mentalidade no rebanho cidadão que cala e consente, observando com cumplicidade a exploração, por isto mesmo não esquecemos xs rebeldes que deram a cara, organizando os seus bairros, assim como as afinidades, acendendo ininterruptamente a chama da insurreição. Não deixemos que as maléficas instituições do poder capturem toda a potência convertida em fogo. O poder das palavras é inegável sempre e quando existirem ações que as suportem, a guerra é permanente e o nosso caminho é a revolta – excluídos do seu mundo, das suas cinzas construíremos o nosso.

Arma-te e sê violentx, formosamente violentx, até que tudo rebente
Mauricio Morales

Pela expansão do caos e da anarquia!

Liberdade para todxs xs presxs do mundo!

Solidariedade ativa e combativa com as afinidades na clandestinidade ou ofensiva.

Mauricio Morales presente!

Valparaíso, Chile: Comunicado de ação pelo dia do Jovem Combatente

Comunicado recebido com as fotos a 13/04/2017:

Universidade de Valparaíso, 29 de Março de 2017

Hoje, encontramos-nos novamente a recordar xs nossxs caídxs, passados 32 anos do assassinato de Paulina, Rafael e Eduardo pelxs guardiões do Poder. Recordamos o assassinato de Mauricio e o de Johnny Cariqueo, nos contextos de revoltas comemorativas ao dia do jovem combatente em 2008. Como recordamos todxs xs caidxs em luta, com memória combativa e cumplicidade. Cumplicidade que nos convida a destruir a rotina do status quo universitário, acendendo barricadas e propagando a revolta.

Fazemos uma chamada à memória combativa, que o fogo se propague com desobediência e incendeie a passividade até que a rebeldia prolifere em cada recanto do planeta, xs nossxs mortxs serão semente, para florescer na revolta. O capital não tem dado trégua, pelo contrário, avança desenfreadamente até à devastação total do planeta.

Os discursos que enaltecem a paz e a integração apropriaram-se da luta social, avançando rapidamente para as instituições, criminalizando a ação direta e gerando uma nova mentalidade no rebanho cidadão que cala e observa com cumplicidade a exploração, por isto não esquecemos xs rebeldes que têm dado a cara, organizando os seus bairros e afinidades, acendendo continuamente a chama da insurreição. Não deixemos que as maléficas instituições do poder capturem toda a potência convertida em fogo. O poder das palavras é inegável, sempre e quando existam ações que as apoiem, a guerra é permanente e o nosso caminho é a revolta, excluídos do seu mundo construímos o nosso a partir das cinzas.

Porque nos cansamos da passividade, por todxs xs caidxs e pelxs presxs em guerra,

Paulina Aguirre, Eduardo e Rafael Vergara Toledo, Jonhny Cariqueo, Norma Vergara, Javier Recabarren, Jorge Saldivia e Sebastián Oversluij  e todxs xs caídxs, presentes!

Juan, Nataly, Enrique, Sol e presxs em guerra para a rua!

Nem culpados nem inocentes! Abaixo o Estado Policial!

Saibam os nascidos e os que estão por nascer, que nascemos para vencer e não para sermos vencidos!

Pu Weichafe na clandestinidade

Uma homenagem a todos e a todxs xs caídos!                         Juventude combatente, insurreição permanente!

Valparaíso, Chile: Nenhuma agressão sem resposta – Dia do Jovem Combatente

Por volta das 0:00 horas do dia 29 de Março de 2017, nas proximidades de Viña del Mar, serra Santa Inés, saímos para comemorar, um ano mais, a morte dxs irmãos Vergara Toledo e todxs xs caídxs na luta; confrontámos-nos, uma vez mais, com os cães guardiães do poder e da ordem – e até levamos às suas vestimentas verdes a grata surpresa de cocktails molotov…

Também não deixar de mencionar e reivindicar que os jovens combatentes de hoje se encontram em resistência – das tomadas nas serras de Viña até aos/às que lutam dia a dia no wall mapu contra o estado chileno.

Não esquecemos todxs xs jovens  e lutadorxs que se encontram na prisão sob o jugo  desta sociedade carcerária.

Subimos esta ação para quebrar a barreira imposta pelos meios oficiais – que procuram invisibilizar cada ação que se tenha realizado naquele dia, para deixar no silêncio e esquecimento todo o gérmen de rebeldia.

POR TODXS XS JOVENS COMBATENTES DE ONTEM, HOJE E AMANHÃ!!
NENHUMA AGRESSÃO SEM RESPOSTA!!

em espanhol l grego

Viña del Mar, Valparaíso: Corte de estrada com barricadas em memória de Matías Catrileo

Bem cedo, na manhã deste 3 de Janeiro, cortamos a rota via las palmas com o propósito de recordar o nosso peñi [em mapuche, peñi significa irmão de um lutador] Matías Catrileo, assassinado cobardemente pelas costas por funcionários dos carabineiros – ação que foi encoberta pelo estado do $hile da mesma forma que todos as outras cometidas contra a resistência mapuche.

Não esquecemos aqueles irmãos e irmãs mapuches que se foram desta vida física; Alex Lemunao Saavedra, Johnny Cariqueo Yañez, Rodrigo Melinao Lincan, Jose Huenante Huenante, entre muitos outros, assim como também não esquecemos xs lutadorxs não mapuches, caídos às mãos dos cães a mando do poder e do capital. Não resta dúvida que continuarão na memória de todxs xs que lutamos pela libertação da terra.

Recordamos que há um mês a polícia atingiu nas costas um jovem mapuche com 17 anos apenas – com chumbo grosso, deixando-o com ferimentos graves nas costas e uma fratura – tendo aquele de ser hospitalizado; uma semana depois de Hernan Paredes Puen e Yocelyn Yevilao Maril também foram atingidos com mais de 130 chumbos no momento da sua detenção. Todos estes fatos dão-nos um vislumbre do estado de guerra que vivem os peñis e lamienes por defender o seu território.

A isto há que somar o sequestro, pela 4ª vez, da Machi Francisca Linoconao, que atualmente se encontra em greve de fome, há já 12 dias, mais 5 pênis que também aderiram à greve.

Concluíndo, este ato simbólico é uma advertência aos poderosos e sequazes – de que a guerra que o povo mapuche está a levar a cabo contra o estado chileno também se está a preparar de norte a sul. Aproveitem para dormir tranquilos agora porque a qualquer momento a luta estalará e pela via insurrecional iremos atrás dos seus pescoços

A partir da V região, mandamos farta força da terra [newen, palavra mapuche] para xs nossxs irmãos e irmãs que resistem em cada um dos territórios.

FIM DA MILITARIZAÇÃO NO TERRITÓRIO MAPUCHE
LIBERDADE IMEDIATA A TODXS XS PRESXS POLÍTICOS MAPUCHES E NÃO MAPUCHES
VIVEZA É DEFENDER A NATUREZA

em espanhol

Valparaíso, Chile: Luta nas ruas em solidariedade com Freddy, Marcelo e Juan

caosQuarta-feira, 29 de Junho / 2016.

Confrontos com a bastarda e imunda polícia de verde na universidade de Playa Ancha na V região, Valparaíso, $hile.

Durante a luta nas ruas foram lançados panfletos em solidariedade com os companheiros subversivos Freddy Fuentevilla Saa, Marcelo Villarroel Sepúlveda e Juan Aliste Vega, condenados no mediático “caso security”, um caso orquestrado pela inquisição democrática após várias expropriações bancárias, uma delas onde se deu a morte do lacaio da bófia Moyano, tendo-se salvo do chumbo mais outro, em 2007.

Nas ruas saúda-se com luta, agitação e propaganda a vida combatente  dos companheiros do passado, presente e futuro subversivo e libertário. Hoje, os nossos companheiros mantêm-se de pé e resistem ferozmente às condenações do aparelho estatal na Prisão de Alta Segurança de Santiago, $hile.

LIBERDADE IMEDIATA PARA FREDDY, MARCELO E JUAN!!!
Solidariedade ativa com os companheiros
ENQUANTO EXISTA MISÉRIA HAVERÁ REBELIÃO!!!

propa1-1propa2-1

Viña del Mar, Valparaíso: Barricadas e ataque às forças da ordem na UTFSM

01

Barricadas na sede, rua José Miguel Carrera, Universidade Técnica Federico Santa María

Terça-feira, 10 de Maio 2016

A devastação e a extracção chegaram a níveis desproporcionais de morte e nocividade!

Em Chiloé e no resto do mundo estão a conhecer a verdadeira e única cara do capital, do estado e dos seus tecnocratas, a cara da miséria e da destruição que deixam a cada passo.
A organizar a raiva transformando-a em ações, combater a devastação da terra em todas as trincheiras.
Sem líderes ou dirigentes que só procuram negociar e encontrar saídas de pactos para fazer as suas carreiras políticas.
(…)
A agudizar a luta das ruas, sem a necessidade de nos sentirmos estudantes, assumindo que a luta revolucionária desborda de qualquer institucionalização, reformas ou remendos que só procuram aliviar o peso das nossas cadeias.

O capital / estado é morte, é imposição!
A agitar em direção à insurreição e desobediência contra os de sempre!
Ali onde não vive nem seu poder, nem a sua maquinaria da morte e ideologia é onde vive a Anarquia!
0203

Chiloé resiste. Que o kaos se propague por todo o território
Chiloé resiste. Que o kaos se propague por todo o território

050607

A insurreição não conhece nem bandeiras nem fronteiras
A insurreição não conhece nem bandeiras nem fronteiras

[Prisões espanholas] Palavras de Francisco Solar a 5 anos da morte em combate de Mauricio Morales

Ainda se respirava o fumo lacrimogéneo das ruas de Valparaíso, finalizados os protestos que cercavam o discurso presidencial desse ano.

Os pneus já desativados assinalavam o fim de uma jornada de luta, que voltaria com novas energias no ano seguinte.

A armada embriagada com os seus festejos, passadas as horas; já de noite os jovens começavam a divertir-se, tentando esquecer uma semana mais de fardo laboral ou estudantil, pondo todo o seu engenho no cumprimento do propósito de passar um momento agradável.

Mas, existia um que também queria dar rédea solta aos seus sonhos, embora de outra maneira, à sua maneira. Para esse, o confronto não havia começado ou acabado ainda nessa tarde, no porto. Tudo continuava.

Será necessário realizar esta ação? Valerá a pena arriscar tanto? Que consequências poderá ter? Essas questões estéreis estavam fora da sua cabeça, já não importavam, o seu olhar não se separava do seu objetivo. Mas algo falhou.

A carcaça jornalística esqueceu-se dos pormenores do palavreado presidencial, dando cobertura especial ao ocorrido. Festejaram com o seu corpo.

A polícia pensou que por fim tinham encontrado xs responsáveis das ações que há anos vinham a reproduzir-se, com frequência, na capital chilena e começou: Invasões, detenções, respostas, solidariedade, convicção, colaboração, confronto, desvinculação, vacilação… e por aí adiante.

Passaram 5 anos: bastante água passou por baixo da ponte…socialistas voltam a administrar o estado, com a senhora Bachelet à cabeça, e a nossa memória continua presente contra todxs, ainda intacta, sabendo que só o esquecimento é a morte.

Mauricio Morales está em cada anti-autoritárix. Não quero utilizar aqui termos como honra e glória, que penso estarem carregadas de sentido autoritário e religioso que pouco ou nada têm que ver connosco.

Manifesto todo o meu respeito e reconhecimento a Mauricio Morales Duarte, por ter dado o melhor de si no confronto contra o poder, pelo seu constante questionamento, por tentar traduzir em ação as suas ideias, pela sua convicção de que só com uma ousadia fora de toda a regra e disciplina imposta, de muitos e muitas, é que o estado é vencido.

Com xs nossxs mortxs na memória
pela anarquia.

Chile: Uma saudação a partir do porto de Valparaíso

soli3Contra a coordenação internacional do medo:
apoio mútuo e cumplicidade acrata!

Cerca de 19 compas, concentramo-nos na segunda-feira, 18 de Novembro, nos arredores do consulado da Espanha em Valparaíso, para nos solidarizarmos com Mônica e Francisco,  reféns nas prisões por mandato da santa inquisição espanhola e graças à coordenação internacional do $hile e de Espanha, estados-policiais fascistas. Assim, por alguns momentos, interrompemos a circulação na cidade, movendo-nos entre as ruas do centro da cidade com informação, faixas e com os corpos a expressarem-se no meio das suas ruas. Algo que os capatazes do poder consideraram suficiente para atacarem com dois micro-ônibus cheios de policiais, um carro blindado que lança gás-lacrimogêneo, umas tantas patrulhas e alguns motoristas. No final resultaram 8 compas detidos tendo sido formalizada acusação a três deles – por “agressão” aos policiais com um prazo de investigação de 40 dias e 1 com reclusão noturna, por uma ordem de detenção que estava pendente – os restantes saíram no mesmo dia da detenção e estão à espera de uma intimação.

Compas presos/as, processados/as e investigados/as em Espanha, não estão sózinhos/as, por aqui seguiremos atentos/as porque a solidariedade acrata não tem fronteiras. Porque a comodidade não se apoderará da nossa luta, somos a solidariedade ativa que rompe o isolamento ultrapassando fronteiras!

fonte

$hile: Imagens de protestos estudantis

Em 25 de Abril  a manifestação convocada pela Confederação de Estudantes do Chile (CONFECH) terminou com 69 prisões só em Santiago. Vários estudantes ficaram feridos após serem atingidos a tiros de caçadeira. Além do uso de espingardas anti-motim, a marcha foi marcada por fogos postos em cabines de segurança pública, entre outras ações. Em Valparaíso, um estudante foi atropelado por um veículo particular e levado para o hospital.

Continuar a ler$hile: Imagens de protestos estudantis

Chile: Comunicado da okupa T.I.A.O, após ser invadida pela polícia em Valparaíso

Aos solidários de sempre…

Hoje, 23 de Agosto de 2011, aproximadamente às seis da tarde, policiais anunciaram sua chegada batendo nas portas metálicas da nossa casa okupada há cinco anos, localizada na rua Yungay. Logo que entraram, fizeram “buscas” na casa, invadindo violentamente, quebrando as portas de metal e janelas, chutando e quebrando tudo em seu caminho, incluindo nossos pertences pessoais, enquanto reviravam todo o lugar.

Os companheiros que naquela hora estavam dentro da nossa casa foram algemados e ameaçados com armas de fogo. Os policiais, em seu ato terrorista, enfatizavam a todo momento que procuravam extintores, trazendo à memória de todos as recentes e conhecidas montagens judiciais e políticas contra outros centros sociais ocupados em todo o território controlado pelo Estado do Chile. Paralelamente a isto, no exterior da nossa casa era mobilizado um grande número de forças especiais apoiados por vários canhões de água e lançamentos de produtos químicos diversos, além de várias patrulhas e contingente de trânsito, que isolaram as imediações impossibilitando os indivíduos que em solidariedade vieram deter o despejo iminente.

As forças da ordem fascistas, chamados policiais, incluindo o Gope e o Laboratório de Criminalística, permanecendo por mais de uma hora, sem nenhuma testemunha civil, registrando cada canto deste espaço chamado T.I.A.O. (Taller Independiente de Artes y Oficios  – Oficina Independente de Artes e Ofícios), local onde se desenvolvem vários projetos destinados a auto-gestão e autonomia; entendemos o ataque dentro de um contexto repressivo montado pelas cúpulas do poder político e econômico para intimidar tanto os que lutam em Valparaiso, em Santiago, em Wallmapu e em todo o país. Hoje foi conosco, ontem outros companheiros, que será amanhã? Sabemos que para o poder quem se organiza para recuperar a vida que o capitalismo nos rouba é um inimigo, mas não nos assustam, temos muitos anos de batalha, não vamos parar hoje! Amanhã tampouco, é claro.

A dignidade daqueles que foram às ruas nas últimas semanas, dos peñis [Mapuches] que resistem no sul e dos companheiros presos que lutam na prisão nos enche de força, força para eles também, sua luta é a nossa!

Deixando claro que, sabendo que as leis são feitas e desfeitas pelos poderosos à sua conveniência, queremos apontar as irregularidades nas ações das forças terroristas: nenhum promotor esteve presente na invasão; a ordem apresentada tem como domicílio outra direção que não corresponde à nossa casa, por isso nunca tiveram permissão legal para entrar, além de declaram que passaram pela casa sem deixar danos, obviamente não foi assim, roubando e destruindo o material da oficina de serigrafia e outras partes da casa .

Estamos tranqüilos neste momento, mas expectantes, analisando nossos movimentos e os do inimigo, com a convicção rebelde de que estamos no caminho certo, que em 5 anos de okupação, sem esquecer dos problemas e dificuldades, construímos  mais coisas belas do que são capazes de fazer todos os parasitas juntos em toda a sua vida. E isso, nossa criatividade, nossa maneira de viver, sem líderes, sem hierarquia, nossos desejos de experimentar a liberdade aqui e agora, foram transformados, com a ajuda da imprensa, em delitos, em crimes. Mas estamos tranqüilos, pois bem sabemos quem são os criminosos.

A noite cai em Valparaíso, e ainda cheira a gás lacrimogêneo nossa casa, mas comemos uma refeição preparada por todos, cheia de amor; nossos corações estão tristes, mas um sorriso surge em nossos rostos, pois aconteça o que acontecer, nossa melhor vingança é ser livre e feliz.

Solidariedade a todas as casas okupadas, aos invadidos, aos investigados, encarcerados e todos os que lutam.

Um agradecimento especial a todos os indivíduos que espontaneamente solidarizaram-se, avante companheiros, isto acaba de começar!

Fonte: liberaciontotal.lahaine.org

agência de notícias anarquistas-ana