Arquivo de etiquetas: Babis Tsilianidis

Grécia: O anarquista Babis Tsilianidis em liberdade!

A

Temos um longo caminho pela frente…

Hoje, 6 de Junho de 2014no Tribunal de Apelações de Tessalónica,  foi dado seguimento ao julgamento contra o compa Babis Tsilianidis, com a presença de cerca de 40 solidárixs.  O ministério público sugeriu a absolvição do companheiro porque, como afirmou, o lenço que, supostamente, tinha vestígios de ADN de Babis tinha sido encontrado longe do local do assalto e também porque o ADN, por si só, não é prova suficiente para condenar alguém. Após a tomada de posição da advogada, o tribunal fez um intervalo anunciando, meia hora mais tarde, a absolvição de Babis Tsilianidis, devido às dúvidas surgidas.

E percorrer-lo iremos…até ao fim.

Após três anos e meio de cativeiro o compa volta a estar livre. Acolhendo o calor dos gestos solidários que se realizaram ultimamente na Grécia e no estrangeiro, a nossa comunidade, a comunidade de amotinadxs, pode mostrar satisfação algum tempo, ao ver em liberdade um dos seus lutadores presxs. Mas não por muito tempo. Há, ainda, muitxs companheirxs atrás dos muros das prisões, milhares de pessoas reclusas em prisões e campos de concentração, milhões de pessoas que continuam presas nas masmorras do trabalho assalariado e celas escolares e muitxs permanecem nas prisões privadas dos apartamentos, como tambem nos pátios das cidades vigiadxs por câmeras e patrulhas armadas.

Há milhares de recusas que têm de se encontrar, há milhares de desejos que continuam por realizar.  Apesar de termos diante de nós milhares de muros a derrubar, milhares de medos a enviar ao inferno, a destruição do Estado e do capitalismo e a libertação da vida humana e da natureza  não tardará. Continuamos aqui, com teimosia permanecemos de cabeça erguida, chegará o nosso dia.

Luta contra o Estado e o capitalismo

Luta pela Anarquia

Liberdade para xs presxs anarquistas

Volos, Grécia: Ataque a sucursal do Banco Pireo em solidariedade com o anarquista preso Babis Tsilianidis

crack (1)

Na quarta-feira, 28 de Maio, de madrugada, atacamos e rebentámos com a fachada e o caixa eletrónico existentes na sucursal do banco Pireo, na rua Iolkou, na cidade de Volos. Este foi um pequeno gesto de solidariedade com o anarquista Babis Tsilianidis, que aguarda julgamento em segunda instância, no Tribunal de Apelações de Tessalónica, a 5 de Junho de 2014, pelo assalto ao departamento de contas do hospital AHEPA, em Tessalónica. Desde o início do processo, o compa negou-se  e continua a negar-se a qualquer tipo de colaboração com o aparato jurídico e repressivo.

A resposta do Estado à postura do compa foi a sua condenação sem precedentes a 10 anos de prisão,  sem nenhuma prova e utilizando como meio de incriminação os vestígios de ADN encontrados num objeto deslocável [lenço encontrado perto do local do assalto].

Nós quebramos as cadeias do fatalismo e da inércia e avançamos de forma ofensiva e multiforme até à destruição total deste civilização autoritária contemporânea. Movemo-nos no aqui e agora, sem esperar por salvadores e especialistas, traçando o nosso caminho até à sociedade anti-autoritária futura, tendo muito claro e presente que as estruturas, instituições e papéis dominantes nesta sociedade são os primeiros alvos que devem ser atingidos.

Liberdade para o anarquista Babis Tsilianidis e todxs xs lutadorxs presxs.

anarquistas 

Berlim: Pintadas anarquistas em Friedrichshain

Liberdade para Babis Tsilianidis

Violência contra todos os patriotas
Liberdade para os/as que estão nas celas

A 28 de Maio de 2014, durante a noite, saímos para espalhar pintadas no bairro de Friedrichshain, em Berlim. Os nossos pensamentos estão com o anarquista Babis Tsilianidis, preso na Grécia à espera de julgamento de recurso a 5 de Junho – o compa tinha sido condenado, na 1ª instância, a 10 anos e 4 meses de prisão por assalto ao departamento económico do hospital AHEPA de Tessalónica – com os/as nossos/as amotinados/as irmãos e irmãs no Brasil, con Maurício Morales, caído em ação a 22 de Maio de 2009 e com todos/as os/as compas que lutam dentro e fora das galés nesta sociedade.

Não conseguimos sacar uma imagem da pintada que fizemos contra o mundial de futebol que dizia NÃO VAI TER COPA pois um veículo da fodida empresa de segurança WISAG patrulhava a zona.

Fogo às fronteiras!

Imigrantes anarquistas

espanhol

Atenas: Solidariedade com o anarquista preso Babis Tsilianidis

18 de Maio de 2014

Liberdade para o anarquista Babis Tsilianidis e para cada ser aprisionado
Nenhuma paz com o Estado; liberdade para Babis Tsilianidis
Liberdade para o anarquista Babis Tsilianidis
Liberdade para o anarquista Babis Tsilianidis

Julgamento de recurso: 5 de Junho de 2014 – Tribunal de Tessalónica.

Tessalónica, Grécia: Intervenção solidária com o prisioneiro anarquista Babis Tsilianidis

Liberdade para B.Tsilianidis (A) Julgamento de recurso 5/6, Tribunal de Tessalónica
No panfleto pode ler-se: Foi julgado em primeira instância e condenado a 10 anos e 4 meses com base apenas em uma “evidência” constituída por um perfil de mistura(!) de DNA, “descoberto” pela bófia num lenço num sítio distante, depois de um assalto no departamento de finanças do hospital AHEPA de Tessalónica. Os juízes são lacaios do Estado e dos patrões.
FOGO ÀS PRISÕES (A)

Na tarde de 13 de maio de 2014, fizemos uma intervenção numa conferência da Escola Nacional de Oficiais de Justiça e da Faculdade de Direito da Universidade Aristóteles de Salónica, no salão de cerimónias da universidade, e que contou também com a presença do presidente honorário do Conselho de Estado, Konstantinos Menoudakos. Durante a nossa intervenção foram atirados folhetos e foram pintadas palavras de ordem com spray, nas entradas, relativamente ao julgamento de recurso do anarquista Babis Tsilianidis, marcado para 5 de Junho de 2014.

Os juízes são lacaios do Estado e dos patrões.
Luta contra a repressão do Estado.

Atenas: Atualização sobre os membros da CCF da prisão de homens de Koridallos

wHoje, 20 de Janeiro de 2014, 6 compas da Conspiração foram chamados a comparecer perante a promotora da prisão que lhes impôs uma sanção disciplinar depois de presos do módulo D terem publicado um texto que os** apontava como responsáveis do espancamento a outro preso, como lhes disse, e após os funcionários da prisão relatarem o incidente. A pena inclui um ano de sanção disciplinar por obstruir e imobilizar um guarda da prisão, e 30 pontos da prisão por agredir outro preso. É possível que haja uma continuação criminal do caso. Para qualquer coisa mais, informaremos.

Solidárixs com a Conspiração de Células de Fogo

Nota dos Tradutores:
* O titulo deste post, assim como os links, são nossxs.
** Tanto quanto sabemos, os 10 presos não nomearam explícitamente os 6 compas, como se pode ver aqui.

Prisões gregas (Koridallos): O prisioneiro anarquista Yannis Naxakis espancado e hospitalizado

Hoje, domingo 5/1 pelas 18.30, no exterior da asa A, o nosso companheiro anarquista Yannis Naxakis foi emboscado e espancado por, pelo menos, cinco membros da CCF que seguravam estacas. O companheiro foi transferido para um hospital fora da prisão.

Babis Tsilianidis
Yannis Michailidis
Tasos Theofilou
Dimitris Politis
Fivos Harisis
Argyris Ntalios
Giorgos Karagiannidis
Andreas-Dimitris Bourzoukos
Alexandros Mitroussias
Grigoris Sarafoudis

Atenas: Fim da greve de fome e sede dos 7 anarquistas presos em Koridallos

Os compas deram por fim à greve de fome e sede no dia 15 de Dezembro, considerando atingido o seu objetivo principal, manterem a comunidade anarquista unida, dentro da prisão de Koridallos.

Fivos Harisis, Argyris Ntalios, Yannis Michailidis, Dimitris Politis, Giorgos Karagiannidis, Babis Tsilianidis e Grigoris Sarafoudis no seu comunicado  afirmam, ainda, que dentro em breve sairá um texto analítico descrevendo todo o sucedido salientando a importância de todas as demonstrações de solidariedade ativa desde os gritos e as palavras de ordem junto à prisão até às chamas do ataque à esquadra da polícia em Exarchia.

A paixão pela liberdade é mais forte do que qualquer cela! Solidariedade ativa com todxs xs companheirxs prisioneirxs em todo o mundo!

Fogo em todas as prisões!

Atenas: Seis anarquistas iniciam greve de fome e sede nas prisões de Koridallos

Na 5ª feira, 12 de Dezembro enquanto estávamos encerrados nas nossas celas, o carcereiro Giannis Mylonas dirigiu-nos a palavra de maneira insultuosa. No dia seguinte, quando lhe pedimos explicações pela sua atitude,continuou arrogante, pelo que se lhe devolveu uma pequena parte da violência que exerce diariamente com a sua chave.

A administração penitenciária, testando os nossos limites e forças, decidiu quebrar a nossa comunidade.

Neste momento, cinco de nós estamos em isolamento, na secção disciplinar do módulo C, enquanto os nossos compas Yannis Naxakis e Babis Tsilianidis foram transferidos ao módulo D e o companheiro Grigoris Sarafoudis ao módulo E (os três últimos não estão nas secções disciplinares destes setores).

Estamos decididos a defender a qualquer preço a nossa comunidade já que, para nós, é elemento vital básico dentro do podre mundo da prisão. Não negociamos a nossa dignidade perante nenhum cobarde servo da ordem legal.

A 13 de Dezembro, iniciámos greve de fome e sede, exigindo regressar ao módulo A, para junto dos nossos compas.

A partir de agora, xs responsáveis do que possa ocorrer são os altos mandos Vasilis Lamprakis, Giannis Kontopoulos e Nikos Petropoulos, a diretora da prisão, Maria Stefi, a delegada do ministério público Troupi e a cabeçilha dos serviços sociais, Vaso Fragathoula, ou seja dos que formam o conselho da prisão.

Nem um passo atrás.

PS: Os nossos pensamentos estão com os lutadores prisioneiros em greve da fome Spyros Stratoulis, Rami Syrianos, Ergün Mustafa e Michalis Ramadanoglou.

Força, loucos, até à vitória

Fivos Harisis
Argyris Ntalios
Yannis Michailidis
Dimitris Politis
Giorgos Karagiannidis

Atualização:

O compa Babis Tsilianidis entra também em greve de fome e sede, a 14 de Dezembro, em solidariedade com os cinco compas grevistas. Em seguida uma declaração sua a esse respeito:

Os factos acontecidos esta sexta-feira na prisão de Koridallos são já conhecidos. Estou decidido a lutar para defender a comunidade que tem sido formada por vários anarquistas no módulo A, pelo que me uno à mobilização que començaram ontem Dimitris Politis, Yannis Michailidis, Argyris Ntalios, Fivos Harisis e Giorgos Karagiannidis.

Desde 14 de Dezembro de 2013, ao meio dia, estou em greve de fome e sede, exigindo o regresso dos 5 compas, antes mencionados, da secção disciplinar do módulo C ao módulo A. Igualmente, exigo o regresso ao módulo A de Giannis Naxakis, Grigoris Sarafoudis e o meu, pois fomos transferidos para o módulo D.

Abraços de companheirismo e força aos grevistas de fome Spyros Stratoulis, Rami Syrianos, Ergün Mustafa e Michalis Ramadanoglou.

Babis Tsilianidis
Módulo D da prisão de Koridallos

Tessalónica, Grécia: Atualização sobre o caso do preso anarquista Babis Tsilianidis

exhaustedNo dia 16 de outubro de 2013,  os juízes recusaram o pedido de liberdade condicional do preso anarquista Babis Tsilianidis.

Cerca de 30 compas estiveram concentrados/as junto ao tribunal de Tessalónica.

Babis está encarcerado na prisão de Koridallos:

Charalambos Tsilianidis
Dikastiki Filaki Koridallou, A Pteryga, 18110 Koridallos, Athens, Greece

A solidariedade significa ataque

Tessalónica, Grécia: O compa anarquista Babis Tsilianidis condenado

O processo judicial do anarquista Babis Tsilianidis teve lugar na manhã de 22 de Janeiro de 2013, tendo sido declarado culpado de todas as acusações. O compa foi encarcerado, acusado de assalto à mão armada no  departamento de finanças do hospital AHEPA de Tessalónica. A pena total atribuída foi de 10 anos e 4 meses, sem liberdade condicional.

RAIVA E CONSCIÊNCIA

telossozvmx1-800x350No poster lê-se:

Sempre que e quando as pessoas
optam dar a sua carne e ossos
pelos seus desejos de vida e liberdade
e lutar colectivamente contra a máquina social,
pela libertação humana e da natureza
de toda a forma de opressão,
a reacção por parte da dominação está prevista.
Nesta situação de guerra é inevitável
que haja compas em regime de sequestro.

No entanto, sempre que a luta pela dignidade ressurja – dentro e fora dos muros das prisões – com qualquer mas também com todos os meios revolucionários – as barreiras visíveis e invisíveis serão abolidas na prática..

Enquanto o domínio, hoje, tenta estender o seu império,
com o reforço da repressão e com novos métodos de acusação,
e, amanhã, com todos os métodos possíveis, nós, colectivamente, atacaremos tudo o que já está possuído.

Combateremos
pela destruição da escravatura assalariada
pela destruição da economia
até à destruição total da estrutura urbana

Pela liberdade e a anarquia

Tessalónica, Grécia: Sobre o caso do isolamento na prisão do compa anarquista Sokratis Tzifkas

Em 3 de Agosto, o compa S. Tzifkas, no seu regresso à prisão de Diavata (depois de uma curta transferência para o hospital de Tessalónica), depois de se recusar a submeter-se a controlo  com nudez integral,  foi levado perante o procurador do ministério público da prisão,  tendo este lhe aplicado uma punição de 10 dias,  em regime de isolamento, assim como uma transferência disciplinar. Atualmente,  enquanto na Grécia se enfrenta um verão quente e húmido, Sokratis foi enviado para a unidade de isolamento das prisões de Diavata, sem ventilador, sem TV, sem livros e, até mesmo, sem água engarrafada. Além disso, o Serviço Correcional de prisões de Diavata não lhe permite chamar para nada ou ir ao pátio (coisas ainda ditadas no código correcional), ou receber a medicação prescrita por razões de saúde.

Na sexta-feira, 10 de Agosto foi realizada uma concentração solidária com microfone aberto na rua pedonal de Agia Sofia, em Tessalónica, enquanto que em 7 de Agosto, um grupo de combatentes presos emitia um comunicado em solidariedade com Sokratis. A declaração de apoio, foi assinada por Alexandros Mitrousias, Rami Syrianos, Giorgos Karagiannidis, Andrzej Mazurek, Mustafa Eryun, Babis Tsilianidis, Michalis Tzimas, Spyros Stratoulis, Makis Gerakis, Kostas Sakkas e Dimitris Dimtsiadis.

Finalmente, e depois de completar os 10 días de isolamento, o compa Sokratis Tzifkas regressou à sua cela, não tendo ainda sido aplicado o castigo de transferência disciplinar.

FOGO ÀS PRISÕES
NÃO DEIXAR NENHUM/A COMPA SÓZINHO/A
SOLIDARIEDADE COM TODOS/AS OS/AS REFÉNS DO ESTADO

Grécia: Atualização do caso dos anarquistas revolucionários Giannis Skouloudis (já saído da prisão) e Sokratis Tzifkas

Giannis Skouloudis foi libertado na sexta-feira à tarde, 22 de Junho de 2012.

O companheiro tinha sido mantido sob custódia, nas  prisões juvenis de Avlona, desde 13 de outubro de 2010. Após a decisão do tribunal, em 26 de março de 2012, para Giannis Skouloudis, SokratisTzifkas, BabisTsilianidis, Dimitris Dimtsiadis e Dimitris Fessas – respeitante ao caso de incêndio nos veículos da empresa pública de Electricidade (DEI) – Skouloudis foi condenado a 5 anos e 5 meses de prisão. Como já havia cumprido 2/5 da pena de prisão, deveria ter sido libertado da prisão passado alguns dias. No entanto, o conselho judicial adiou a decisão respectiva, tendo sido concedida a libertação do companheiro somente passados três meses.

Vale lembrar que “os 4 de Vyronas” (Tsilianidis, Dimtsiadis, Tzifkas, Fessas) estão actualmente em prisão preventiva, aguardando outros julgamentos contra eles.

Sokratis Tzifkas encontra-se  nas prisões Diavata desde que o julgamento  do caso de incêndio em veículos DEI começou, em março de 2012. Atualmente, ele não está autorizado  a receber livros (literatura, etc) pelo correio, sendo que todas as cartas que lhe são enviadas- tal como no caso de muitos outros prisioneiros – são  primeiro ‘verificadas’ na sede da polícia de Thessaloniki (GADTH) .

Por esta razão, foi criada uma caixa de correios para aqueles que desejam comunicar com Sokratis Tzifkas: Caixa Postal / Τ.Θ. 8, código postal / Τ.Κ. 57300, Halastra, Thessalónica-Grécia.

Prisões gregas: Notas sobre as greves de fome e abstenções de comida dos/as presos/as em luta

4 de Abril: Declaração de greve de fome de Spyros Dravilas (interno na prisão de Domokos, que actualmente está no hospital da prisão de Koridallos), intitulada “O estado e as suas instituições vingam-se daqueles/as que não sucumbem ao sistema, privando-os/as do seu direito a saídas temporárias”. As autoridades negaram a Spyros Dravilas o seu direito a saídas temporárias, com o qual ele contava há dois anos e meio.

6 de Abril: Declaração de greve de fome de Giorgos Karagiannidis, Alexandros Mitroussias e Kostas Sakkas: ”A partir de hoje 6/4 nos declaramo-nos em greve de fome, exigindo o levantamento da nossa arbitrária e vingativa prisão preventiva assim como a libertação imediata da nossa co-acusada Stella Antoniou, por razões de saúde.” — cofirmado por Stella Antoniou, que atualmente protesta mediante uma abstenção de comida da prisão.

6 de Abril: Declaração de greve de fome de Panagiotis Argirou e Gerasimos Tsakalos, membros encarcerados da CCF, que exigem a sua transferência definitiva para as prisões de koridallos, para dar fim às transferências repetidas e vingativas e à sua tortura física e psicológica.

7 de Abrill: Vaggelis Kailoglou leva a cabo uma abstenção de comida da prisão, em solidariedade. Ele é o único dos lquatro detidos do 12 de Fevereiro que se manteve em prisão preventiva.

7 de Abril: Abstenção de comida da prisão, realizada pelos prisioneiros de guerra Sokratis Tzifkas (prisão de Diavatas), Giannis Skouloudis (prisão de Avlona), Babis Tsilianidis e Dimitris Dimtsiadis (prisão de Koridallos), em solidariedade com os/as presos/as em luta.

8 de Abril: O membro preso da CCF, Christos Tsakalos, declara-se em greve de fome, em solidariedade com os grevistas da fome, Panagiotis Argirou e Gerasimos Tsakalos.

8 de Abril: Abstenção de comida da prisão llevada a cabo por 130 presos na primeira ala da prisão de homens de Koridallos, em solidariedade com os/as compas presos/as em luta.

9 de Abril: Assembleia solidária na Escola Politécnica de Atenas, nol edifício Gini, com intervenções telefónicas dos presos em greve de fome a partir das prisões.

9 de Abril: Os restantes membros encarcerados da CCF e o anarquista revolucionário Theofilos Mavropoulos declaram que gradualmente se unirão à greve de fome dos seus irmãos na luta Panagiotis Argirou, Gerasimos e Christos Tsakalos.

11 de Abril: Declaração de Stella Antoniou sobre os últimos acontecimentos: As autoridades judiciais não pediram que Stella permanecesse em prisão preventiva, mas fizeram-no  com Sakkas, Mitroussias, Karagiannidi, baseando-se em acusações inventadas contra eles respeitantes aos antigos ataques incendiários da CCF. Dados os factos, e de acordo com os seus três compas, Stella explicou que interrompia a sua participação na greve de fome e que, apesar dos seus problemas de saúde, se abstinha de ingerir comida da prisão até que as suas pretensões se cumprissem.

11 de Abril: O anarquista expropriador Rami Syrianos declara-se em abstenção da comida da prisão, em solidariedade com os/as compas presos/as em luta.

14 de Abril: Uma assembleia em solidariedade com G.Karagiannidis, A.Mitroussias, K.Sakkas e S.Antoniou lançou a seguinte notícia entre outras: “Presentemente, os três compas, Karagiannidis, Mitroussias e Sakkas foram acusados no caso dos 250 ataques incendiários da CCF pelos procuradores Mokkas e Baltas, que pediram que tanto eles três tres, como também os membros da O.R. CCF, se mantivessem em prisão preventiva. Stella Antoniou foi acusada também, mas não permanecerá em prisão preventiva de novo, esperando-se que seja libertada em Junho de 2012, quando acabar o período de 18 meses desde a sua primeira prisão preventiva, apesar da sua quinta petição para a libertação por motivos de saúde ainda não ter tido resposta.” Recordemos que Stella está em prisão preventiva há 16 meses já, como única prova contra ela o fato de possuir cartão de identidade falso.

14 de Abril: Notícias do estado de saúde dos três membros presos da CCF, após uma semana em greve de fome: Gerasimos perdeu 6 kilos, Panagiotis 5 kilos e Christos 7 kilos. Todos os dias têm exames médicos, os níveis de açúcar e a pressão arterial são revistos.

15 de Abril: Mais três membros presos da CCF, Haris Hadjimihelakis, Damiano Bolano e Giorgos Polidoros, começaram uma greve da fome desde o dia 17 de Abril. (Seguir-se-ão atualizações)

Solidariedade internacional e explosiva
com os/as nossos/as irmãos/s em luta!

Atenas: Reivindicação de ataques incendiários a veículos da Organização de Telecomunicações da Grécia (OTE)

“Uma vida profundamente consciente que lhes dará, aos que a vivem, a oportunidade de aprender novamente, de comunicar, de lutar, de se organizar, de viver e, especialmente, junto de quem tiver vontade de compartilhar os seus mesmos objetivos, as suas mesmas experiências, os seus mesmos ódios.”
(Extraído do folheto: Manual de Restauração)

Vivemos numa paisagem urbana cinzenta que nos sufoca diariamente. A sua configuração como “produto” dos mecanismos estatais, transforma os seres humanos em seres submissos e inicia-os numa rotina fodida. Os espaços de trabalho, de “entretenimento”, de educação e de lazer, dão possibilidade ao Poder de nos transformar, tanto quanto possível, em mais zumbis humanos. As nossas necessidades foram enjauladas nas prateleiras dos templos do consumo, os nossos sentimentos foram trancados dentro de bordéis, o medo dominou as pessoas no sentido da submissão. Decidimos agir em contra corrente da harmonia -ampla nos nossos tempos- da maioria da sociedade e negamos as falsas necessidades e os papéis do poderoso e do submisso que tenta instalar o Domínio. O nosso objetivo é estabelecer um movimento radical-revolucionário com ação polimorfa, longe de fetichismos e arrogâncias. Desse modo, pomos assim em movimento,  para nós mesmos e para os nossos companheiros, a aposta da busca e evolução contínuas, tanto a nível pessoal como também a nível coletivo.

No domingo, 8 de Janeiro de 2012, queimámos completamente três furgonetas da Organização de Telecomunicações da Grécia (OTE), no cruzamento da rua Micras com a Sinopis, na zona  de Goudi. O nosso ataque foi uma amostra mínima de solidariedade com os quatro compas de Tessalónica (Giannis Skouloudis, Babis Tsilianidis, Socratis Tzifkas, Dimitris Dimtsiadis) pela sua postura combativa e orgulhosa, dentro e fora dos muros. Sabemos que, mesmo a menor ação ofensiva, realizada a partir da grande prisão, fortalece e aquece os corações dos nossos compas.

SOLIDARIEDADE COM TODOS OS COMPAS QUE NÂO SE ARREPENDEM!
Aguentem!

Conspiração de Incendiários Raivosos

fonte