Arquivo de etiquetas: solidariedade

Trinidad, Bolívia: Solidariedade com Jaime

recebido a 27/11/17

Amigxs, companheirxs e familiares: Queremos comunicar a vocês que nosso companheiro Jaime (Gato) está passando por uma situação complexa. Neste momento ele se encontra privado de liberdade, faz quase um mês, na prisão de Mocoví, Trinidad (Capital do dpto de Beni) Bolívia.

Estamos pedindo a solidariedade de cada um que queira fazer parte deste processo que nosso companheiro enfrenta. Atualmente há um advogado, mas como todxs sabem em processo judicial se requer uma grande quantidade de dinheiro para custear todos os gastos da papelada, burocracia e porque não dizer também, a corrupção da (in)justiça que enfrentamos.

É por isso que apelamos para todas as redes de solidariedade possíveis já que neste momento todas as mãos e corações nos servem, seja enviando amor, força, orando ou como possam ajudar, será bem vindo e muito bem recebido. Peço também que fiquem atentos, pois estaremos organizando rifas e outras atividades solidarias para arrecadar o dinheiro necessário para nosso irmão, amigo e companheiro regressar a Chile.

Quem quiser deixar uma mensagem de apoio e solidariedade poderá fazer por aqui nos comentários desta publicação. Eu ficarei feliz de levar todo carinho de seus amigxs e companheiros que gostam dele e o apoiam. Agradeço desde já. Se alguém puder ajudar economicamente, deixo também um numero de conta bancária. Como já disse mais a cima, toda ajuda será benvinda.
Atentamente,
Constanza Mardones Espinoza (irmã) e Jaime Mardones Espinoza.

Nombre del titular: Maria Monica Espinoza Navarrete (Mamá)
Nro cta0.0097 0604405
Banco: scotiabank
Rut: 8.342.112-6
Correo: monicaespinozan[arroba]gmail.com

VIA WESTERN UNION:
Constanza Mardones Espinoza
17.919.817-7
Trinidad- Bolivia

A LUTA CONTINUA…

em espanhol

Sydney, Austrália: Solidariedade com anarquistas de Porto Alegre (Brasil)

Solidariedade a partir de Sydney – no território conhecido por Austrália – com anarquistas em Porto Alegre, perante a repressão exercida sobre elxs pelo estado brasileiro. As fotos foram tiradas em frente da biblioteca e livraria anarquista Jura Books, em Petersham (Sydney).

em inglês

Montevideu, Uruguai: Corte de rua e queima de coberturas por Santiago Maldonado

Quando era meio-dia de quarta-feira, 25, decidimos cortar a monotonia da tarde, assim como o tráfego e a circulação de mercadorias, para que os transeuntes tomem um instante das suas alienadas horas e reflitam sobre a vida e morte de Santiago Maldonado, lutador anarquista recentemente assassinado pelo Estado argentino.

Santiago esteve desaparecido e foi assassinado por se solidarizar com a causa do povo Mapuche que, até à data, resiste firme em várias comunidades, instaladas em territórios recuperados à multinacional Benetton.

Vai também para elxs o nosso apoio e queremos também chamar a atenção dos cidadãos comuns para elxs e para a sua digna luta.

Por tudo isto, decidimos cortar o tráfego nos cruzamentos das ruas Arenal Grande e Galicia, queimando várias coberturas e deixando panfletos para explicar a acção.

Santiago não morreu, vive na revolta!

A guerra social continua!

Coletivo Fuego en Las Calles (Fogo nas ruas)

em espanhol

Setúbal, Portugal: COSA e À DA MACHADA em solidariedade com A TRAVÊSSA Okupada no Porto

A Solidariedade atravêssa tudo

Força aí companheires, queremos desde já expressar a nossa solidariedade com as vossas ambições. Estamos juntes. É com esta e outras iniciativas que se ultrapassam barreiras/obstáculos da vida quotidiana. Ao criar algo de raíz feito por nós, sem as estruturas do poder dominantes, vivemos um processo que nos garante outra dinâmica político-social. Encorajamos todes que queiram continuar e desafiamos todes a experimentar estas aventuras subversivas de modo a recuperarmos as nossas vidas.

1 Despejo = 1000 Okupações!!!

Nota de Contra Info:
Na manhã do dia 16 de Outubro, o espaço ocupado A Travêssa dos Campos foi alvo de uma acção repressiva por parte da autoridade policial. Chegaram por volta das 7h30 com grande aparato de meios e agentes e preparados para uma entrada rápida e violenta no edifício. Após o arrombamento das portas foi dada a ordem – todos para o chão, caralho! Juntaram todas as pessoas numa sala, duas delas algemadas, e revistaram cada uma delas e os seus pertences. Para além disso, fotografaram e filmaram a operação e toda a gente que resistia no edifício. Ao todo foram 21 pessoas, mais uma cadela levada para o canil. Na esquadra, toda a gente foi identificada e novamente revistada. A todos os envolvidos foi aplicado um termo de identidade e residência e passada uma constituição de arguido sem referência a qualquer crime.

em alemão

Grenoble, França: Solidariedade incendiária

“Três da manhã na quinta-feira, 21 de Setembro, segundo dia do processo do carro de patrulha queimado. Entramos no quartel da gendarmeria Vigny-Musset. Queimamos seis carrinhas de intervenção e dois camiões de logística. A garagem e o armazém foram destruídos numa superfície de mais de 1500 metros quadrados.

Esta ação inscreve-se numa onda de ataques em solidariedade com as pessoas que passam em processo nos dias de hoje. Um forte abraço a Kara e Krem. Um pensamento para Damien, recentemente espancado pela bófia. Seja qual for o resultado do processo,
continuaremos a buscá-lo na polícia e a justiça. A nossa hostilidade é um fogo que se espalha.

Os noturnos”


Fonte Indymedia Grenoble

N.T. O poste original tem estado cancelado no seguimento da intervenção do Ministro da Administração Interna francês por “provocação para se cometer atos de terrorismo ou apologia de tais atos” ⟨artigo 421-2-5 do código penal francês).

em inglês via insurrectionnews italiano

Chania, Grécia: Faixa em solidariedade com o Linksunten Indymedia, silenciado pelo Estado na Alemanha

Nestes tempos em que a Internet é um elemento essencial do nosso quotidiano, a defesa da sua capacidade receptiva é e deverá ser o ponto crítico da sua gestão, sendo essa uma das razões pelas quais apoiamos qualquer expressão de contra-informação.

A contra-informação é, foi e continuará a ser um pilar principal para se gerir e promover a palavra e atos de movimentos políticos que na primeira linha se opõem ao estado e capital. É essencial defender em todos os sentidos – fisicamente e online – qualquer fonte de contra-informação saudável de que o indymedia.org & linksunten.indymedia.org é exemplo.

Portanto, e como ato mínimo de solidariedade, deixamos uma faixa de solidariedade com o silenciado linkunten.indymedia.org num ponto central da velha cidade de Chania.

Portanto, e como ato mínimo de solidariedade, deixamos uma faixa de solidariedade com o silenciado linkunten.indymedia.org num ponto central da velha cidade de Chania.

Solidariedade não negociável com linksunten.indymedia.org

Fonte Apatris (grego) via insurrectionnews (inglês)

Corunha, Galiza: Contra-informação nas ruas, um mês depois do desaparecimento de Santiago Maldonado

Passado um mês do desaparecimento do companheiro Santiago Maldonado, difundimos a informação nas ruas, no noroeste da península Ibérica: na Corunha, cidade portuária, da qual partiram centenas de barcos com imigrantes para a América Latina. Cidade onde é praticamente nula a informação que a este lado do Atlântico chega, através dos meios de informação hegemónicos. Também não estávamos à espera de outra coisa.

A Europa colonizadora nunca deixou de o ser – embora pouco ou nada se fale aqui da devastação que as multinacionais europeias e os seus aliados, os Estados, estão a levar a cabo na América do Sul: oculta-se isso, atrás das máscara das ONGs e da mais hipócrita e paternalista das caridades.

Antes que os serviços de limpeza da cidade silenciem de novo as paredes, algo ficará dito sobre o que se passou a 1 de Agosto – nesse dia a Gendarmeria da Argentina sequestrou Santiago, “El Lechu”, na Lof de Resistência Cushamen – e também sobre a repressão e a expropriação constante que sofrem o povo e a Comunidade Mapuche.

Em apoio à situação que enfrentam xs companheirxs em toda a Argentina, e que se expande, rejeitando as fronteiras; em solidariedade com a luta do povo mapuche, para além de qualquer território delimitado pelo estado. Pelo companheiro “Lechuga” e todxs xs que lutam contra a dominação.

em espanhol l alemão

Aguascalientes, México: Motim poético pelxs presxs anarquistas

Evento anticarcerário

No cartaz pode ser lido:

Motim poético pelxs presxs anarquistas
– Oficina anticarcerária
– Cartas prófugas
– Deformance
– Slam Poético
– Situação dxs presxs
– Rifa Solidária
-EVENTO LIVRE DE DROGAS E ÁLCOOL
SÁBADO 9 de SETEMBRO 17:00, LA ALAMEDA
AGUASCALIENTES, MÉXICO

S. Paulo: Solidariedade apátrida – Pela aparição com vida de Santiago Maldonado


recebido a 13 de agosto de 2017

Solidariedade apátrida desde o território dominado pelo estado brasileiro. Respondemos ao chamado de solidariedade com o anarquista Santiago Maldonado, desaparecido há mais de dez dias.

Na noite de 12/08 penduramos uma faixa num movimentado viaduto, localizado no centro da cidade de São Paulo.Lechuga, como é chamado, foi raptado pelas gendarmeria no começo do mês de agosto. Lechuga é companheiro do meio anárquico e apoiava a vivência no território em toma por mapuches.Ele está desaparecido desde a invasão e repressão ao território mapuche na província de Chubut, em Cushamen, dia 1/08/2017. A última vez que ele foi visto, estava nas garras da gendarmeria após sofrer brutal violência. Mais uma vez, a repressão contra a luta mapuche faz suas vítimas. Enquanto isso a greve de fome de Facundo Jones Huala continua…

O estado argentino é culpado. Os esquadrões 34, 35 e 36 da polícia militarizada [gendarmeria] são responsáveis pela chuva de balas na comunidade mapuche e sequestro do nosso companheiro.

O estado brasileiro é conivente pois aqui fazem o mesmo. Todo apoio à toma da sede da FEPAGRO, terra retomada pelos guaraní myaba em Maquiné.

“AMULEPETAYINWEICAN”!
A LUTA CONTINUA!

SOMOS APÁTRIDAS E INGOVERNÁVEIS E ESTAMOS EM QUALQUER LUGAR!!!

EXIGIMOS APARIÇÃO COM VIDA DE LECHUGA JÁ!!!

SEGUIREMOS CONSPIRANDO!!!

 em alemão

Chile: Faixa solidária com os e as anarquistas da Venezuela

NEM DITADURA NEM DEMOCRACIA – FORÇA AOS/ÀS REBELDES NA VENEZUELA

A princípios do mês de Agosto, com os olhos postos na revolta contra a ditadura de Nicolás Maduro na Venezuela, colocámos uma faixa solidária com os e as companheiras anarquistas do dito território. Enviamos força aquelxs que, a partir da sua autonomia, erguem posições libertárias contra todo o poder e que enfrentam nas ruas, com dignidade, a repressão estatal.

De algum lugar do território chileno
Biblioteca Anti-autoritária Libertad
Inverno, 2017

em alemão

Chile: Faixa pela aparição com vida do companheiro Santiago Maldonado

Aparição com vida de Santiago Maldonado – feito desaparecer pela polícia, na Argentina a 1 de Agosto.

09-08-2017. O companheiro anarquista Santiago Maldonado desapareceu a 1 de Agosto após uma invasão da polícia da Argentina a uma comunidade mapuche em resistência – onde se encontrava em solidariedade. Do outro lado da cordilheira, enviamos um pequeno gesto de apoio aquelxs que lutam pela aparição de Santiago, as mossas consciências estão aí junto a todxs vós.

De algum lugar do território chileno
Biblioteca Anti-autoritária Libertad
Inverno, 2017

em inglês l alemão

[Chile] Repressão e revolta na Venezuela: Mão estendida ao/à companheirx, punho cerrado ao inimigo

Desde há mais de três meses que se estão a desenrolar protestos massivos contra o governo socialista de Nicolás Maduro, na Venezuela.

Mais de cem mortxs e centenas de manifestantes detidxs e torturadxs às mãos da polícia venezuelana é o saldo atual da agitação nas ruas que tem ocupado a agenda política na região latino-americana e para além dela, inclusive.

O conflito social que se agudizou na Venezuela tem uma série de arestas, interessantes de abordar para todxs aquelxs a quem interessa propagar as hostilidades contra toda as formas de governo e poder. Podemos encontrar, entre elas, pelo menos duas variáveis:

1 – A hipocrisia dos Estados democráticos que através da Organização dos Estados Americanos pressionam para se intervir na Venezuela perante “as graves violações às liberdades das pessoas” por parte do governo. Como se nos seus próprios territórios, Estados como EUA, México, Colômbia e Chile existisse liberdade e respeito aquilo a que na linguagem do poder chamam “direitos humanos”.

2 – A campanha da esquerda internacional que, em apoio ao governo de Nicolás Maduro, cataloga xs manifestantes como simples titeres ou agentes que fazem o jogo dos interesses da oposição, principalmente a da direita, agrupada na Mesa da Unidade Democrática (MUD).

Ambos os discursos interactuam no conflito – tentando modelar a opinião sobre o que estará a ocorrer na Venezuela – dentro e fora das fronteiras do país.

Para nós, o que nos parece importante é estender uma mão de solidariedade (ainda que seja à distância) aquelxs companheirxs anárquicxs/ anti-autoritárixs que nas ruas estão a tomar parte no combate contra o governo.

Lado a lado com milhares de jovens que se levantaram, decidindo não serem apenas espetadorxs do que sucede perante os seus olhos,  passando à ação ofensiva contra a polícia, os quartéis e tudo o que cheire a governo e repressão.

É um facto que a revolta em curso não tem uma notória projeção anti-estatal. Também é verdade que nas ruas se encontram uma diversidade de posicionamentos e discursos. Mas também é um facto concreto – como companheirxs anárquicos já assinalaram na Venezuela – que grande parte da juventude e das pessoas que saem à rua a atirar cocktails molotov à polícia e que queimam quartéis e edifícios do governo, não formam nem lhes interessa formar parte da Mesa de Unidade Democrática nem da oposição política oficial de direita.

Trata-se de uma rebelião que se prolongou por mais de três meses e cuja “condução” não pode ser atribuída à direita, tratando-se antes de vontades diversas, em muitos casos jovens sem partido algum.

Estamos em sintonia com aquelxs que a partir da autonomia e do calor das barricadas e cocktails molotov estão a propagar ideias anti-estatais/anti-autoritárias, na conjuntura específica de luta contra o governo atual.

No território devastado pelo Estado Chileno, companheirxs anárquicxs têm participado – ao longo das décadas mais recentes – em manifestações massivas, ao lado de movimentos sociais com os quais temos maiores afinidades, sempre com o objetivo de ir em busca e de gerar possibilidades para atacar a polícia e propagar a destruição da infra-estructura urbana do capital e do poder.

Pela nossa experiência, sabemos que na luta nas ruas nem sempre temos ao lado pessoas completamente afins – mas temos sempre presente, de forma clara, quem são xs nossxs irmãos/irmãs e cúmplices, com xs quais compartilhamos objetivos em comum, transbordando os limites dos protestos que procuram trocar uma lei por outra, um governo por outro, um tipo de Estado por outro, etc.

Com propaganda, com organização, com fogo e gasolina, a liberdade vai abrindo etapas nas nossas vidas. Não há outra forma.

Como anárquicxs anti-sociais não nos interessa saudar o “povo” ou “xs pobres” da Venezuela. A nossa fraternidade e solidariedade está com xs anárquicxs e xs rebeldes autónomxs levantadxs na rebelião da Venezuela, xs quais apesar dos assassinatos, dos encarceramentos e das torturas dos governos socialistas, continuam a lutar e a incendiar a realidade com a cabeça erguida e fogo nas ruas.

NEM ESQUERDA NEM DIREITA!
NEM DEMOCRACIA NEM DITADURA!
CONTRA TODOS OS GOVERNOS!
PROCURA QUE VIVA A ANARQUIA!

em espanhol

[G20 Hamburgo] As chamas de Hamburgo iluminam os sorrisos

No cartaz pode ser lido:

AS CHAMAS DE HAMBURGO ILUMINAM OS SORRISOS

“A polícia procura esmagar uma multidão de um milhar de pessoas com um grupo de apenas cem cossacos. É mais fácil abater uma centena de homens que um só, especialmente se este atacar de surpresa e desaparecer misteriosamente[…] As nossas fortificações serão os pátios internos para cada local donde é fácil de acertar e fácil de partir. Se tivessem de tomar esses locais não iriam encontrar ninguém e perderiam bastantes homens. É impossível que apanhassem todxs porque deveriam para isso encher cada casa de cossacos”

Aviso aos/às revoltosxs de Moscovo (1905)

O guião do espetáculo pré-estabelecido é ultrapassado.

Acontece em Hamburgo, coração económico do país hegemónico da Europa, durante uma das Cimeiras dos mais poderosos, neste caso um G20.

A foto e a declaração dos chefes de Estado, as experimentações da blinditadura de uma cidade, as previsíveis contestações mais ou menos radicais desceram para segundo plano e o que resta é uma revolta que se estende como mancha de leopardo por toda a cidade.

Sucede que a tentativa bem sucedida da polícia de carregar, seccionar e dissolver o fim da concentração daquele que para os jornais se iria tornar o “bloco negro maior do mundo” mais não fez do que espalhar revoltosxs por toda a cidade: por todo o lado colunas de fumo negro, barricadas, vidros partidos, lojas saqueadas.

Acontece que as colunas de blindados com os piscas seguiram fantasmas por toda a parte.

Nos bairros de Sternschanze e Sankt Pauli são recebidos por:
“Ganz Hamburg hasst die polizei” [Toda a Hamburgo odeia a polícia] entoado não só pelxs manifestantes mas também pelxs moradorxs.

Não raro garrafas, e até mesmo foguetes, chovem para baixo a partir dos estendais das janelas das casas, a polícia é recebida por aquilo que é, uma tropa de ocupação inimiga.

Sucede que cada desfile é cercado e dispersado com bocas de incêndio. A polícia sabe ser militarmente imbatível,  também xs amotinadxs o sabem – pelo que em vez de se concentrarem no cortejo concentram-se nas margens, nas ruas de Schanzenviertel, para o motim.

Xs revoltosxs preferem o morder e fugir à colisão frontal, desaparecer e reaparecer onde a polícia não está à espera.

Hamburgo arde e ensina: a mega-máquina das forças policiais mais eficientes da Europa, imbatível numa colisão frontal, nada pode fazer perante o alastramento da ação dispersa.

A insurreição é uma guerra assimétrica em que até mesmo o exército mais bem treinado não é capaz de lidar com ela – se for imprevisível e num território hostil. Na noite de 7 de Julho a polícia admite que perderam o controlo de algumas áreas da cidade. Ao alvorecer parte às represálias e algumas casas são invadidas e revistadas por forças especiais de armas em punho: exibição em muitas janelas de faixas contra o G20 e a polícia.

Durante três dias as chamas iluminaram Hamburgo, aqueceram-se os corações e quebrou-se a resignação, abrindo-se brechas no possível.

Para xs detidxs nessa jornada vai toda a nossa solidariedade, não deixamos sós xs que caíram nas mãos do inimigo.

Anarquistas

em italiano

Besançon, França: Ação de solidariedade com xs insurretxs em Hamburgo no âmbito da Cimeira do G20

Alguns/mas em Besançon, durante a Cimeira do G20, em Hamburgo, grafitaram vários slogans. Já outros slogans que foram graffitados a spray, tais como: “Welcome to Hell G20” [Bem-vindo ao Inferno, G20], “Contre le G20 et son monde” [Contra a Cimeira do G20 e o seu mundo] ou “Sauvez la nature, détruisez la civilisation” [Perseva a natureza, destrói a civilização] (A) infelizmente já não poderiam ser fotografados, porque rapidamente foram removidos pelos Serviços de limpeza municipais.

ESMAGA G20

HAMBURGO ESTÁ A QUEIMAR (A)
ABAIXO O CAPITAL! NO G20 (A)
SOLIDARIEDADE COM A REVOLTA EM HAMBURGO – NO G20
“Hamburgo incontrolável! Nog20” (graffiti deixado na fachada dos escritórios da SDF – a companhia de segurança que instala entre outros, o sistema de alarme e vigilância em supermercados).
NEM LEI NEM PATRÃO
NEM LEI NEM MACRON SOLIDARIEDADE COM XS IMIGRANTES
ABAIXO A DITADURA DO CAPITAL
HABITAÇÃO PARA TODXS, PROPRIEDADE DE NINGUÉM (A)

em alemão

[Prisões alemãs] Envie uma carta a Lisa!

[2013 caso do assalto de banco em Aachen]
Em Dezembro de 2016 uma anarquista oriunda de Amsterdão foi absolvida da acusação de uma expropriação bancária ocorrida em Aachen em 2013.

[2014 caso do assalto de banco em Aachen]
Desde o início de 2017, dois companheirxs de Barcelona foram julgadxs por uma expropriação ao Pax-Bank que ocorreu em Aachen, em 2014:
Em 7 de junho de 2017, a companheira anarquista L
isa foi condenada a 7 anos e 6 meses de prisão, enquanto o outro companheiro (que recentemente escreveu uma nota de agradecimento) foi absolvido pelo tribunal de Aachen.

Depois de ser sentenciada e enviada à prisão de Colónia, a companheira decidiu publicar o seu endereço de contato:

Lisa
Buchnummer: 2893/16/7
Justizvollzuganstanlt (JVA) Köln
Rochusstrasse 350
50827 Köln – Deutschland (Alemanha)

Lisa fala espanhol, alemão, inglês e italiano e ficará feliz ao receber as tuas cartas.

Que outras formas de solidariedade continuem a ser expressas com ela e todxs xs outros prisioneirxs. Que xs prisioneirxs contineam sempre a ser parte das lutas sociais e se encaixem em todas as ações da guerra social. Para a Anarquia.

Mais informações:

solidaritatrebel

em inglês l alemão  l italiano

Portugal: Todes a Setúbal nos Dias de Atividades em Solidariedade com a C.O.S.A

Recebido a 25 de Junho

Continuaremos a resistir e a manifestar as nossas ideias, nenhum tribunal vai decidir as nossas vidas. Somos nós que decidimos, através de acções, solidariedade e intimidade, o percurso do nosso destino.

Quinta 29
15h Covil Aberto

Sexta 30
20h Conversa na Disgraça:
O que se passa com a
COSA?(Lisboa)

Sábado 1
17h Workshops de Resistência
Comida, Performance
e Música na Á da Maxada pela noite

Domingo 2
17h Concentração Solidária com a C.O.S.A.
20h Petiscada de Rua na
COSA
Seguida de Conversa e
convívio

Mais info em breve

C.O.S.A. Rua Latino Coelho nº2 Setúbal

em alemão

Pontevedra, Galiza: Cartaz pela defesa da terra e em solidariedade com presxs anarquistas com pena de longa duração (11J)

Na Galiza (estado espanhol), em Pontevedra, nos últimos dias esteve a ser espalhado pela cidade um cartaz que pretende ser uma contribuição (tardia) à solidariedade a presxs anarquistas com pena de longa duração, após um novo 11 de Junho.

“ECOTERRORISTA É QUEM DEVASTA A NATUREZA E A VIDA SELVAGEM!

Eucaliptização dos montes causa da desaparição de espécies autóctones e dos incêndios florestais, provocados para se especular com os terrenos…

Minas a céu aberto e poços de Fractura Hidráulica matando o chão fértil e envenenando ou destroçando cada aquífero…

Autoestradas e Alta Velocidade para assegurar a mobilidade frenética de escravxs e mercadorias, à custa da segurança e bem-estar de todxs…

Exploração e mercantilização dos animais, gasto absurdo de recursos

Cemitérios nucleares debaixo da terra, patentes nos alimentos, aterros nos rios

NÃO QUEM LUTA PARA DEFENDÊ-LAS!

A cada dia que passa, sonhadorxs de todo o mundo conspiram contra este mundo de miséria e desolação. Ação direta, bloqueios, sabotagens… são as suas armas para esta guerra.

Algumas dessas pessoas acabaram por ser presas por se negarem a viver com resignação e desafiarem a dominação.

Estamos com elxs!

SOLIDARIEDADE COM MARIUS MASON E COM TODXS XS PRESXS ANARQUISTAS COM PENAS DE LONGA DURAÇÃO.”

Para imprimir (PDF em A3) em galego via Abordaxe

espanhol

Londres, Reino Unido: Evento solidário com Tasos Theofilou


Eu sou um comunista anarquista. Amo a vida e a liberdade.

Vamos lutar para derrubar as prisões que enterram dentro de si milhares de pessoas vivas.

Vamos lutar pela visão da libertação social.

Vamos lutar pela libertação da nossa classe da autoridade do capital ”

Tasos Theofilou

Junte-se a nós nesta sexta-feira, 23 de Junho, para um evento benefit em solidariedade com o comunista anarquista Tasos Theofilou que se encontra na prisão, após ter sido condenado com base em provas falsas e inexistentes. Foi condenado apenas porque é um anarquista. Foi condenado porque não perdeu o sorriso mesmo quando o tribunal anunciou a sua sentença.

Atualizações do caso, projeções e intervenções com chamadas telefónicas a Atenas.
Mais informações sobre o caso aqui.

A começar às 19:00 no L.A.R.C. (Rua Fieldgate, 62, E1 1ES Londres)
música ao vivo a seguir…
O bar funcionará toda a noite.

Espalhemos a notícia!!!!
Vemos-nos por lá!

P.S. A 24 de junho, haverá uma manifestação solidária com Tasos Theophilou, em Atenas. A manif começa às 12:00, em Monastiraki.

em inglês l alemão

Exarchia, Atenas: Faixa em solidariedade com Michael Kimble, anarquista preso nos EUA

11 Junho – Arrazar os muros – Liberdade para Michael Kimble.

No domingo, 11 de Junho de 2017 – no âmbito do dia internacional de apoio a anarquistas presxs a cumprir penas de longa duração – na okupa Themistokleous 58, colocamos uma faixa em solidariedade com o compa Michael Kimble, que se encontra nas prisões Holman, no Alabama.

Michael Kimble é um homosexual negro anarquista que foi condenado a prisão perpétua por ter feito justiça com as próprias mãos ao defender-se de um branco homofóbico racista. Apesar do facto de Michael se encontrar em cativeiro já há 30 anos, continua a resistir por todos os meios disponíveis contra o confinamento quotidiano, para além de propagar a ruptura violenta com todo o Poder.

Através desta faixa devolvemos-lhe alguma da força que nos dá, cada vez que lemos os seus textos incendiários. Aguenta, compa: as tuas ideias e determinação ressoam no outro lado do oceano.

NENHUMA PAZ À SOCIEDADE CARCERÁRIA!

Chaoten

em inglês l grego l alemão

Iruñea, Navarra: Solidariedade internacional – Junho negro/ekainak beltza

 Na noite de 2 para 3 de Junho fomos ao consulado italiano em Iruñea (Rua Taconera, 2 – frente à Delegacia Central da Polícia nacional) e pintamos-lhe a fachada com 5 kg de tinta. Este gesto solidário é dedicado aos companheiros e companheiras anarquistas prisioneirxs do estado italiano.

Solidarizamos-nos com o anarquista sardo Davide Delogu que recentemente tentou a fuga da prisão de Brugoli (1 de Maio).

Pelxs anarquistas presxs nas prisões de Ferrara, Alessandria, Uta, Rebibbia, etc.

Solidariedade aos companheiros e companheiras detidxs e perseguidxs em Turim.

Solidariedade aos/às anarquistas visadxs pelas operações Scripta Manent e Shadowv.

A próxima visita será com dinamite

Junho negro/ekainak beltza

N.T. Iruñea (em basco, Iruñea) também conhecida por Pamplona, é capital da província e comunidade foral (autónoma) de Navarra, no estado espanhol.

Viena, Áustria: Atentado à Embaixada Italiana – Solidariedade aos/às anarquistas presxs em Turim

PANDEMÓNIO

Recebido a 25 de Maio:

Ontem à noite atacámos a Embaixada Italiana com bombas de tinta, expressando dessa forma a nossa solidariedade ativa com xs anarquistas presxs em Turim.

Pela libertação imediata de António, Antonio & Francisco, na prisão desde 3 de Maio.

Pela revogação da prisão domiciliária de Giada, Fabiola & Camille, acusadas de resistir a uma busca policial na sua vizinhança, em Fevereiro.

em alemão, inglês, italiano

Atenas, Grécia: Faixa posta em solidariedade com xs companheirxs de Berkeley

Faixa posta em solidariedade com xs companheirxs que mais uma vez entraram em confronto com uma multidão patriótica que bateu as ruas de Berkeley, em 15 de Abril de 2017.
Não reconhecemos nenhuma pátria, não nos ajoelhamos diante de nenhum símbolo nacional, e não dialogamos com nenhum tipo de fascistas: nós esmagamos-los!

MANTENHA-SE FORTE BERKELEY
FODA-SE TODOS OS PATRIOTAS

Okupa Themistokleous 58, Exarchia
th58@riseup.net

em inglês

Porto Alegre, Brasil: “Tatoo Combativa”, evento solidário na Biblioteca Anárquica Kaos – 13 e 14 de Maio


A partir da onda de perseguições e possíveis punições no Uruguai pelo despejo da La Solidaria, várias questões nos agitaram. A necessidade de apoiar os compas e também a visão de estarmos sempre preparadxs para este tipo de acontecimentos.

Por isso xs convidamos ao evento. Tattoo Combativo. Solidariedade Entre Okupas. Neste evento, além de trocar ideias sobre anarquia e posições anticarcerárias, poderemos nos tatuar e colaborar assim com a geração de uma caixa solidária anti-repressiva. Acreditamos que é importante e bastante urgente mandar um apoio solidário aos compas que estão precisando de isso e que a nossa resposta deva ser imediata. Ao mesmo tempo, é importante estarmos sempre preparadxs para este tipo de necessidades com antecipação.

Xs convidamos a ser parte de este evento e confirmar sua presença, também a marcar um horário a tatuador e se quiser agendar previamente, para os dias sábado 13 e domingo 14 de maio em que realizaremos o evento.

Estaremos com mais informação, contatos e as páginas dxs tatuadores em breve.
Para fazer da solidariedade palavra e ação.

Biblioteca Anárquica Kaos
contatos: biblioteca-kaos@riseup.net

No cartaz  pode ler-se:

SOLIDARIEDADE ENTRE OKUPAS

O dinheiro arrecadado será para caixa anti-carcerária
Tatuagens – Perfurações – Música e vídeo – Rango Vegan –  Bedidas quentes

Porto Alegre – 13 e 14 de Maio

TATOO COMBATIVA

Biblioteca Anárquica Kaos

em alemão

Viena, Áustria: Evento da “CNA – Célula Solidariedade” (Atenas) no Festival CNA Viena [20-23 Abril, 2017]

Evento solidário com xs companheiros presxs em Koridallos – “Cruz Negra Anarquista – Célula Solidariedade” (Atenas) @ FESTIVAL CNA VIENA – 20 a 23 Abril de 2017

“Como anarquistas, percebemos a necessidade de uma luta anarquista multiforme – posicionando o ataque contra o estado e a vassalagem que é imposta – por todos os meios possíveis, aqui e agora” (do texto de auto-apresentação do grupo CNA)

Neste evento, xs companheirxs da “CNA- Célula Solidariedade” irão falar da importância da solidariedade com xs prisioneirxs anarquistas, dos esforços de solidariedade e da conexão de lutas dentro e fora dos muros. Além disso será feita uma desconstrução do significado do movimento anarquista e do mito do bairro de Exarchia (Atenas).

“(…) não consideramos que a ação dxs nossxs companheirxs anarquistas esteja terminada após prisão, ou repressão.“(do texto de auto-apresentação do Grupo CNA)

Durante o evento haverá uma intervenção de três prisioneirxs anarquistas – via conexão ao vivo – prisão de Koridallos:

– Nikos Romanos
– Panagiotis Argirou CCF – Célula de Violência Metropolitana / FAI-IRF
– Olga Ekonomidou CCF – Célula Guerrilha Urbana / FAI-IRF

Elxs irão abordar os seguintes tópicos:

– As condições nas prisões e a situação dxs prisioneirxs anarquistas na Grécia
– A importância das assembleias de solidariedade para xs prisioneirxs anarquistas  e a conexão das lutas dentro e fora dos muros
– A escolha e a importância da luta armada; a reivindicação de responsabilidade no período de ação e em particular na participação na organização armada; a importância e consignação dessas escolhas
– A escolha fuga de presxs
– A posição da mulher na luta armada

Também será possível fazer perguntas aos/à companheirxs na prisão, de modo que a comunicação será em ambos os sentidos.

Algumas palavras do prisioneiro anarquista Panagiotis Argirou, dedicadas ao Festival CNA:

Há momentos em que tu sentes um certo tipo de força dentro de ti. Isso pode acontecer por razões diferentes a cada vez, mas sem dúvida que é sempre um sentimento muito positivo. Tal tipo de força pode ser sentida pelx prisioneirx quando elx descobre que há outrxs indivíduxs que querem um toque, um contato, uma comunicação, uma conversa com elx. É um sentimento muito forte, único, um sentimento de uma grande força, enchendo-x todx e isso é algo inestimável. Esse sentimento de que não se está sozinhx – que há outrxs companheirxs que querem compartilhar momentos, experiências ou qualquer outra coisa contigo – é algo tão valioso que só a liberdade em si se lhe pode comparar. Então, deixe-me agradecer muito pela oportunidade que me oferece de ter algum contacto, mesmo que seja por tão pouco. Desejo que o futuro nos traga mais oportunidades, para que um dia possamos ter a chance de ter uma conversa ao vivo fora dos muros. Um grande e caloroso abraço,
Panagiotis Argirou, membro do CCF-FAI

Contactos:

Sítio da Célula Solidariedade CNA (Atenas): https://abcsolidaritycell.espivblogs.net
E-mail: abcsolidaritycell@riseup.net

Nikos Romanos Prisão Estatal de Koridallos – prisão de homens – Ala A’, P.C. 18110, Koridallos, Atenas

Panagiotis Argirou Prisão Estatal de Koridallos – prisão de homens – Ala A’, P.C. 18110, Koridallos, Atenas

Olga Ekonomidou Prisão Estatal de Koridallos – prisão de mulheres, P.C. 18110, Koridallos, Atenas

Outros eventos @ Festival CNA Viena, podes procurar aqui: [https://abcfestvienna.noblogs.org/]

Localização:

CASA ERNST KIRCHWEGER
Rua Wielandgasse 2-4
1100 – Wien (Viena de Áustria)

em inglês l alemão